Array

Array

Navegue por assunto


Você já ouviu falar no Retail Liquidity Provider, também conhecido como RLP?   

O RLP trata-se de um serviço gratuito do sistema da B3 que traz mais liquidez para as operações da Bolsa de Valores, como minicontratos e ações. Ele está disponível desde o dia 5 de agosto de 2019 e é autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

O produto está disponível na Clear, apresentando benefícios como liquidez nas ofertas de minicontratos de índice e de dólar e execução de ordens dentro do melhor preço desejado e de forma fácil, rápida e prática. 

Além disso, o RLP é muito utilizado em outros países, mas muitos investidores brasileiros ainda não conhecem muito sobre a operação.  

Quer saber como ele funciona e quais são seus benefícios? Acompanhe este conteúdo! 😉 

O que é RLP (Retail Liquidity Provider)?

RLP é um provedor de liquidez que dá mais rentabilidade para os traders e investidores pessoa física que operam minicontratos, como de índice e dólar. Em português, a sigla significa Provedor de Liquidez para o Varejo.  

Na Clear, esse produto funciona por meio do Algorithmic Trading — um serviço que não apresenta custos e a corretora sinaliza para a B3 as ordens que devem ser executadas com maior liquidez, ou seja, com melhor preço e/ou melhor volume possível. 

Essa modalidade de serviço é muito conhecida e utilizada em outros países, como nos Estados Unidos — que foi regulamentada em 2012. 🌐

 A foto mostra um homem sorrindo, vestindo um moletom verde. Ele está usando um notebook, em referência a operação do RLP.

Como funciona o RLP?

Esse provedor de liquidez trabalha com operações no mercado futuro, envolvendo dois tipos de investidores: aquele que venderá um contrato com vencimento em prazo subsequente e outro que comprará o título.  

Portanto, a corretora atua como contraparte das negociações, facilitando essa compra e venda de ativos. Esse facilitador traz ótimos benefícios nas operações, como menores preços e maior liquidez.  

Por exemplo, sem o RLP, um investidor pessoa física ou trader precisa vender um lote maior de minicontratos e pode encontrar baixa liquidez em seus ativos. Nesse cenário, a pessoa teria que realizar a venda em lotes menores — o que pode ocasionar diferentes preços para cada operação, afetando também o cálculo do seu lucro médio. 

Sabendo disso, detalharemos melhor as vantagens desse tipo de serviço oferecido pela Clear. Confira cada uma delas! 👇 

5 benefícios do RLP (Retail Liquidity Provider)  

Agora que você entende um pouco mais do RLP, é possível ter em mente que esse produto é bastante interessante para os investidores.  

Quem opera esse ativo pode ter muitas vantagens, como uso de plataformas gratuitas, acesso direto à mesa de operações e entre outras recompensas. 💡 

Sabendo disso, entenda alguns dos seus principais benefícios:  

1. Performance

Como comentamos, esse novo sistema aumenta a liquidez nas operações de mini índice, minidólar e das ações participantes. Esse é um dos principais objetivos do RLP, sendo um grande atrativo para aqueles que buscam aumento de liquidez dos ativos negociados

Uma vez que as corretoras atuam como parte das negociações, o investidor ou trader sempre poderá encontrar ofertas que atendam suas necessidades. 

2. Preço

A partir dessa modalidade, o cliente terá uma melhora no preço de execução das ordens. 

Dessa forma, ao operar minicontratos de índice e dólar, o investidor tem acesso aos ativos por um preço igual ou melhor ao preço disponível no book de ofertas. 

Por exemplo, considerando que o investidor envie uma oferta de compra de 5 contratos onde, no livro temos apenas 2 contratos no primeiro nível. Essa pessoa executaria 2 contratos no preço do primeiro nível e os 3 contratos restantes no segundo nível do livro, fazendo um preço médio entre essas execuções.  

Com o RLP, esta mesma oferta será executada totalmente no preço do primeiro nível do book. Isso porque os 3 contratos remanescentes serão executados pelo RLP no mesmo preço do primeiro nível. 

No vídeo a seguir, você pode ficar mais atualizado sobre minicontratos. Confira! 

