Array

Array

Navegue por assunto


Ao entender como comprar BDR (Brazilian Depositary Receipt) e dominar as melhores estratégias para esse investimento, você expõe sua carteira a uma aplicação bastante atrativa.

Antes restritos ao investidor qualificado, em 2022, os BDRs se tornaram acessíveis também ao público em geral.

A mudança abriu um leque de oportunidades, principalmente para o investidor que busca diversificar sua carteira com exposição internacional.

Se você estava pesquisando sobre como comprar BDR, chegou ao lugar certo.

Ao longo deste conteúdo, você vai descobrir como a modalidade facilita a vida de quem pretende investir em empresas estrangeiras sem a necessidade de enviar dinheiro ao exterior.

Continue a leitura e descubra suas principais características, vantagens e também dicas para tomar as melhores decisões.

O que é e como funciona um BDR?

Para saber como comprar um BDR, você precisa entender o que é e como funciona esse tipo de ativo.

BDR é a sigla para Brazilian Depositary Receipts (ou Recibos Depositários Brasileiros).

São certificados de depósitos emitidos no Brasil por uma instituição financeira (chamada depositária), que representam ações de empresas estrangeiras ou fundos de índices (ETFs).

Ao comprar um BDR, portanto, você não investe diretamente nas ações da empresa do exterior, mas em um ativo lastreado que espelha a performance do papel.

Se a companhia tiver lucros e distribuir dividendos, você recebe os proventos correspondentes. Se a ação subir ou cair, os movimentos também refletem no BDR.

E ainda tem a variação cambial, que por si só influencia a cotação do BDR para cima ou para baixo.

Resumidamente, se o real se desvalorizar, o investidor brasileiro vê sua rentabilidade aumentar. Se ocorre o contrário, ela diminui.

Tipos de BDRs

Os BDRs são classificados em tipos e níveis diferentes, conforme a participação ou não da empresa na emissão dos papéis e de acordo com o nível de exigência de informações a serem prestadas.

BDR Patrocinado

O BDR Patrocinado é aquele que tem participação direta da empresa na emissão dos papéis no Brasil.

Geralmente, são companhias interessadas em captar recursos no mercado brasileiro.

A empresa, então, contrata uma instituição financeira depositária responsável por emitir os BDRs e acompanha todos os trâmites.

Minoria no mercado, os BDRs Patrocinados podem ser de níveis I, II e III, conforme veremos mais adiante.

BDR não Patrocinado

Os BDRs não Patrocinados são assim denominados porque não têm a participação da empresa.

Podem ser emitidos por mais de uma instituição financeira e são sempre classificados como Nível I.

São a maioria em negociação no mercado.

Níveis de BDRs

Além da divisão por tipos, os BDRs também são classificados em níveis, de acordo com a exigência de informações a serem prestadas ao mercado.

São eles:

BDR Nível I

Os BDRs Nível I (patrocinados ou não) são os menos exigidos pelos órgãos reguladores.

A empresa emissora das ações nas quais são lastreados os papéis nem precisa ter registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

A companhia também não precisa converter para moeda local suas demonstrações financeiras.

Basta que as informações obrigatoriamente divulgadas em seu país de origem sejam replicadas no Brasil, como fatos relevantes, editais de assembleia, dentre outras.

Podem ser negociados em mercados de balcão não organizados ou em ambientes específicos na bolsa de valores.

BDRs não Patrocinados são sempre Nível I.

BDRs Níveis II e III

Bastante semelhantes, os BDRs de Níveis II e III têm de cumprir outras exigências para serem emitidos e negociados no Brasil.

A empresa estrangeira precisa ser registrada na Comissão de Valores Mobiliários e seguir as mesmas normas de transparência e governança aplicadas às empresas locais da “Categoria A”.

Empresas de “Categoria A”, conforme a CVM, são aquelas autorizadas a negociar quaisquer valores mobiliários nos mercados regulamentados.

A principal diferença entre os BDRs Níveis II e III, de acordo com o órgão, é que o III “é registrado na hipótese de distribuição pública simultânea no exterior e no Brasil”.

