Array

Array

Navegue por assunto


Sabemos que quem opera na Bolsa de Valores está sempre buscando formas estratégicas de otimizar seu lucro. Não seria excelente comprar uma ação por um preço e vendê-la no mesmo dia por um valor, digamos, 10% mais alto? O day trade traz, de fato, esta possibilidade. 

Nesse conteúdo, explicaremos o que é day trade e quais são as condições envolvidas nele. Além disso, listamos seis bons motivos para você começar a operar no day trade, bem como os riscos de se tornar um trader, que é a pessoa que opera nessa modalidade. Aproveite e fique bem informado para melhorar e diversificar suas operações.  

Vamos lá? 😉 

O que é Day Trade? 

A operação de compra ou de venda de ativos da Bolsa de Valores em curto prazo leva o nome de trade. São dois os tipos de trades: o swing trade e o day trade. O primeiro se refere  à negociação que tende a  acontecer em alguns dias, ou mesmo em semanas.  

E o que significa day trade? Como o próprio nome indica, day trade é a negociação de compra ou de venda de ativos da Bolsa que acontece no mesmo dia. 

Tanto as operações de swing trade como de day trade são realizadas por meio de um Home Broker de uma corretora de valores. Quem quiser operar no day trade precisa depositar um valor na sua conta da sua corretora para abrir posições no mercado financeiro

É importante pontuar que o day trade tanto pode trazer excelentes resultados no mesmo dia em que a operação é realizada, como também pode trazer grandes perdas. Portanto, é preciso saber fazer este tipo de operação, estar bem informado, utilizar as ferramentas disponíveis e contar com a assessoria de analistas experientes, sobretudo no caso de traders iniciantes

A operação no day trade é relativamente simples. Veja um exemplo: 

👉 Às 10h30, o trader compra um determinado lote de ações a R$18,00 cada papel.  

👉 Três ou quatro horas depois, esta ação subiu para R$19,80, e, então, as ações são vendidas.  

👉 O lucro foi de 10% sobre cada papel negociado. O x da questão é saber o momento certo para comprar ou vender os ativos, dentro de um mesmo dia, a fim de obter lucro imediato. 😉 

O day trader, vale pontuar, é o profissional que opera no day trade. 

6 motivos para começar com Day Trade:

Dois homens sentados em frente a uma mesa, observando anotações em um caderno. Um deles segura um tablet exibindo gráficos de ações. À frente dos dois há um notebook exibindo outro gráfico.
Veja porque mais e mais pessoas estão se tornando traders.

Mas será que o day trade vale a pena? Apresentamos, agora, seis motivos para começar a operar . Ao final da leitura desses tópicos, você mesmo pode responder se vale a pena. 

#01 Chance de ganhos altos a curto prazo 

É claro que não há garantia alguma, mesmo porque a alta volatilidade é uma das principais características do mercado de ações, mas é possível, sim, ganhar um bom dinheiro operando no day trade.  

Quando uma operação de day trade é bem-sucedida, o trader recebe seu ganho imediatamente. Não é preciso esperar dia algum para colocar a mão no dinheiro e fazer com ele o que bem entender (inclusive reinvestir). 

#02 Alta liquidez 

A alta liquidez é outra característica da Bolsa de Valores, e quem opta pelo day trade pode se beneficiar disso. As ações têm alta liquidez e dependendo das escolhas é possível negociá-las muito rapidamente. O lucro fica disponível de forma imediata. Portanto, no day trade é possível ganhar com a compra ou com a venda de ações, com alta liquidez. 

#03 Controle do prejuízo 

Por meio de técnicas como o stop loss, por exemplo, quem opera na modalidade day trade  pode controlar o prejuízo de uma operação. Contar com uma base de controle de risco ao negociar com renda variável é sempre importante e útil.  

#04 Agilidade na negociação 

A operação no day trade é muito ágil e acontece dentro de um espaço de 24 horas. Isso significa que o trader não precisa ter tanta paciência e precaução, diante de uma negociação que poderia levar vários dias no caso de outras modalidades de investimentos. 

#05 Possibilidade de fazer alavancagem 

Você sabe o que é alavancagem? É uma técnica utilizada no mercado financeiro que permite a realização da operação mesmo que o investidor ou trader não disponha do valor para a compra dos ativos. É possível fazer um empréstimo de ações, aumentando a rentabilidade, sem tirar um centavo do bolso. E caso a operação seja mal sucedida, o trader paga apenas pelas perdas aferidas. 

#06 Ganhar com a queda do preço das ações 

Quando pensamos em lucro no mercado de ações, logo imaginamos a valorização do papel, certo? Mas no day trade, o operador pode ganhar com a queda da ação, bastando vendê-las em alta e recomprá-las em baixa.