3. Otimização

O RLP atende todas as suas ordens a mercado no primeiro nível de preço e reduz os custos operacionais dos seus investimentos. Dessa forma, ele otimiza a rentabilidade e a performance

4. Eficiência

Outra vantagem de peso é a eficiência que essa ferramenta é capaz de proporcionar nas operações. Com o RLP, a tendência é da execução de volumes maiores sem afundar o livro.  

5. Transparência

Por fim, além de ser um serviço oferecido pela Clear, o RLP é auditado pela CVM. Logo, todas as operações realizadas por meio dele são divulgadas mensalmente pela corretora.  

Então, são muitos benefícios, concorda? 😉   

Parece difícil, mas é simples: todos os negócios fechados via RLP terão como contraparte a corretora, ou seja, as operações são feitas “dentro de casa” com a carteira própria de clientes.  

RLP BOVESPA 

A partir do dia 31/01/2022 o RLP passou a valer também para essas 20 ações listadas na Bolsa:  

  1. PETR4  
  2. ITUB4  
  3. ABEV3  
  4. VAMO3  
  5. AGRO3  
  6. CASH3  
  7. RDOR3  
  8. BMOB3  
  9. DASA3  
  10. APER3  
  11. VALE3  
  12. BBDC4  
  13. BBSE3  
  14. ARZZ3  
  15. ROMI3  
  16. BIDI4  
  17. ASAI3  
  18. MODL11 
  19. BLAU3  
  20. ALLD3  

⚠️ Importante: o RLP só poderá ser ativado em operações de day trade e lotes padrões. Ele funcionará da mesma maneira que já detalhamos neste conteúdo. Ou seja, acionar o RLP aumentará a liquidez e garantirá execução a preços iguais ou melhores do que os preços no livro de ofertas. 💰  

Como aderir a RLP?

Para clientes Clear a adesão é muito simples. Veja:  

  1. Acesse o Clear Pro de negociação; 
  2. Clique no número da sua conta; 
  3. Em seguida, adicione a operação RLP.  

Pronto, sem segredos! 😎  

Viu como é fácil obter maior liquidez com a ajuda de uma corretora que oferece o Retail Liquidity Provider? Agora que você entende sobre o tema, é possível movimentar maiores lotes de minicontratos e otimizar suas operações. 

E aí, bora começar a investir? 🚀  

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


mulher de cabelos curtos de costas mexendo em tablet

Quando falamos em Bolsa de Valores, logo pensamos em ações. Porém, nem só de ações vive um trader. Pelo menos não necessariamente. Muitos investidores optam também por operar minicontratos, negociados no mercado futuro. 

Se você ainda não tem esse tipo de investimento na sua carteira, confira quais são suas características, vantagens e riscos e avalie se esse investimento pode ser para você!  

Minicontratos: O que são? 

Antes de mais nada, precisamos entender o que são. Em resumo, esses contratos são acordos de compra e venda de ativos como uma moeda, um índice ou commodities, negociados na Bolsa de Valores, que serão concretizados no futuro.  

Nesse acordo, é determinado um valor para uma compra ou venda que será realizada em uma data também pré-definida. Esse estilo de negociação surgiu da necessidade de abrandar riscos do mercado agrícola.  

Com os contratos futuros, os agricultores vendem a produção antes mesmo da colheita e garantem o melhor preço de mercado. Essa operação para travar o preço de um ativo é chamada de hedge

Basicamente, o mercado futuro conta com dois tipos de investidores: pessoas que buscam reduzir os riscos de suas operações e os especuladores, que possuem a capacidade de prever movimentos do mercado. E é dessa última forma que um trader pode lucrar. 

O mercado futuro é uma das principais apostas de quem atua no Day Trade, principalmente nos mercados de índice e dólar.  

Em um contrato futuro de dólar, é como se o investidor estivesse estimando quanto estará valendo o dólar daqui a 1 mês. Já no índice, compradores e vendedores combinam uma cotação para o contrato relacionado ao Índice Bovespa em uma data futura. 

Entretanto, os contratos cheios de índice e de dólar não estão ao alcance da maioria dos pequenos investidores. Um contrato cheio de dólar equivale a US$ 50 mil e o mínimo que se pode operar é um lote de cinco contratos, ou seja, US$ 250 mil.  

Já no índice, cada contrato vale aproximadamente R$ 75 mil e o lote padrão mínimo também é de cinco contratos, totalizando R$ 375 mil. 