Vantagens de investir em BDR

Entre as principais vantagens de investir indiretamente no exterior está a diversificação.

Apesar de os BDRs serem investimentos nacionais, emitidos e negociados no Brasil, estão relacionados ao desempenho de ativos e mercados estrangeiros.

Mas há outras boas razões para apostar na modalidade, como vamos ver agora.

Exposição ao mercado externo

Ao comprar um BDR lastreado em ações de uma empresa com sede em outro país, você está se expondo a ativos no exterior.

E faz isso sem a necessidade de abrir conta em corretora fora do país ou se preocupar com o envio de recursos e todos os custos inerentes ao processo.

O investidor de BDR também não precisa se preocupar com as questões fiscais além-fronteiras.

Mercados desenvolvidos, como o dos Estados Unidos, oferecem investimentos em setores que sequer têm representantes na bolsa brasileira.

Com os BDRs, o investidor tem um mundo de oportunidades à disposição.

Diversificação

Ao comprar BDR, você amplia a diversificação da carteira e substitui parte do risco de  bolsa no Brasil.

Ao mesmo tempo em que garante ganhos em momentos de mercado aquecido, um portfólio balanceado é resiliente em períodos de crise.

Comprar BDR vai exigir do investidor, obviamente, estudo para compreender as empresas e os mercados nos quais atuam.

É preciso também tolerância a oscilações, afinal, trata-se de renda variável.

Como investir em BDR? [Passo a passo]

A operação de compra e venda de um BDR é simples e fácil.

Inclusive, é semelhante à negociação de outros ativos, como ações e fundos imobiliários.

Mas, antes de enviar a ordem no home broker, você precisa atender a algumas etapas.

Vamos a elas!

1° passo: abrir uma conta em corretora

O primeiro passo para investir em BDR é abrir sua conta de investimentos em uma corretora de valores.

Ela é a instituição responsável por intermediar suas ordens de compra e venda.

Na Clear, você não paga taxa de corretagem nem de custódia, o que reduz significativamente os custos da operação.

Tem à disposição ainda uma plataforma completa e fácil de usar, com ferramentas para uma análise cuidadosa dos ativos.

O que está esperando? Abra sua conta agora. É grátis!

2° passo: transferir os recursos

Depois de abrir a conta na Clear, basta transferir os recursos e começar a operar.

É necessário que a conta de origem seja do mesmo titular.

Assim, a transferência ocorre por meio de uma TED como qualquer outra.

3° passo: escolher os BDRs

Com o dinheiro em sua conta de investimentos, é só escolher quais BDRs colocar na carteira.

Como você pode ver, o procedimento operacional é simples.

Mas, antes de tomar qualquer decisão de investimento, certifique-se de que os BDRs estão de acordo com seu perfil de investidor.

São papéis lastreados em ações negociadas no exterior, que estão sujeitas às oscilações da renda variável.

Além disso, há o fator cambial que deve ser considerado.

Portanto, é um investimento destinado a quem tolera (ou até gosta) de volatilidade.

Se você quiser saber mais sobre como investir em BDRs na prática, assista a este vídeo no canal da Clear no YouTube com os especialistas Roberto Indech e Pit Money.

BDRs das grandes empresas: confira as principais

Com a abertura para o público em geral, BDRs de gigantes, como Google, Amazon e Facebook, passaram a encabeçar a lista de preferência dos investidores.

De acordo com uma reportagem do InfoMoney, publicada em novembro de 2022, o volume negociado de BDRs saltou 80% um mês após a liberação para pessoa física, chegando a R$ 212 milhões por dia.

Os papéis mais transacionados foram de cinco empresas ligadas ao setor de tecnologia: Facebook, Apple, Amazon, Microsoft e Google, grupo que ficou conhecido pela sigla FAAMG.

A B3 tem um índice que representa os principais BDRs não Patrocinados negociados no mercado, o BDRx.