Day Trade vale a pena? 

Se você pensar que por meio de uma operação day trade é possível obter lucro de um dia para o outro, fica claro que vale a pena, e muito! Mas é um erro imaginar que existe apenas o lucro e ignorar os riscos. Todo cuidado é pouco! 🕵️ 

Para operar no day trade, o trader precisa estar bem informado e atento, utilizar as ferramentas disponíveis, e, sobretudo, não se deixar levar pelo emocional. É um jogo, e toda a concentração é necessária. 

Uma perda instantânea pode abalar qualquer um e desestabilizar o mais experiente trader. Portanto, é preciso cautela e sabedoria. Se você conhece bem o seu perfil, tem consciência de suas limitações e sabe quais são seus objetivos a curto, médio e longo prazo, operar no day trade pode, sim, ser uma excelente opção. 

Vale, aqui, uma dica que pode parecer bem óbvia, mas é tão óbvia quanto necessária: um dia de cada vez!

Quais são os riscos? 

Como tudo nesta vida, o day trade tem vantagens e riscos. O maior risco da operação é, claro, a geração de grandes e imediatas perdas. Assim como você pode faturar muito em apenas um dia, o que é maravilhoso, você também pode perder muito em 24 horas. É preciso entender este risco e estar constantemente consciente dele. 

Outra questão a ser considerada no day trade é que será preciso monitorar o movimento da Bolsa o dia inteiro. Só assim é possível  identificar o melhor momento para comprar ou vender os papéis. Ou seja, a dedicação deve ser grande e toma tempo. 

Diversifique suas possibilidades 

Agora que você já conhece tanto as oportunidades quanto os riscos que o day trade pode oferecer, cabe uma reflexão se essa modalidade de investimento encaixa com seu perfil e expectativas. De todo modo, quanto mais se conhece sobre as possibilidades da Bolsa de Valores, maiores as chances de sucesso de quem nela opera, seja um trader ou um investidor convencional. 

Por esses e outros fatores, recomendamos fortemente a diversificação de investimentos. Isso porque, quando se atua com consciência e cautela em mais de uma frente, como day trade e investimentos a longo prazo, sua segurança tende a aumentar ao passo que seu capital não está inteiramente sujeito às mesmas variáveis. 

Sendo assim, seja como trader, investidor convencional ou ambos, convidamos você a começar a operar na Bolsa. Reiteramos que qualquer pessoa que se interesse pelo tema e, a partir disso, passe a se informar sobre ele, está apta a realizar operações. A rentabilidade vem junto com a busca por informações e estamos aqui para auxiliar nesse processo. 🚀 

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Antes de iniciar no mercado financeiro, muitos se fazem a mesma pergunta: como ser um trader? 🤔 Infelizmente não existe fórmula mágica para ser um trader e ganhar dinheiro sem risco. 

Na realidade, a receita para ser um trader de sucesso inclui boas doses de disciplina, dedicação e interesse pelo mundo da bolsa de valores

Estudo e conhecimento sobre o mercado em que se está operando podem fazer a diferença no dia-a-dia de um trader bem sucedido.  

Esse é um requisito fundamental para quem quer trabalhar de forma séria e evitar prejuízos causados por detalhes que poderiam ser facilmente identificados com antecedência ao pensar em como ser um trader. 

Se interessou? Continue acompanhando e descubra como ser um trader e o impacto de conhecer o mercado de atuação! 😉 

Como ser um trader: Conhecendo o mercado 

Para entender a importância de conhecer o mercado se você está pensando em como ser um trader, podemos, por exemplo, fazer uma comparação com o futebol. ⚽ 

O mercado é como um campeonato de futebol

Antes de começarem os campeonatos, os clubes costumam realizar uma pré-temporada. Nesse período, há uma forte preparação para aprimorar as partes tática e física, com jogos amistosos, exercícios e outros treinamentos que servem para definir o posicionamento em campo e algumas jogadas. 

Mas, além disso, os clubes também se preparam em relação aos adversários, estudando cada um deles, conhecendo os elencos, pontos fortes e fracos. Assim, a comissão técnica consegue identificar quais são os times mais fortes, que devem brigar pelo título, e também os mais fracos. 

Dessa forma é possível fazer um planejamento para toda a temporada, definindo os objetivos, que podem ser a conquista de um troféu ou mesmo ficar em uma determinada posição. 

Quer construir uma carreira de sucesso operando na Bolsa de Valores? Abra sua conta na Clear e comece agora! 