Ganhe dinheiro operando minicontratos com corretagem ZERO. Abra sua conta agora! 

Minicontratos e suas vantagens

Muito bem, mas e se você não tem US$ 250 mil disponíveis para investir? Foi pensando em você que os Minicontratos foram criados em 2011.  

Essas aplicações tornam o mercado futuro acessível para pessoas físicas, pois representam a possibilidade de negociar apenas uma fração dos contratos cheios. 

Os ativos que dominam os Minicontratos são o Mini Índice e o Minidólar.  

No índice, os R$375 mil necessários para operar um contrato cheio caem para cerca de R$ 14 mil no Mini Contrato. Já no Minidólar, o valor de um contrato é de US$ 10 mil. Para ambos, o lote mínimo é de apenas 1 contrato. 

Além disso, nos contratos do mercado futuro, o investidor tem a oportunidade de operar alavancado, ou seja, não é necessário ter em conta o valor total de um Mini Contrato para poder operá-lo.   

As corretoras pedem apenas uma margem de garantia equivalente a uma determinada variação da cotação, caso seja preciso cobrir um prejuízo. Com isso, é possível entrar nesses investimentos com apenas cerca de R$ 100,00. 

Assim, pelo fato de poderem ser operados com uma quantia baixa de dinheiro, muita gente usa os minicontratos para ganhar com a oscilação do preço destes ativos ao longo do pregão, realizando operações de compra e venda no mesmo dia.  

Alta liquidez

A alta liquidez é outra vantagem dos minicontratos.  É fácil e rápido entrar e sair do mercado por conta do volume de negócios que ocorrem todos os dias. 

Minidólar e Mini-Índice: principais diferenças

Antes de começar a negociar Mini Índice e Minidólar, é muito importante conhecer as diferenças entre esses contratos e as ações. Esse entendimento é crucial para o sucesso nas operações. 👇 

Tanto o Mini Índice como o Minidólar se movem em pontos, diferente das ações, que se movem em centavos. Esses pontos equivalem a um valor em dinheiro.  

No caso do Mini Índice, cada ponto vale R$0,20 e a movimentação mínima é de 5 em 5 pontos. Sendo assim, negociando um único contrato, a cada 5 pontos a movimentação equivale a R$1,00.  

Já o Minidólar se move de meio em meio ponto. Cada meio ponto vale R$5,00. Portanto, a variação de um ponto inteiro é igual a R$ 10,00. 

Siglas e vencimentos: Mini-Índice e Minidólar

Outros aspectos dos contratos que são bem diferentes das ações são as siglas e os vencimentos. Ao negociar uma ação, o trader usará sempre o mesmo código. No caso de ações do Itaú, por exemplo, o código utilizado será invariavelmente ITUB4.   

Já no mercado futuro, todos os contratos têm vencimentos. No dólar, por exemplo, todo mês tem um contrato diferente para negociar e o vencimento é no último dia de cada mês.  

Enquanto isso, no índice os contratos vencem a cada dois meses, na quarta-feira mais próxima do 15º dia do mês de vencimento. Esses diferentes vencimentos alteram as siglas que são usadas para negociar os contratos. 

Um minicontrato, tanto de índice quanto de dólar, tem a sua sigla seguida pela letra que representa o mês de vencimento e o número do ano. 

Confira nas tabelas abaixo como são formadas essas siglas: 👇 

Sigla do ativo Mês de vencimento Letra 
Índice = IND Fevereiro 
Abril  
Junho  
Mini Índice = WIN Agosto 
Outubro  
Dezembro  
Acrescenta-se o ano (2019=19) e teremos, por exemplo, WINQ19, para um contrato de Mini Índice com vencimento no mês de agosto de 2019.   
Sigla do ativo Mês de vencimento Letra 
Dólar = DOL Janeiro 
Fevereiro  
Março  
Abril  
Maio  
Junho  
Minidólar = WDO Julho 
Agosto  
Setembro  
Outubro  
Novembro  
Dezembro  
Acrescenta-se o ano (2019=19) e teremos, por exemplo, WDOJ19, para um contrato de Minidólar com vencimento no mês de abril de 2019.   

