Como operar opções: 5 dicas do analista Fernando Góes

Como operar opções: 5 dicas do analista Fernando Góes

Navegue por assunto


Fernando Góes lista 5 dicas essenciais sobre como operar opções na Bolsa de Valores

O mercado de opções, apesar de complexo, pode ser muito atrativo para traders que buscam diversificar sua carteira, alavancar seu capital e aumentar a rentabilidade de suas operações.

Para aprender investir em opções, que nada mais é do que um direito negociável em que o trader pode comprar ou vender o ativo a um preço predeterminado em uma data predefinida no futuro, é necessário muito estudo, principalmente sobre as estratégias que serão utilizadas, afinal, esse é um tipo de operação arriscada e que requer muito conhecimento.

Para te ajudar a ingressar nesse mercado, o analista Fernando Góes listou 5 dicas essenciais sobre como operar opções na Bolsa de Valores. Confira:

Acesse a página de estratégia de opções da Clear e saiba mais detalhes sobre esse tipo de operação.

Dicas sobre como operar opções

1. Conheça as opções antes de operá-las

As opções chamam muita atenção porque sofrem variações muito mais fortes do que os demais ativos negociados na Bolsa.

É possível ver uma opção subir 100%, 500% ou até mesmo 1000% em apenas um dia, fazendo com que as pessoas acabem se interessando muito por esse tipo de operação e ingressando em algo que elas ainda não entendam bem.

No geral, as opções andam junto com o papel à vista. Existem as opções de compra, chamadas de call, que sobem junto com o mercado quando o papel à vista sobe e caem na mesma proporção; e as opções de venda, chamadas de put, que fazem o comportamento contrário, ou seja, sobem quando o papel cai e caem quando o papel sobe.

Entender como funcionam todos os fatores que envolvem as opções de compra e venda de um papel à vista em um prazo pré-estipulado, como, por exemplo, descobrir qual é o strike; saber como é composto o preço da opção; quais são os perigos envolvidos; vantagens e desvantagens; é essencial para começar a operar e ter sucesso no longo prazo.

2. Descubra qual é o seu objetivo ao operar opções

As opções podem ser operadas de diversas maneiras. A mais simples e atrativa é a especulação, que consiste em comprar uma opção de compra quando achar que o papel vai subir ou comprar uma opção de venda quando achar que o papel vai cair.

Dessa forma, além de precisar ter menos capital para operar, você tem uma variação bem grande ao acertar determinada operação.

Porém, apesar da especulação ser a maneira mais atrativa, existem traders que usam as opções para defender sua carteira, ou seja, as utilizam como um seguro para a carteira de ações ou para fazer venda coberta e ganhar dinheiro no longo prazo.

Logo, como existem diversas formas de operar opções além da especulação, é essencial saber qual é o seu objetivo antes de operá-las.

3. Especular é a forma mais simples de operar opções

A forma mais simples para aprender como operar opções é a especulação. Como listamos na dica acima, existem diversas maneiras complexas de operar opções que exigem domínio de planilhas, cálculos, entre outros, ou seja, é uma longa jornada até você conseguir chegar a um nível em que seja possível fazer operações estruturadas com opções.

Porém, quando você se baseia em dados da análise gráfica ou fundamentalista e acredita que uma ação que tem opções com liquidez vai subir ou cair, especular e fazer uma aposta em cima das opções não é algo nada complexo, basta entender sua estratégia e, com isso, escolher a melhor operação, que sempre será a mais segura, no qual você perde menos se estiver errado, e a mais rentável, caso você acerte.

4. Sempre opere comprado

Uma das coisas mais interessantes que existem nas opções é que temos as calls, opções que sobem e caem junto com o papel, e as puts, que sobem quando a ação à vista cai e caem quando a ação à vista sobe.

Por isso, não existe nenhuma vantagem em operar vendido nas opções, a não ser que você esteja querendo realizar operações estruturadas ou complexas.

Logo, a melhor forma de você especular um movimento direcional da ação nas opções, tentando diminuir o seu custo e aumentar sua rentabilidade, é sempre operar comprado.

5. Fique por dentro dos 4 conceitos básicos que você precisa aprender sobre opções

1. Composição da opção

A opção é composta por quatro letras que representam o papel à vista, ou seja, PETR, que indica opções de Petrobras; uma letra que representa o mês do vencimento e se ela é put ou call; e um número que vai representar qual o strike da opção.

Portanto, PETRH20, por exemplo, significa que você tem uma opção de Petrobras, com vencimento para o mês de novembro, sendo uma opção de call (conforme a tabela abaixo) e 20, que indica o strike, ou seja, o preço de exercício do papel à vista.

Mês de vencimento Opção de Compra (CALL) Opção de Venda (PUT)
Janeiro A M
Fevereiro B N
Março C O
Abril D O
Maio E Q
Junho F R
Julho G S
Agosto H T
Setembro I U
Outubro J V
Novembro K W
Dezembro L X

2. Entenda o strike

É essencial entender que você terá o direito de comprar (call) ou vender (put) suas opções no dia do vencimento ao preço preestabelecido no strike.

Logo, não importa qual o código da opção, o que importa é quanto depois será o exercício que se espera do papel e qual será o strike, ou seja, por quanto você vai poder comprar ou vender esse ativo no futuro.

3. Composição do preço da opção

Existem duas coisas que são essenciais no preço da opção: quanto tempo você terá para o exercício e qual é a volatilidade do ativo, ou seja, quanto o papel pode subir ou cair ao longo do tempo.

Esses dois fatores são os responsáveis por dizer qual será a probabilidade de uma opção dar exercício.

Se você tem uma opção com muito tempo para o exercício, por exemplo, a probabilidade do papel subir ou cair muito é grande; mas, se você tem um papel com uma volatilidade muito alta, a probabilidade do papel subir ou cair bastante também é maior, fazendo com que as opções fiquem mais caras.

4. Conheça como as opções andam em relação ao mercado à vista

Existem algumas variáveis, como as letras gregas delta, gama e vega, que podem parecer complexas, mas são essenciais para ajudar o trader a entender como a opção vai se comportar em relação ao movimento do papel à vista. Veja o significado:

Delta: a letra grega delta é usada para medir a variação de preço da opção no que diz respeito à mudança de $ 1 no ativo subjacente.

Gamma: a letra grega gamma mede a variação do Delta em relação à mudança de $1 no ativo subjacente.

Vega: a letra grega vega mensura o comportamento do prêmio em relação à variação na volatilidade.