Além das empresas citadas acima, fazem parte do índice outras grandes companhias, como:

No canal da Clear no Youtube, Bea Aguillar explica como investir nessas e em outras empresas por meio de BDRs:

https://www.youtube.com/watch?v=uUA8H2GzIIou0026amp;ab_channel=ClearCorretora

BDRs 2022: veja os papéis que se destacaram

A quantidade de BDRs negociados na bolsa brasileira já supera o número de ações.

São mais de 670 papéis lastreados em ações estrangeiras para cerca de 400 ações.

Entre tantas opções, como escolher as melhores?

A resposta vai depender, em grande medida, do perfil e objetivos de cada investidor.

Mas é claro que há BDRs que se destacam.

Empresas como a Apple, que sozinha é maior que todo o mercado acionário brasileiro, estão na lista abaixo. Confira:

BDRs com mais liquidez

Os BDRs mais líquidos são aqueles com os maiores volumes diários de negociação.

Não raro, são de empresas renomadas.

A seguir, confira o desempenho dos BDRs mais líquidos da B3 após a liberação para os investidores em geral:

Qual melhor BDR para trader iniciante?

Se você é trader iniciante e quer aproveitar as oportunidades no mercado de BDRs para lucrar no curto prazo, uma boa opção são os papéis mais líquidos e com grau satisfatório de volatilidade.

Assim como em operações com outros ativos (ações e contratos futuros, por exemplo) é preciso dominar a análise técnica para identificar padrões gráficos que indiquem tendências.

É importante também conhecer de micro e macroeconomia e entender o que pode influenciar os preços dos ativos.

Se é o seu caso, os BDRs mais líquidos podem ser boas opções – lembrando aqueles que listamos antes.

Na Clear, você não paga taxa de corretagem, o que reduz significativamente as despesas das operações para traders.

Vale a pena investir em BDRs em 2022?

O acesso dos BDRs a todos os investidores ampliou, sem dúvida, as oportunidades do mercado.

Ficou muito mais fácil comprar empresas internacionais, sem investir diretamente no exterior.

Se você é um investidor que tem perfil compatível com os riscos da renda variável, entende ser necessário diversificar (inclusive geograficamente), investir em BDR pode valer a pena.

Antes de comprar os ativos propriamente, uma dica é investir em informação e conhecimento sobre o tema.

E atenção ao percentual da carteira.

Sempre que julgar necessário, não hesite em fazer o rebalanceamento.

Principais perguntas sobre BDR

Se você ainda tem dúvidas sobre os BDRs, é hora de acabar com todas elas.

Confira as respostas para as perguntas mais frequentes sobre esse investimento.

Código de negociação de um BDR, qual é?

Os BDRs são identificados por códigos compostos por quatro letras (que representam a empresa) e dois números.

O que são ADRs?

ADR é a sigla para American Depositary Receipt.

São recibos de ações emitidos nos Estados Unidos de empresas estrangeiras.

Assim como um brasileiro pode investir em um BDR de empresa americana, um americano pode investir em um ADR de uma companhia brasileira.

BDR no Imposto de Renda, como declarar?

O investidor que obtiver ganhos de capital com BDR precisa pagar 15% de Imposto de Renda sobre o lucro via DARF.

Não há isenção para vendas de até R$ 20 mil, como acontece com as ações.

Os dividendos eventualmente distribuídos são tributados conforme tabela progressiva do Imposto de Renda, determinada pela Receita Federal.

Investir em BDRs pode ser para você

Agora que você já sabe como comprar BDR, investir em empresas estrangeiras pode ser uma boa oportunidade para você.

Como vimos, ficou fácil aproveitar as oportunidades do mercado financeiro global, antes restritas a um público específico.

Com a Clear, você tem à disposição um arsenal de ferramentas para fazer sua própria análise, além de muita informação em nossos canais para evoluir em sua educação financeira.

E melhor: com custo zero.

Conclusão

Com este conteúdo, esperamos ter contribuído com informações e esclarecimentos sobre como comprar  BDR.

Nosso propósito é ajudá-lo a tomar suas próprias decisões.

Afinal, ninguém melhor do que você para cuidar do seu próprio dinheiro.

Aproveite para abrir sua conta na Clear e investir em BDRs e outros produtos de renda variável.