Ao longo das rodadas, porém, tudo isso deve ser ajustado conforme o desempenho. Ou seja, se o clube perceber que dá para chegar mais longe e ir além do que estava planejado, poderá contratar mais alguns jogadores de melhor qualidade e deixará o elenco mais forte. 

Claro que o trader não faz parte de um campeonato, mas, de certa forma, podemos considerar o mesmo princípio para que ele conheça o mercado em que está operando, tanto no mercado à vista quanto no mercado futuros. 

Portanto, é fundamental ter uma noção geral do que está acontecendo, conhecer o panorama e aí identificar quais ações ou commodities possuem mais potencial e valor de mercado, pois muitas vezes são essas ações que vão materializar como ser um trader de sucesso. 

A partir do momento em que o trader conhece o mercado, sabe onde está pisando e começa a direcionar as atenções a um determinado papel, é importante conhecer a empresa, saber a liquidez que ela apresenta, o valor de mercado, o volume que ela negocia e também os resultados da companhia. 

Esse processo deve ser uma constante evolução!  

Por dentro dos setores 

Além disso, conhecer bem o setor também é essencial. Se o trader está operando ações da Petrobras, é interessante que ele também acompanhe as outras petrolíferas, como Shell e Chevron, gigantes do ramo. 

Dessa forma é possível saber como elas estão se comportando e quais as movimentações que poderão impactar nos papéis da estatal brasileira. 

Quais são os benefícios do conhecimento? 

Ter essas informações em mãos coloca o trader na frente de outros operadores, diferenciando quem entra apenas por hobby de quem realmente é profissional.  

Se o trader não se preocupar com isso, não saberá, por exemplo, que as ações da Vale podem ter alguma movimentação brusca por conta de uma reorganização institucional, como aconteceu com o novo acordo de acionistas. 

Por não saber o que está acontecendo no dia a dia da empresa ou do setor, o trader corre o risco de sofrer algum prejuízo, tendo em vista que esses fatos relevantes impactam diretamente em seus resultados. 

Assim, para coletar essas informações, o trader tem várias possibilidades na internet.  

Ele pode entrar no site da bolsa de valores ou da própria empresa, pesquisar no Google, visitar os principais portais de notícia, acompanhar especialistas, colunistas dos grandes jornais e outras fontes que podem ajudar nessa preparação. 

A internet está aí para facilitar, não é mesmo?  

Acompanhar o mercado internacional

A pesquisa e a busca por informações não podem se restringir apenas ao mercado brasileiro. Saber o que está acontecendo nas bolsas fora do país é muito importante, identificando as movimentações dos índices ou das commodities pelo mundo. 

Por exemplo: quem está operando Petrobras precisa saber como estão os preços do petróleo, assim como os traders que operam papéis da Vale devem conhecer a situação do minério de ferro pelo mundo.  

Afinal, esses dados impactam no que vai acontecer com essas companhias e, consequentemente, com as cotações na bolsa de valores. 

O que achou? Como você viu, estudar o mercado e manter-se informado sobre o que acontece dentro e fora dele faz toda a diferença nas suas operações. 

Então, comece agora mesmo a se preparar e conte com a FlashTrader nesse processo. Estamos prontos para formar uma parceria de sucesso. 🚀 

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


A atividade do trader desperta curiosidade e fascínio, principalmente quando questionamos quanto ganha um trader. Não à toa há tantos filmes de sucesso que abordam o tema.  

É verdade que há um certo glamour sobre a atividade, e muitos acham que um trader pode abrir seu notebook às 9h e, uma hora depois, tem todo o tempo do mundo livre para fazer o que quiser. 

Ledo engano! 

O trader de sucesso dedica-se de corpo e alma à atividade. É preciso trabalhar e estudar muito para faturar bem comprando e vendendo ações na Bolsa de Valores.  

Mas qual é esse valor? Quanto ganha um trader iniciante? Quanto um trader ganha por dia? É possível ficar rico repentinamente, comercializando papéis de empresas? 

Confira tudo isso agora neste conteúdo completo que trouxemos para você. Boa leitura! 😉 

Afinal, quanto ganha um trader?

Não é possível apontar uma faixa salarial exata, se o profissional for um trader autônomo e operar por conta própria. Simplesmente porque ele vai ganhar de acordo com o movimento de suas operações. E, ainda, sobre o quanto poderá investir. 

No entanto, podemos pensar que um retorno médio de 5% ao mês, com um risco moderado, é bem possível de se alcançar.  

Vamos pensar: se o trader autônomo investir R$ 20 mil, ganhará R$ 1 mil. Se o investimento for dez vezes maior, assim o faturamento chegaria a R$ 10 mil.  

