[xp_hellobar][/xp_hellobar]

Bolsa mudando de patamar [Fechamento semanal 25/10]

Bolsa mudando de patamar [Fechamento semanal 25/10]

Navegue por assunto


Confira o que aconteceu no mercado na última semana (21/10 a 25/10) e quais são as perspectivas futuras

Marcando a terceira semana consecutiva de alta (+2,52%), o Ibovespa não tomou conhecimento da faixa de 106 mil pontos e renovou máxima histórica, agora marcada em 108.083 pontos. Com isso, o mercado está em tendência de alta em todos os tempos gráficos e enquanto seguir acima dos 103 mil pontos esse cenário será conservado.

O principal driver para esse movimento foi a aprovação definitiva da reforma da Previdência pelo Senado, que deverá ser promulgada pelo Congresso até meados do mês que vem. Apesar do mercado precificar esse evento desde a eleição de Bolsonaro, apostando na concretização do viés liberal do governo anunciado na campanha, os investidores estrangeiros esperaram o fato ser consumado para voltar olhar mais de perto o mercado brasileiro.

Prova desta tese foi o fluxo positivo de US$ 126 milhões para o EWZ, ETF do Ibovespa negociado em Nova York, representando a maior entrada semanal em oito meses. Como “gato escaldado tem medo de água fria”, os gringos não se importam em até pagar mais caro pelo mercado brasileiro, mas sofrer um novo revés como nos últimos governos do PT definitivamente não está na tese de investimento.

O maior apetite dos estrangeiros, além de ser o propulsor do novo topo histórico, foi fundamental para a derrocada do dólar ao longo da semana, que retornou para a faixa de R$ 4,00 e tende a seguir esse movimento com o avançar da agenda de reformas, como com sinais mais concretos de recuperação da economia, dois gatilhos que quando destravados deverão impulsionar o nosso mercado ainda mais e abrir caminho para os gringos.

A semana também foi marcada pelo início da temporada de resultados, com destaque para os bons números da Petrobras, a expectativa de pagamento de dividendos pela Vale e a decepção com Ambev.

Destaques de alta/baixa do Ibovespa

Com valorização de 10,65%, as units do BTG (BPAC11) registraram a maior alta entre as ações negociadas no Ibovespa, em um processo de valorização junto com topo o setor financeiro e também recuperando-se da forte queda em vista das acusações de insider trading no vazamento de alterações da Selic entre 2010 e 2012.

Na ponta negativa, as ações da Cogna (COGN3), antiga Kroton, recuaram 8,65% diante da expectativa de números fracos para o terceiro trimestre e reagindo ao resultado abaixo do esperado das vendas de livros para o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), com expressiva perca de market share no segmento de ensino fundamental.

Calendário econômico para próxima semana

A última semana de outubro será extremamente importante para o rumo do mercado, uma vez que na quarta teremos a decisão de política monetária do Fed (15h00) e do Copom (18h00) com o mercado esperando por um corte de 25 pbs e de 50 pbs, respectivamente.

Mais cedo na quarta, precisamente às 9h30, será divulgada a preliminar do PIB norte-americano referente ao terceiro trimestre e o ADP Employment de outubro, enquanto às 22h00 será divulgado o PMI Industrial chinês de outubro.

Na quinta, logo pela manhã (7h00), será publicada a preliminar do PIB da Zona do Euro do terceiro trimestre e os dados de inflação de outubro, enquanto nos EUA será divulgado o PCE (índice de inflação mais acompanhado pelo Fed) de setembro às 9h30.

Por fim, na primeira sexta de novembro será divulgada a atividade industrial brasileira (9h00) de setembro e meia hora depois teremos o tradicional Relatório de Emprego de outubro.