Seus objetivos financeiros ficam mais próximos quando você toma as melhores decisões.

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Interessado em saber se BDRs pagam dividendos? Saiba que você não é o único.

Afinal, receber um dinheiro diretamente na conta de vez em quando é sempre bem-vindo.

Quando você investe em BDR de uma empresa estrangeira, adquire um certificado de depósito emitido no Brasil que espelha o papel daquela companhia no exterior.

Portanto, quem compra BDR não entra para o quadro de acionistas. É um investidor indireto.

Mesmo assim, algumas garantias são asseguradas, como o direito de receber parte dos lucros da empresa.

Mas nem todos os BDRs pagam dividendos. Depende da política de cada empresa cuja ação lastreia o papel.

Quer saber como escolher os melhores BDRs pagadores de dividendos?

É disso que vamos tratar nas próximas linhas, então, não deixe de ler o artigo até o final.

Como funcionam os BDRs?

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) são certificados de valores mobiliários emitidos no Brasil que representam ativos listados no exterior.

Na maioria dos casos, os ativos são ações de empresas americanas, mas há BDRs também de fundos de índices (ETFs – Exchange Traded Funds).

Por meio desses certificados, os brasileiros podem investir em empresas de outros países sem a necessidade de enviar dinheiro ao exterior ou abrir conta em corretora estrangeira.

Trata-se de um ativo lastreado, ou seja, que espelha a performance da ação (ou ETF) que representa, além de ser influenciado pela variação cambial.

Duas instituições financeiras são envolvidas na emissão e negociação dos BDRs.

Uma fica no exterior (custodiante), guardando as ações a serem espelhadas, e outra no Brasil (depositária), que emite os BDRs.

Quer saber ainda mais sobre BDRs? Inscreva-se no curso “Tudo sobre BDR” da Xpeed.

BDRs pagam dividendos?

Apesar de o investidor de BDR não ser acionista direto e não poder participar das assembleias, por exemplo, ele tem direito aos dividendos.

Mas não são todos os BDRs que pagam dividendos (parte do lucro que as empresas distribuem aos acionistas).

Vai depender da política de cada companhia.

Algumas empresas que fazem parte do grupo das gigantes da tecnologia, por exemplo, nunca pagaram dividendos por ação. Logo, seus BDRs também não.

São empresas que preferem reinvestir todo o lucro em busca da aceleração do crescimento.

Se o seu interesse é investir em BDRs visando receber proventos periodicamente, terá de selecionar os bons pagadores de dividendos.

Vale ressaltar que os proventos recebidos por meio de BDRs estão sujeitos a regras tributárias específicas.

Enquanto, no Brasil, os dividendos são isentos de Imposto de Renda, nos Estados Unidos, eles são tributados na fonte à alíquota de 30%.

As instituições responsáveis pela emissão e funcionamento dos BDRs (custodiante e depositária) também ficam com um percentual dos dividendos.

E quando o dinheiro efetivamente cai na conta do investidor na corretora, é submetido a uma nova tributação: a da Receita Federal.

O Imposto de Renda aqui é pago conforme a tabela progressiva, podendo o investidor compensar a retenção feita no país de origem.

BDRs com maiores dividendos

estatua da liberdade, ao fundo a cidade de manhattan

Em busca de BDRs que pagam dividendos? Então as “big techs” não são para você.

Empresas do setor de tecnologia conhecidas mundialmente, como Google, Amazon e Netflix, não têm o hábito de pagar dividendos aos acionistas.

Um levantamento feito pela Economatica revela que apenas oito das 25 maiores empresas em valor de mercado nos Estados Unidos distribuíram parte do lucro nos últimos 10 anos.

Uma boa classificação para encontrar empresas americanas boas pagadoras de dividendos é o índice Dividend Aristocrats.

Para integrar o índice, a companhia precisa fazer parte do S&P 500 e ter pago dividendos crescentes por pelo menos 25 anos.

Diversas empresas que integram o índice têm BDRs negociados na B3, logo, estão acessíveis ao investidor brasileiro.