Um trader iniciante, que alcance uma rentabilidade entre 2,5 a 4%, já conquistaria um excelente resultado. 

De acordo com os principais portais, o salário médio de trader no Brasil – aquele que é contratado por uma instituição financeira, como uma corretora de valores – é em torno de R$ 9 mil, podendo chegar a R$ 18 mil se tratando de um profissional experiente e de alto rendimento.  

Por outro lado, traders iniciantes recebem, em média, R$ 4 mil de salário mensal. 

O que significa ser trader?

Trader, na tradução do inglês para o português, significa comércio ou negócio. O trader é o profissional, autônomo ou não, que trabalha comprando e vendendo ações na Bolsa de Valores. 

Podemos resumir o trader como um negociante de papéis das empresas de capital aberto.  

Em geral, ele negocia as ações em um curto ou curtíssimo prazo. O trader se aproveita da volatilidade do mercado e, por isso, também pode ser chamado de especulador. 

Quem pode ser trader?

Essa é uma boa pergunta, e costuma ser a primeira que muitos interessados fazem aos nossos especialistas.  

Bom, a resposta é simples: qualquer pessoa pode se tornar um trader, mas isso não significa que todos poderão, de fato, viver desta atividade.  

Operar na Bolsa de Valores exige muito estudo, dedicação, conhecimento e é preciso estar muito bem informado. E mais: será bem difícil ser um trader sem atitude, tempo, resiliência e visão. 

Quais são os tipos de trader?

Existem alguns diferentes tipos de traders, como: 👇 

Agora, vamos falar das principais estratégias do trader: 

#01: Day trader

Esse é o trader que compra e vende ações em um único dia. Neste caso, as operações são feitas muito rapidamente, e jamais passam do prazo de um dia. A rentabilidade é diária.  

O day trader precisa estar muito seguro da sua operação, pois o resultado vai se realizar no próprio dia. O bom é que sempre há o dia seguinte, quando novas operações acontecem. 

#02: Swing trader

O swing trader opta por operações que podem levar dias ou semanas para que se concretizem e apresentem resultados.  

Como há um maior espaço de tempo para que seja alcançada a rentabilidade esperada, o número de operações de swing trade é menor do que o day trade. 

#03: Scalping

O chamado scalper trader tem como estratégia buscar oportunidades em um curtíssimo prazo. Suas operações levam minutos apenas, aproveitando-se das fortes tendências que o mercado apresenta. 

#04: Position trader

As operações, aqui, buscam manter uma posição no mercado por um período ainda maior que a swing trade. No caso, por até meses. 

#05: High frequency trading

Trata-se do contrário do position trader. Neste caso, as operações são imediatas, e levam segundos para acontecer. A ideia é movimentar um grande volume de ativos, com foco nas menores variações do mercado. 

Uma pessoa sentada em seu escritório falando ao telefone enquanto escreve algo com a mão direita. Ela está usando uma camiseta branca com uma blusa preta por cima.
Se você se interessou em saber quanto ganha um trader, saiba que para conseguir viver dessa atividade será necessária, antes de mais nada, muito estudo, dedicação e empenho. 

5 dicas para se tornar trader!

Enfrentar a volatilidade dos negócios na Bolsa de Valores não é uma tarefa das mais fáceis. Como se diz por aí, é preciso de estômago!  

Este talvez seja um dos maiores desafios do trader, porque um passo mal dado pode realizar perdas irreparáveis.  

Conheça, agora, as cinco principais dicas que nossos especialistas listaram sobre como se tornar um trader – e mais do que isso – de como ser um trader de sucesso. 😎 

#01: Estude sempre

A verdade é que não é possível operar como um trader sem um conhecimento básico de como o mercado financeiro se movimenta. Se você não entender ao menos um pouco sobre a dinâmica da compra e venda de ações, é muito provável que você não alcance resultados positivos, mesmo em um curto prazo. 

Então, certifique-se e amplie seus conhecimentos, estudando sempre. Leia artigos, acompanhe blogs, como o da Clear, siga especialistas de sua preferência, assista a vídeos, leia livros, faça cursos, enfim, mantenha-se sempre atualizado. 📚 

#02: 3 comportamentos que devem ser evitados a todo custo

Se você acha que pode ganhar dinheiro rápido e constantemente, talvez deva repensar. Este é o primeiro ponto: buscar um retorno rápido. A pressa é inimiga da perfeição, diz o dito popular, e isso é uma grande verdade no mercado financeiro. 

Outro pecado que pode ser mortal (para o seu investimento) é não se informar antes de começar a negociar os papéis. Estar bem informado é uma atitude inerente ao sucesso do trader, não duvide disso. 