Ajuste do pregão 

Para quem resolve fazer Swing Trade (operações de mais de 1 dia) em dólar e índice, todo lucro e prejuízo são realizados no fechamento do pregão, no chamado ajuste diário.  

Quem teve lucro, recebe o retorno. Quem teve prejuízo, é descontado enquanto estiver posicionado. Com isso, o investidor só ganha ou paga a diferença do minicontrato daquele dia, o que viabiliza as operações para quem tem pouco capital. 

Horário

Outra diferença entre Minicontratos e ações é a questão do horário de negociação. Enquanto as ações só começam a ser negociadas às 10:00, os contratos já podem ser operados desde às 9:00, na abertura do mercado. ⏰ 

Crie a melhor estratégia

Ganhar ou perder neste mercado depende de estudos e estratégias. Apesar da margem de garantia exigida pelas corretoras ser pequena, para operar é válido ter um valor em conta um pouco maior que o necessário. Assim, é possível realizar suas operações com mais respiro, já que a curva de aprendizado pode demorar um pouco.  

Além disso, vale ter cuidado com a alavancagem. Lembre-se que ao se posicionar alavancado, você estará investindo um dinheiro que não é seu. Portanto, os ganhos podem ser multiplicados, mas as perdas também. 👀 

Como em todo investimento de renda variável, para operar Minicontratos é necessário investir em um bom gerenciamento de riscos, com estratégias bem definidas de stop loss e stop gain.  

É imprescindível que o trader tenha conhecimentos de análise gráfica e técnica para reconhecer o momento certo de abrir ou fechar uma posição e obter bons resultados. 

Antes de ir para o mercado, é muito válido testar como funcionam esses contratos. Procure uma plataforma de simulação na qual é possível operar no modo demo para entender a dinâmica desses contratos. 

Plataforma Zero para operar minicontratos 

Se você quer começar a investir em minicontratos, a Clear tem ainda mais um estímulo: a campanha de Plataforma Zero. 

Ao realizar pelo menos um minicontrato com RLP ativo no mês de contratação, seja ele de índice ou de dólar, você está elegível à campanha e terá a gratuidade de uma plataforma para operar. 

Pronto, sem segredos, só sucesso! 

Mas, vale ressaltar que, caso a operação não seja elegível para a campanha (ou seja, se, no mês de contratação, não for realizada uma operação de um minicontrato com RLP ativo), o valor integral da plataforma será cobrado no quinto dia útil do mês subsequente.  

Algumas das plataformas que se aplicam são: 

Além de muitas outras. 

Importante: A gratuidade é válida somente para uma plataforma, no caso, a de maior valor. 

Não deixe essa oportunidade passar, aproveite agora mesmo! A campanha irá durar 12 meses, podendo ser cancelada a qualquer momento com aviso prévio de 30 dias. 

Bora pra cima com a Clear! 🚀 

Invista em minicontratos com a Clear 

Ainda tem dúvidas sobre como começar a investir em minicontratos? Separamos um vídeo para você perder a insegurança: 

Na Clear, você investe em diversos ativos de renda variável sem pagar corretagem. Abra sua conta

Array

Array

Navegue por assunto


Descubra as 5 dicas para operar minicontratos do nosso influencer Lucas Pit, do canal Pit Money

Muitos traders ficam em dúvida sobre como dar os primeiros passos na Bolsa de Valores, principalmente nos produtos mais líquidos do Mercado Futuro, que são os minicontratos de dólar e de índice.

Por esse motivo, decidi compartilhar cinco dicas para operar minicontratos que eu custei a aprender e que podem ser fundamentais para que você possa otimizar suas operações.

Quer operar minicontratos sem pagar corretagem? Então, abra sua conta na Clear e comece a operar com taxa zero.

Dicas para operar minicontratos

1. Ter humildade para aprender com quem é mais experiente

Uma das primeiras dicas para operar minicontratos é aprender com quem entende de verdade do assunto. Diariamente, os analistas da Clear sugerem trades nas salas de análise para os clientes da corretora. Logo, dependendo do módulo que você decidir operar, a Clear disponibilizará uma sala com os melhores especialistas sobre o assunto.

Para minicontratos de dólar, por exemplo, você pode acompanhar a sala do analista Neto, e para minicontratos de índice, as salas dos analistas Igor e Charlles.