A seguir, confira alguns BDRs com os maiores dividendos, conforme levantamento da Economatica.

RIOT34 – Rio Tinto

Empresa britânica fundada em 1873, a Rio Tinto produz minério de ferro, carvão, alumínio, diamantes, dentre outros minerais.

Possui operações em mais de 20 países de cinco continentes.

A mediana do dividend yield dos últimos cinco anos foi de 7,62%.

C1TL34 – Centurylink INC

Com sede em Monroe (Estados Unidos), a Centurylink (Lumen Technologies) atua no setor de comunicação, serviços de rede, soluções em nuvem, dentre outros.

A mediana do dividend yield dos últimos cinco anos foi de 7,57%.

I1RM34 – Iron Mountain

Fundada em 1951 e sediada em Boston, a Iron Mountain Inc. é uma empresa americana de serviços de gerenciamento de informações empresariais.

A mediana do dividend yield dos últimos cinco anos foi de 6,49%.

S1TX34 – Seagate Technology PLC

Sediada em Scotts Valley, Califórnia, a Seagate Technology é uma fabricante americana de discos rígidos e unidades de fita. Foi fundada em 1979.

A mediana do dividend yield dos últimos cinco anos é de 5,76%.

O estudo considera o dividend yield no mercado dos Estados Unidos e não leva em conta os impostos a serem pagos pelos dividendos recebidos no Brasil.

BDRs pagadores de dividendos em 2020

Com base em dados disponíveis em algumas plataformas, é possível filtrar os melhores BDRs pagadores de dividendos em determinada janela de tempo.

Para uma análise mais apropriada, o investidor interessado em renda passiva deve observar também aspectos qualitativos do ativo e não apenas números.

Uma empresa pode entrar e sair de determinada lista que usa como base indicadores quantitativos sem que isso signifique piora ou melhora de seus fundamentos.

Com base em dados compilados por plataformas de investimentos, selecionamos os seguintes BDRs que pagaram bons dividendos aos investidores em 2020:

BOAC34 – Bank Of American Corporation

Em 2020, o BDR do Bank Of American pagou R$ 1,93 de dividendo.

Apresentava, na data da pesquisa, dividend yield de 6,35% considerando os últimos 12 meses.

MCDC34 – McDonalds

Pagou R$ 3,46 de dividendos em 2020.

Na data da pesquisa, apresentava dividend yield de 6,03% em relação aos últimos 12 meses.

PFIZ34 – Pfizer INC

Pagou R$ 4,14 em 2020.

Os proventos representavam dividend yield de 8,11% na ocasião da pesquisa.

COCA34 – The Coca-Cola Company

Pagou R$ 5,93 de dividendos em 2020.

Na data da pesquisa, apresentava um dividend yield de 2,16%, considerando os últimos 12 meses.

No total, 129 BDRs de empresas estrangeiras pagaram dividendos ao longo de 2020.

A pesquisa foi feita no dia 30 de novembro.

Vale ressaltar que dividend yield é um indicador que leva em conta os dividendos de um ativo em relação a seu preço de mercado.

Trata-se, portanto, de um percentual que é único para cada investidor.

Dependerá do quanto foi pago por cada BDR (yield on cost).

BDRs pagam dividendos mensais?

A regularidade no pagamento de dividendos dos BDRs varia de acordo com a política de distribuição de lucro de cada empresa.

Pode ser mensal, trimestral ou anual.

Se você está estruturando uma carteira com ativos geradores de renda e quer receber dinheiro direto na conta todo mês, a dica é escolher BDRs que pagam dividendos em diferentes períodos do ano.

Com alguma pesquisa, será possível montar um mapa e intercalar os ativos do jeito que achar melhor.

Outra opção é administrar por conta própria os recursos recebidos, de acordo com suas necessidades.

Vale ressaltar que mais importante do que o pagamento mensal é a análise do retorno anualizado.

BDRs para ficar de olho em 2021

Diante de tantas opções, surge a pergunta: como escolher os melhores BDRs para 2021 e aproveitar as oportunidades desse mercado.