Por último, algo que parece até óbvio, mas é muito comum de acontecer: desconhecer ou simplesmente ignorar a volatilidade da Bolsa de Valores. Confiança em excesso não combina com a compra e venda de ações. Não se pode deixar levar pela emoção, jamais.  

Com um olho, confie, com o outro, desconfie. 👀 

Em resumo, procure evitar: 

#03: Aprenda sobre estatística e cálculo

Isso mesmo! Pode pesquisar à vontade e você verá que traders de sucesso são muito bem informados, estão sempre estudando, buscando novos conhecimentos, acompanham as notícias internacionais e do Brasil e – acredite – entendem um pouco de estatística e cálculo. 

Eles usam seus conhecimentos de estatística e de cálculo para escolher os melhores ativos. 

#04: Seja estrategista

Se você quer aplicar na Bolsa de Valores em uma determinada ocasião, deve mesmo apostar nos papéis de destaque. Mas um trader se dedica à atividade regularmente, portanto precisa montar estratégias.  

Muitas vezes, traders iniciantes procuram recuperar o dinheiro investido de uma forma mais emocional e até mesmo agressiva, sem estratégia alguma. Em geral, acabam perdendo o foco.  

Pense e monte estratégias adequadas para o momento, e siga-as para não se deixar abater por perdas momentâneas. 🤔 

#05: Seja analista

Por fim, se estamos falando em estratégias, é importante pontuar que um bom trader sabe analisar corretamente o investimento a ser feito. 

Para isso, ele deve fazer dois tipos de análises: 

  1. Análise técnica: com dados do mercado e estudos de gráficos e tendências; 
  2. Análise fundamentalista: quando estudará o valor da ação relacionado ao valor da empresa, de acordo com seus documentos contábeis.  

Não abra não de uma ou outra, faça as duas análises.  

Conclusão  

A atividade de trader pode ser muito lucrativa, é verdade, mas para alcançar os resultados esperados é preciso muito estudo, dedicação, esforço, informação e resiliência.  

O trader pode dedicar todo o seu tempo à atividade ou exercê-la lado a lado de um outro exercício profissional, realizado nas horas vagas. 

Mas quanto ganha um trader? Isso vai depender fundamentalmente de você mesmo!

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Na sua jornada de investimentos, você já se deparou com o conceito de mercado de balcão ou OTC –abreviação de over the counter

Caso já tenha visto os termos por aí e bateu aquela curiosidade pra entender o que significa, a gente preparou esse conteúdo te contando o que é mercado de balcão e como operar em OTC, além de enfatizar as diferenças entre esse tipo de mercado e a Bolsa de Valores

Assim, você pode expandir suas possibilidades de diversificação de investimentos com mais segurança. Vamos lá? 👇 

OTC: o que é? 

OTC é a sigla para over the counter, em português, mercado de balcão, uma expressão que vem dos tempos em que os ativos eram negociados em balcões das corretoras. O mercado de balcão é o ambiente onde se fazem as transações com títulos e valores imobiliários. É lá que acontecem as negociações com ativos e títulos que não estão registrados na B3, a bolsa de valores brasileira

Ainda que seja muito flexível, o mercado de balcão segue uma regulamentação, ou seja, opera sob as regras da Sociedade Operadora de Mercado de Ativos (Soma), criada em 1996. Em 2002, a Soma foi comprada pela B3 e, assim, passou a se denominar Soma Fix, sendo responsável pelos registros das transações do mercado de balcão. 

Ao lado da Soma Fix, atua a Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados (Cetip), cuja missão é garantir transparência para as negociações na OTC. A Cetip responde pela maior parte das operações eletrônicas ali realizadas. Vale acrescentar que o mercado de balcão também precisa seguir as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 

Como funciona o mercado de balcão? 

O mercado de balcão funciona de forma descentralizada, com menos burocracia, permitindo uma negociação mais direta entre compradores e vendedores de ativos e títulos que não estão registrados na B3. Ainda que siga regulamentações, não há o mesmo controle existente na B3. Mas, de qualquer modo, a CVM garante sua segurança institucional. 

O mercado de balcão pode ser feito por meio de plataformas digitais ou por telefone. Ele pode ser de dois diferentes tipos: mercado de balcão organizado e mercado de balcão não organizado. 

