Small Caps: o que é e qual sua importância no mercado

Small Caps: o que é e qual sua importância no mercado

Navegue por assunto


A foto mostra as mãos de um homem cruzadas sobre uma mesa, e à sua frente tem um notebook ligado em uma plataforma para negociar small caps.

Você já ouviu falar que os menores frascos guardam os melhores perfumes? É exatamente assim que podemos enxergar as Small Caps: são ações de empresas menores do que as gigantes da Bolsa

E para conseguir resgatar seu próprio potinho de ouro no final do arco-íris, é necessário investir um tempo pra entender precisamente o que são small caps, como elas funcionam e se elas dão match com o seu perfil

Por isso, vamos passar por todos esses pontos neste conteúdo. Assim você entende melhor quais são as vantagens e desvantagens das small caps sem complicação. Vamos lá? ⬇️ 

O que é Small Caps? 

Small Caps são grupos de ações de empresas com valor de mercado entre 300 milhões e 2 bilhões de reais, lembrando que esses valores podem sofrer alterações conforme a cotação do dólar. 

Mesmo que essas companhias sejam líderes nos setores em que atuam ou até que já faturem milhões, ainda assim, por conta do baixo valor de mercado, são consideradas pequenas na Bolsa de Valores

As Small Caps também apresentam menor liquidez, tendo de 3 a 5 milhões de reais negociados por dia, e não fazem parte do Ibovespa, índice que mede o desempenho das ações mais negociadas da bolsa. 

E como saber como as ações Small Caps estão se comportando? Bem, uma das formas de acompanhar o desempenho delas é através do Índice Small Cap (SMLL), mas, para que a empresa faça parte do Índice, ela precisa estar fora do Ibovespa, não pode estar em recuperação judicial e ter ações negociadas a menos de R$1,00. 

Na Clear você conta com corretagem e custódia zero, além da maior alavancagem do mercado. Dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira: Abra sua conta! 

Small Caps: por que podem ser uma boa pedida? 

No geral, ações Small Caps são referentes a empresas que estão ingressando no mercado agora e podem ter um futuro promissor pela frente, com alto potencial de crescimento e bom retorno para os acionistas. Muitas delas são inovadoras ou atuam em setores ainda não consolidados, e fizeram o IPO há pouco tempo. 

 Tudo isso representa uma vantagem das Small Caps. Empresas como Petrobras, Ambev e Itaú são robustas e financeiramente estáveis, por exemplo, com menor risco de uma queda brusca nos preços de suas ações.  

Entretanto, a probabilidade de um ganho rápido e alto também é pequena. É pouco provável que companhias com esse perfil tenham um boom de valorização. Afinal, elas já estão bem consolidadas no mercado. 

+ Você sabe o que é Follow on? 

Então, investir em ações Small Caps pode ser uma boa estratégia, já que a perspectiva de sucesso da companhia é proporcional à oportunidade de ganhar bastante dinheiro com a valorização dos papéis. 

Vale lembrar que, algumas empresas que hoje estão no Ibovespa e têm um valor de mercado bilionário, um dia já foram Small Caps. A Magazine Luiza é um desses casos: seus papéis passaram de R$7,00 para mais de R$140,00.  

Assim como ela, outras empresas ficam esquecidas na Bolsa até revelarem seu verdadeiro potencial. Muitas vezes, são companhias com excelente gestão e um bom market share em seus setores, mas que são deixadas de lado por conta do baixo volume de negócios e capitalização. 

Outra vantagem das Small Caps pode ser a má precificação. Por conta das incertezas associadas às Small Caps, existem casos de ações que ficaram anos com o preço muito abaixo do seu valor patrimonial e depois foram bem precificadas. 

Além disso, existe o fato de que empresas pequenas são frequentemente adquiridas por seus concorrentes. Quando isso acontece, os preços dos papéis tendem a subir, devido aos ganhos de escala nas operações e maior poder de mercado. 

Small Caps: por que podem ser uma grande armadilha? 

Se por um lado investir em Small Caps parece um ótimo negócio, por outro, pode ser uma aventura de dar frio na barriga. Isso porque são ações que apresentam maior risco e volatilidade quando comparadas às mais consolidadas, além de terem menor volume de negociações na Bolsa. 

Esses fatores diminuem sua liquidez, ou seja, pode ser muito difícil vender os papéis quando você desejar. Isso faz com que essas ações sejam mais indicadas para quem pode deixar o dinheiro investido em longo prazo. O ideal é que você não precise do dinheiro investido em Small Caps em um período de três a cinco anos

E como as companhias estão entrando no mercado, da mesma forma que podem ter um ótimo crescimento, ele pode ficar estagnado ou não sofrer variações positivas.  Se a empresa escolhida não corresponder às expectativas, você pode vir a perder muito dinheiro. 

Outro fator que exige atenção é a dificuldade de acesso à informação e análises. Por serem ações novas, muitas vezes fica difícil estabelecer padrões gráficos ou analisar os fundamentos de gestão das Small Caps. 

É comum que essas empresas não tenham um site de Relações com Investidores bem estruturado e uma comunicação aberta com os acionistas. Somado a isso, não há muitas pessoas analistas com a atenção voltada para esse perfil de empresa, visto que a demanda de quem investe costuma ser maior para as grandes do mercado. 

Small Caps: como separar o joio do trigo? 

A foto mostra uma calculadora, junto com clipes de papel e um mini marcador de texto sobre uma mesa com papéis.

Já falamos sobre o que são Small Caps e também comentamos sobre as principais vantagens e desvantagens do investimento e, agora, falta colocar tudo isso em prática pra saber direitinho como diferenciar boas oportunidades de armadilhas.  

 Bom, para começar, é importante não confundir os micos da bolsa com uma Small Cap. Os micos são empresas que não estão nada bem, muitas vezes em recuperação judicial ou em vias de falência. Para fugir delas, evite ações que valem apenas alguns centavos ou que perderam muito valor nos últimos meses. 

Os cuidados não devem ficar restritos apenas a correr dos micos. Para fazer um bom negócio, é importante entender bem o momento da empresa e do seu setor de atuação. Vale ter atenção à qualidade da comunicação da companhia com os seus acionistas. Boas empresas contornam a falta de cobertura de analistas criando uma excelente área de Relações com Investidores. 

Outro fator importante é estudar os fundamentos da empresa para determinar o valor da ação Small Caps levando em conta a saúde econômica, a qualidade da gestão e demais aspectos que possam ajudar a avaliar a capacidade de crescimento da companhia. É comum que empresas pequenas tenham alguma dívida relacionada a investimentos. 

Entretanto, vale checar a proporção entre uma possível dívida líquida e o patrimônio líquido, verificar a geração de caixa e analisar se o cenário macro-econômico é favorável para o setor. 

Além de saber quando comprar uma Small Cap, também é preciso ter atenção  à hora de vender. Existem duas situações em que a venda de uma ação desse tipo é recomendada.  A primeira é quando ela sobe e atinge seu preço justo e a segunda é quando o fundamento muda, ou seja, surge uma notícia ruim sobre a empresa ou um resultado que decepciona

Se você não sente segurança para investir sozinho/a em uma Small Cap, é possível fazer isso por meio de um ETF (Exchange Traded Fund). Essa seria uma estratégia mais diversificada.  

De qualquer forma, se você quiser conhecer mais sobre tipos de ações recomendadas para o seu perfil, não deixe de dar uma olhadinha nas páginas de produtos da Clear. 

Agora que você já conhece bem as Small Caps, que tal aproveitar as oportunidades do mercado com a especialista na Bolsa? Abra sua conta na Clear.