A lista abaixo traz ativos selecionados com o objetivo proporcionar ganhos no longo prazo, tanto em dividendos quanto em valorização.

Ela tem caráter informação e não é uma recomendação de investimento.

Os BDRs se dividem entre os setores de comunicação, consumo, tecnologia, saúde e financeiro.

Motivos para investir em BDRs

Antes restrito a investidores qualificados, os BDRs se tornaram acessíveis ao público em geral no final de 2020.

Com isso, investir em empresas estrangeiras e turbinar o portfólio ficou muito mais fácil e prático.

Entre as vantagens dessa abertura de mercado, destacam-se:

Diversificação

Por meio dos BDRs, o investidor brasileiro pode diversificar sua carteira com exposição internacional sem precisar investir diretamente no exterior.

É possível comprar ativos de empresas que atuam em setores que sequer existem na B3.

Você escolhe se prefere empresas com expectativa de crescimento ou aquelas maduras, que pagam bons dividendos.

Facilidade

Outro aspecto que torna os BDRs interessantes é a praticidade do investimento.

O procedimento operacional é tão simples quanto comprar e vender uma ação.

Escolhidos os ativos, basta enviar a ordem pelo home broker da corretora e acompanhar o andamento.

Na Clear, você não paga taxa de corretagem nem de custódia para investir, o que reduz significativamente os custos da operação.

Não é necessário abrir conta no exterior, nem se preocupar com a transferência de dinheiro para outro país, o que pode acarretar custos extras com operação de câmbio e preocupações com procedimentos burocráticos.

Se você ainda não é cliente Clear, abra sua conta gratuitamente e negocie BDRs com custo zero.

Dividendos e ganhos de capital

É possível crescer o patrimônio investindo em BDRs de diferentes maneiras.

Dentre elas, podemos citar:

  1. Investindo em empresas lucrativas, líderes de mercado e em franco crescimento na busca por ganhos de capital
  2. Ou em boas pagadoras de dividendos, que distribuem constantemente parte dos lucros aos acionistas.

BDRs que pagam dividendos podem ser uma boa opção inclusive para compor uma carteira de longo prazo, essencial para a almejada independência financeira.

Como investir em BDRs na prática

Investir em BDRs na prática é simples.

A escolha é que demanda um trabalho prévio de muita pesquisa, principalmente se o foco for dividendos.

A seguir, confira como comprar bdrs:

1. Abrir conta em uma corretora de valores

O primeiro passo para negociar BDRs é abrir conta em uma corretora, que será a intermediária entre você e a bolsa de valores.

O processo de abertura de conta é muito simples e rápido, tudo feito pela internet.

Na Clear você abre sua conta gratuitamente e sem custos para investir (taxas de corretagem ou de custódia), além de ter à disposição uma plataforma completa de análise.

Se ainda não é cliente Clear, abra já sua conta e aproveite.

2. Transferir os recursos

O passo seguinte é transferir o dinheiro para a corretora.

A conta de origem dos recursos deve ser de mesma titularidade.

3. Escolher os BDRs

Com o saldo em conta, basta acessar o pit de negociação, escolher o BDR que deseja investir e enviar a ordem.

O procedimento é o mesmo de operações com outros ativos, como ações, contratos futuros ou fundos imobiliários.

Investir em BDRs pode ser para você

Investir em BDRs, inclusive os que pagam dividendos, está ao alcance de todos e pode ser uma boa alternativa para você.

Antes de tomar a decisão, certifique-se de que o tipo de ativo está de acordo com seu perfil de risco e objetivos.

BDR tem como lastro ações de empresas estrangeiras, logo, é renda variável.

Além das oscilações de preços nas bolsas internacionais, a variação cambial também influencia os preços aqui no Brasil.

Se você tem perfil arrojado, compreende a dinâmica do mercado e tolera volatilidade, tem à disposição um leque de oportunidades para explorar.

Conclusão: vale a pena investir em BDRs?

O propósito deste artigo é deixar você bem informado e contribuir com a sua tomada de decisão sobre investir ou não em BDRs.