O OTC negocia ativos e títulos variados, como ações, cotas de fundo de investimento, carteiras referenciadas de ativos, valores mobiliários e títulos autorizados pela CVM e criptomoedas, como os bitcoins. As corretoras de valores, como a Clear, são as instituições que podem intermediar as transações no mercado de balcão, por meio de um home broker ou um aplicativo de investimentos

Mercado de balcão e Bolsa de Valores 

A foto mostra um homem de lado para a câmera, olhando para uma tela de televisão na parede ao fundo. Nas mãos, ele carrega um tablet. Ambos os aparelhos estão ligados em uma plataforma de negociação de ações ou do mercado de balcão.
Existem diferenças importantes entre o mercado de balcão e a Bolsa de Valores. Por isso, se você está começando no mundo dos investimentos, é bom tê-las em mente.

O mercado de balcão e a bolsa de valores não são a mesma coisa, e guardam, entre si, algumas diferenças marcantes.  

É muito mais simples disponibilizar investimentos no OTC do que na B3, por exemplo, porque para operar na bolsa e comercializar suas ações, as companhias precisam respeitar uma série de práticas de governança corporativa, o que gera muito mais burocracia. Os custos para operar na B3 também são mais altos para as empresas. 

A operação na bolsa segue normas mais complexas e fechadas. Já no mercado de balcão, a flexibilidade é bem maior, ainda que siga as regras da CVM. Outro ponto destacável é que as empresas podem registrar suas operações no mercado de balcão organizado apenas no término do pregão.  

Mas a principal diferença é que, ao contrário da bolsa, no mercado de balcão não há um intermediário entre quem investe e as companhias. E mais: não há taxas para se negociar ativos no OTC. 

Já possui conta na Clear? Ainda não? Então abra sua conta, e invista com corretagem zero na especialista na Bolsa. 

Mercado de balcão organizado 

O mercado de balcão organizado, ou regulamentado, é utilizado como uma espécie de etapa de adaptação de empresas que pretendem operar na bolsa de valores. No mercado de balcão organizado, as transações são registradas na Soma Fix, mas sem o rigor da bolsa.  

É preciso destacar que, no mercado de balcão organizado, há intermediação de instituições financeiras, que formalizam as negociações em câmaras de registro. 

Mercado de balcão não organizado 

O mercado de balcão não organizado oferece títulos ou ativos que não encontram espaço para serem comercializados no mercado de balcão organizado e na própria B3.  

No mercado de balcão não organizado as operações simplesmente não são registradas, e não há supervisão de alguma instituição reguladora.  

Até 1996, antes da criação da Soma, havia apenas esse tipo de mercado OTC. Especialistas ressaltam que a falta de registro desfavorece a transparência em relação ao preço dos ativos e os volumes negociados ali. 

Operar em OTC 

Depois de entender o que é mercado de balcão, você deve estar se perguntando: mas como operar em OTC?  

Na sequência, a gente mostra quais são os tipos mais comuns de operações no mercado de balcão: 

  1. Ordem administrada: a corretora ou instituição financeira define a quantidade e as características principais dos ativos ou direitos comprados ou vendidos; 
  2. Ordem a mercado: também define a quantidade e as características dos ativos ou direitos comercializados, mas a execução acontece no momento em que for recebida por um intermediário; 
  3. Ordem limitada: é executada tão somente a um preço igual ou melhor do que aquele definido por quem é cliente; 
  4. Ordem casada: uma ordem de venda de um ativo é conjugada com uma ordem de compra de outro ativo, e só ocorre se ambas as transações puderem acontecer; 
  5. Ordem on-stop: ordem que define o patamar de preço para que a ordem de compra ou venda aconteça. 

Estratégia de opções (direitos ligados a algum ativo financeiro) 

Há diferentes formas de se investir no mercado de balcão, isto é, existem algumas estratégias de opções das quais é possível fazer uso. 

Essas maneiras de negociar opções vão além da simples compra. São várias as estratégias de opções adotadas, como a trava de alta, trava de baixa, borboleta, venda a descoberto, straddle, entre outras.  

Para entender qual é a melhor alternativa para o seu perfil de risco, é possível conversar com alguma pessoa analista da sua corretora e, através de análises, como a fundamentalista e a técnica, você é capaz de potencializar seus ganhos. 

O que são opções binárias 

Opções binárias, também conhecidas como opções digitais ou de retorno fixo, são investimentos que têm como base a expectativa de movimento de alta ou de queda do ativo.  

A pessoa que investe seus recursos em uma opção binária acredita que elas seguirão uma tendência de alta ou de queda de um determinado ativo. Esse movimento de valorização ou desvalorização pode acontecer em um intervalo de 15 segundos a 30 minutos, portanto, é preciso muito conhecimento e dedicação para investir nas opções binárias. 

📘 Saiba tudo sobre as opções binárias e como elas funcionam! 