Acesse a página de analistas da Clear e conheça melhor a história de cada um deles.

2) Ter a sua estratégia bem definida

Na hora de definir sua estratégia, você precisa estar focado apenas em definir qual tática será utilizada, sem pensar em operar. Já na hora de operar, você deve exclusivamente executar o que foi planejado e não ficar “replanejando” sua estratégia durante o horário de pregão.

Ao fazer isso, você acaba atrapalhando um fator importantíssimo para o sucesso do trader em seus tradings, que é a racionalidade ao operar.

Uma coisa que funcionou para mim, mas que aprendi apenas depois de muitos anos de trading, foi que as melhorias e ponderações sobre os resultados vinham de forma bem mais produtiva e rentável quando eu me organizava enquanto o pregão estava fechado.

Então, após fazer os ajustes finais na minha estratégia, eu imprimia a nova estratégia e colava na parede com um durex mesmo. A partir disso, eu utilizava esse Trading System como um “plano de voo” ou um “manual de operações” nos momentos de stress.

Apesar de parecer boba, essa foi uma prática fundamental para mim, isso porque, depois que a Bolsa abre, se você está num dia ruim, sua emoção se sobrepõe a razão, fazendo com que você acabe fazendo o oposto do que tinha se proposto a fazer. Além disso, é importante se lembrar que na Bolsa, torcida não ganha jogo, mas sim uma boa estratégia e disciplina para executá-la.

3. Entender que ninguém compra na baixa e vende na alta sempre

Se alguém soubesse fazer isso, ficaria mais rico que o Warren Buffett já no ano que vem, pois as Bolsas Mundiais giram trilhões de dólares por dia, ainda mais considerando a alavancagem dos contratos futuros.

No meu caso, eu acertava por volta de 55% dos meus trades apenas, e, mesmo assim, consegui ser bem-sucedido.

Isso porque, quando eu acertava uma tendência, eu ficava mais tempo posicionado e ganhando mais dinheiro, já quando eu errava uma tendência, eu decidia stopar mais cedo.

Depois que eu aceitei esse fato e parei de tentar construir um modelo perfeito – o que não existe, pois o exemplo costuma ser uma simplificação da realidade – meus resultados mais do que dobraram.

4. Importância de colocar um Stop Loss

Na hora de escolher o seu limite de perda por operação (ou por dia), tente defini-lo de uma forma que, mesmo após ser stopado, você ainda tenha saldo de sobra para continuar executando as operações necessárias para se recuperar.

E lembre-se: cada pessoa define um tipo e uma magnitude de stop diferente. No meu caso, eu desenvolvi um stop que não era fixo nem móvel, mas um stop gráfico.

Então, eu definia a minha direção (comprado ou vendido) no gráfico semanal e escolhia meu stop quando o gráfico diário divergia do gráfico semanal. Logo, não importa qual tipo de stop você utilize, o essencial é que você tenha algum.

5. Aprender que compra é compra e venda é venda

Por fim, o último item da lista de dicas para operar minicontratos é entender que compra é compra e venda é venda.

Em produtos de alta liquidez, como os minicontratos de índice e de dólar, o spread inexistente no book deve ser utilizado a seu favor. Isso porque, nesses produtos o trader sabe que ele só ficará de fora do trade, caso ele cometa um erro muito grave ou seja muito ganancioso.

Portanto, quando o meu modelo me mandava comprar, eu comprava a mercado, e quando ele me mandava vender, eu vendia a mercado.

Pode parecer óbvio, mas quando ainda se pagava corretagem, muitos traders tentavam pagar as taxas envolvidas na operação com aqueles pontinhos a mais que conseguiriam comprando um pouco mais barato e vendendo um pouco mais caro. Porém, muitas vezes, o mercado ia embora e esses traders acabavam deixando passar ótimas oportunidades, que dariam um valor considerável, por causa de merreca.

Por fim, minha dica é: evitem a típica economia barata e aproveitem a corretagem zero da Clear para executar suas ordens e fazer sempre o que deve ser feito, sem chorumelas.

Gostou das minhas dicas para operar minicontratos? Abra sua conta na Clear e experimente operar com corretagem zero.

Um beijo em vossos corações.

Clique e abra sua conta na Clear