A liberação dessa classe de ativos para todos os investidores é uma boa notícia, mas liberdade de escolha requer responsabilidade e preparo.

Se seu objetivo é investir em empresas estrangeiras com foco em dividendos, dedique tempo a uma análise cuidadosa e vá além dos rankings estatísticos.

Investigue os fundamentos da companhia, o setor de atuação e os fatores micro e macroeconômicos que possam influenciar seu desempenho.

Feito o dever de casa, certamente, investir em BDRs valerá a pena e contribuirá para a multiplicação do seu patrimônio no longo prazo.

Gostou do artigo? Então, comente e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Aproveite para conferir outros conteúdos sobre as diversas oportunidades do mercado financeiro no blog da Clear.

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Uma das principais vantagens investir em BDRs é a facilidade de investir em ativos com cotas listadas no exterior.

A B3 e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciaram a flexibilização das regras relacionadas a BDRs – Brazilian Depositary Receipts.

Os BDRs são certificados de depósito de valores mobiliários. Eles são títulos emitidos no Brasil, mas que representam outro valor mobiliário no exterior. Portanto, ao investir em BDRs você assumirá a posição similar caso fizesse o investimento nos mesmos ativos que eles representam.

As novas regras, que entrarão em vigor a partir de setembro, facilitam o acesso aos BDRs para os investidores. O novo projeto traz benefícios para o mercado de capitais e para o investidor brasileiro.

Entenda o que é BDR, como ele funciona e o que mudou para investir nesse tipo de título.

O que é BDR?

BDR é a abreviação de Brazilian Depositary Receipts que são certificados que representam ações emitidas por empresas em outros países, mas que são negociadas no Brasil. Ou seja, ao investir em BDR você não compra a ação da empresa no exterior diretamente. Você investe em títulos que representam esses papéis.

Essas ações existem no mercado externo, mas precisam ficar depositadas e bloqueadas em uma instituição financeira. A essa instituição chamamos de custodiante, pois ela faz a guarda das ações.

Existe também uma instituição financeira que assegura o bom funcionamento de todo esse sistema. Ela é responsável por emitir os BDRs aqui no Brasil. A essa instituição chamamos de depositária.

Funcionamento dos BDRs

Assim como ações, os BDRs são negociados na B3. Para isso acontecer, a instituição depositária precisa comprar as ações da empresa no exterior. Por sua vez, essas ações ficam depositadas na conta de uma instituição custodiante.

Após isso, a instituição depositária registra um programa de distribuição de BDRs na CVM. Só assim poderá emitir os recibos no Brasil.

Tipos de BDR

Os BDRs podem ser divididos em dois grandes grupos de acordo com a forma como são trazidos para serem negociados no mercado brasileiro: os patrocinados e os não patrocinados.

BDRs Patrocinados

Os BDRs patrocinados são aqueles em que a empresa emissora das ações participa do programa. Ela mesma contrata a instituição depositária, pois é de seu interesse participar do mercado brasileiro e ter investidores no país. Ou seja, ela por opção própria quer lançar BDRs no Brasil.

Esse tipo é subdividido em três níveis, separados de acordo com o tipo de distribuição e o volume de informações obrigatórias que devem ser disponibilizadas sobre as empresas emissoras.

Nível I

Esse tipo de BDR não precisa de registro de companhia na CVM. Porém, só podem ser negociados em mercados de balcão não organizado ou ainda em segmentos criados especificamente para esse tipo de papel.

Esse tipo de oferta costuma ser menos burocrático e mais simples, porém apenas 50 investidores podem comprar os papéis. Se a distribuição for feita em oferta pública, precisa ser de “esforços restritos”.

Níveis II e III

Para esses dois tipos a empresa emissora dos títulos precisa obter o registro na CVM. Além disso, as ações podem ser negociadas no pregão da Bolsa ou em balcão organizado.

As empresas emissoras desses títulos devem seguir as mesmas regras de transparência e governança estabelecidas para empresas brasileiras registradas na CVM na Categoria A – que é a categoria onde se encaixa a maioria das empresas mais conhecidas das Bolsa.