É vantajoso operar em OTC? 

A foto mostra o rosto de uma mulher, que usa óculos, em expressão pensativa, olhando para o lado.
Assim como todo tipo de investimento, o mercado de balcão oferece vantagens e desvantagens. Confira alguma delas abaixo.

Uma das maiores vantagens de operar em OTC é a facilidade de se investir nele, com menos burocracia e sem taxa. Livres da competição com grandes companhias na Bolsa de Valores, as pequenas empresas têm mais chances de atrair pessoas investidoras no mercado de balcão, e isso pode proporcionar investimentos com boa rentabilidade.  

Mas existem algumas desvantagens também, e a própria facilidade de se investir nele, com menos burocracia, acaba por estabelecer uma regulação menor do que a da Bolsa. As exigências são bem menores, é possível negociar diretamente com as corretoras em sigilo, e há quem acredite que isso significa menos transparência no processo. 

Onde começar a operar no mercado de balcão? 

Como a gente te contou ao longo desse conteúdo, para operar no mercado de balcão é preciso abrir conta em uma corretora de valores. 

Aqui na Clear, você pode abrir sua conta de forma 100% gratuita e on-line, e também não paga nada de taxa de corretagem

Além disso, a gente disponibiliza conteúdos gratuitos para você aprender tudo sobre o mercado da renda variável, que podem ser facilmente encontrados em nosso canal do Youtube ou em nosso blog. 

Ficou com alguma dúvida? Conta pra gente! 

E bons investimentos pra você! 

Abra sua conta na Clear e opere com a corretora especialista em trading.  

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


A foto mostra uma menina, na rua, segurando um celular em uma das mãos e um copo descartável em outra. Ela olha para o celular e tem expressão sorridente.

Você utiliza ou já utilizou o app do seu banco para fazer pagamentos? Ou, então, já se cadastrou em aplicativos de transporte, alimentação, namoro virtual? E senha perdida, já precisou recuperar alguma? Então, certamente, já precisou fazer uso do token. 

Talvez você não saiba exatamente o que é token, mas ele está muito presente no nosso dia a dia, e nos traz a segurança necessária na realização de transações financeiras virtuais, por exemplo. 

O token não é utilizado apenas para confirmar o pagamento de uma conta no aplicativo do seu banco. Ele também é utilizado com o sistema financeiro, e é por isso que, às vezes, o token é confundido com as moedas virtuais (ou criptomoedas).  

Além disso, existem tipos de tokens que são utilizados para garantir a segurança dos seus ativos financeiros em aplicações diversas, como os ETFs e demais fundos de investimentos. 

Deu pra perceber a importância que o token tem no nosso cotidiano, né? 

Por isso, a gente vai te contar, neste conteúdo, o que é token e qual é a sua relação em transações de criptomoedas. Para isso, você vai descobrir como funciona um token e quais seus principais tipos de aplicações. Fique por dentro! 👇 

O que é token? 

Em primeiro lugar, se quisermos entender a relação entre token e a criptomoeda, além das diferenças entre esses dois conceitos, precisamos definir, exatamente, o que é token. 

Token é um código numérico, criado inicialmente para serviços e-banking, para oferecer segurança em acessos digitais. 

Quando o token nasceu, ele era fornecido às pessoas por meio de um dispositivo físico, como um pequeno chaveiro, que podia ser manipulado por elas para ter acesso a uma senha instantânea.  

Assim, ao acessar sua conta bancária por meio digital, a pessoa correntista utilizava seus dados pessoais, sua senha individual e, ainda, o token, para proteger suas operações, por exemplo. 

Hoje em dia, a história é diferente. 

O token, hoje, pode ser enviado às pessoas de diferentes maneiras, como através de SMS ou e-mail. O token ainda é utilizado com o sistema financeiro ─daí o porquê de muitas pessoas o confundirem com as criptomoedas.  

Em outras palavras, um token fica em uma blockchain e representa um determinado ativo ou uma utilidade. Enfim, é o registro de um ativo em formato digital. 

É preciso entender, portanto, que o token, fora do meio de investimentos, é uma espécie de sistema gerador de senhas, com o intuito de proteger usuários. Mas o token também é utilizado para representar algum ativo financeiro, que tem valor de mercado, como um objeto, um contrato, uma moeda ou uma propriedade.  

Por fim, pra encerrar a definição de o que é token, vale dizer que um token pode funcionar também como um criptoativo, quando inserido em uma blockchain, funcionando como uma espécie de contrato, e garantindo a custódia de um ativo para quem o possui. 

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Preparado para entrar em ação? Abra sua conta!  

Como funciona um token? 