A principal diferença entre os tipos II e III é:

BDRs Não Patrocinados

Os BDRs não patrocinados não tem a iniciativa de serem lançados por parte da empresa emissora dos títulos, mas sim da própria instituição depositária. A maioria dos BDRs existentes no mercado brasileiro são desse tipo.

Portanto, não existe necessariamente um acordo com a companhia emissora dos títulos. A instituição depositária oferece esses BDRs para diversificar as opções de investimento para seus clientes.

O que muda a partir de outubro/2020

Atualmente, já existem mais de 10 mil investidores atuando nesse mercado. Mas a expectativa é de que esse número aumente ainda mais, já que as regras para investir em BDRs vão mudar a partir de setembro.

Segundo as novas normas, qualquer investidor poderá investir em BDRs Não Patrocinados – que antes eram restritos apenas para investidores qualificados. Ou seja, agora qualquer investidor interessado nos títulos, poderão incluí-los em sua carteira e contar com essa alternativa para diversificar os investimentos.

Com a nova regra, o investidor brasileiro contará com mais de 670 BDRs listados do mundo todo disponíveis para investir. E será possível investir em um padrão de negociação menor: investir em 1 BDR e não em 10, como era antes.Isso garantirá mais liquidez ao mercado e maior acesso aos investidores.

Vantagens de investir em BDRs

A foto mostra uma mulher asiática olhando para o celular em suas mãos, com um sorriso, enquanto pesquisa sobre bdrs.

Uma das principais vantagens de alocar seu capital nesses títulos é a facilidade de investir em ativos com cotas listadas no exterior. Diferente de investir em ações listadas em mercados internacionais, processo no qual é preciso abrir conta em uma corretora estrangeira e fazer uma remessa internacional, investir em BDRs é muito simples e prático. Você consegue investir pela sua corretora brasileira, geralmente pelo mesmo sistema onde investe em ações.

Além disso, o investimento é feito em reais embora as ações de origem possam ser cotadas em outras moedas. Ou seja, você também não precisará se preocupar com taxas extras de transferência de recursos e troca de moeda.

E investir em títulos internacionais é uma ótima opção para diversificar sua carteira. Isso pois existem ótimas oportunidades de investimentos no mercado internacional. Por exemplo, a Bolsa Americana se recuperou muito mais rápido da crise do coronavírus do que a Bolsa Brasileira, e em setembro de 2020 a Nasdaq e S&P 500 renovaram suas máximas históricas. Além disso, as grandes e conhecidas empresas como Google, Apple e Amazon estão listadas na bolsa americana e podem trazer bons retornos.

Portanto, os BDRs são uma forma simples para diversificar seus investimentos em papeis internacionais.

Quais são os riscos de investir em BDRs?

Vale lembrar que, como todos os investimentos de renda variável, investir em BDRs implica em riscos. Esses títulos, como as ações, têm alta volatilidade. Ou seja, seus preços mudam de acordo com diversos fatores externos e não são previsíveis.

Portanto, não são todos os tipos de investidores que podem investir em BDRs. Esse tipo de investimento é indicado para o investidor arrojado, que tem mais tolerância ao risco.

Além disso, assim como investir em ações, investir em BDRs exige que o investidor dedique um tempo para estudar sobre a empresa em que está alocando seu dinheiro. O ponto que pode dificultar o processo nesse caso é que muitas dessas empresas disponibilizam os materiais apenas em outros idiomas, já que não são empresas brasileiras.

Custos e tributação

Para investir em BDRs deve-se pagar algumas taxas:

Em relação ao Imposto de Renda (IR) a tributação é de

15% sobre o ganho obtido na negociação de compra e venda.

Se houver distribuição de proventos pela empresa em seu país de origem, eles serão repassados aos investidores aqui no Brasil, mas seguindo as regras de tributação de lucros específicas de cada local.

A CVM ainda vai formalizar as informações e datas sobre as novas normas sobre os BDRs. Mas o mercado está ficando cada vez mais flexível e acessível a diferentes tipos de investidores.

Clique e abra sua conta na Clear