Um token tem duas funções primordiais, que são as seguintes: 

  1. O token funciona como um código de verificação para definir uma senha; 
  1. Ou pode ser utilizado para confirmar um cadastro.  

No segundo caso, significa que o token é utilizado para representar um ativo, ou seja, algum bem de valor, como uma moeda, um contrato ou uma propriedade. Quando é utilizado no contexto financeiro é, portanto, um ativo. 

Uma diferença entre token e criptomoeda está no fato de que as criptomoedas, por exemplo, o bitcoin, têm sua própria rede, onde estão as informações sobre saldo e movimentação de usuários. Os tokens se utilizam dessa rede, dessa estrutura já existente, porque não precisam de uma rede blockchain própria.  

Quando utilizamos o token em um imóvel, um título de precatório ou sobre barras de ouro, (apenas para citar alguns exemplos), podemos negociar e movimentar frações do ativo sem a necessidade de autorização de uma entidade central. Isso amplia o acesso a mercados que eram restritos e facilita a transferência e o registro de posse do bem, já que o uso da blockchain é transparente e seguro. 

No mais, vale anotar aí quais são as principais características do token: 

Tipos de token 

A foto mostra uma mulher de costas segurando uma prancheta, na qual estão coladas duas nota autoadesivas. Ela faz anotações, em referência às anotações dos tipos de token.
Anota aí quais são os principais tipos de token que encontramos no mercado.

Existem diferentes tipos de tokens, que são divididos em dois grandes grupos: os tokens de direito de acesso e os tokens ativos.  

Os primeiros têm a função de segurança −são os códigos de confirmação que você recebe no seu smartphone para recuperação de senhas, por exemplo. 

Já os tokens ativos são utilizados no contexto financeiro e, em algumas situações, podem ser confundidos, por isso, com as criptomoedas, mas não se engane: eles não são moedas virtuais.  

Na sequência, a gente te conta um pouco mais sobre os quatro principais tipos de tokens: 

Security Tokens 

Um token de segurança e título. Esses tokens são conhecidos como uma mistura de contato futurooferta inicial pública e outros contratos de confiança.  

Pessoas investidoras que aderem ao Security Token têm expectativa de bons lucros e sentem segurança no investimento, porque esse tipo de token é tratado da mesma forma que os títulos tradicionais, que são regulamentados.  

A maior parte dos tokens emitidos pela ICO (Initial Coin Offer), um título garantidor de valor, é um token de segurança. Em geral, eles são utilizados quando quem empreende precisa de investimentos para um novo projeto; assim, pessoas investidoras compram a oferta inicial de tokens esperando lucrar no futuro, quando o mercado estiver favorável. 

Equity Token 

Um token de referência e comparação. Esse é um dos tipos de token mais difíceis de encontrar no mercado.  

Quando um token representa alguma ação ou capital da organização que o emite é um token de capital. Poucas empresas aderem a esse tipo de token porque não há orientação regulamentar suficiente sobre o que é ou não legal. 

Utility Token 

O Utility Token também é conhecido como token de aplicativo, sendo utilizado para dar a usuários acesso a um determinado produto ou serviço.  

Esses também não são tokens comuns, porque o que se espera é que os tokens ganhem valor com base em seu fornecimento limitado. 

Payment Token 

O token de pagamentos. Este tipo de token tem como finalidade única o pagamento por bens e serviços, tendo uma funcionalidade semelhante a uma moeda. 

Diferença entre token e criptomoeda 

A foto mostra uma mulher sentada em um banco com um notebook no colo. Ela segura um bloco de anotações em uma das mãos e faz anotações nele com uma caneta.
Tokens e criptomoedas possuem diferenças essenciais. Conheça mais sobre elas. 

Mas, e de maneira mais objetiva, qual é a diferença entre token e criptomoeda? Veja: 

O token é um criptoativo que necessita de uma plataforma para ser utilizado. Já as criptomoedas são moedas digitais, que se utilizam da criptografia e precisam de uma plataforma própria para existir como moeda virtual. 

Embora ambos precisem da criptografia para serem utilizados, há diversos tipos de criptografia. As criptomoedas se constituem de seu próprio blockchain, já os tokens são construídos na base de outro blockchain, como Ethereum, Neo ou Waves. 

A grande diferença entre token e criptomoeda, portanto, é que as criptomoedas são utilizadas como as moedas fiduciárias para aquisição de bens e serviços (mas são descentralizadas, não atreladas a governo algum), enquanto os tokens funcionam como uma espécie de contrato. Para facilitar o entendimento: posso ter 1 token que represente x criptomoedas. 

Quer um exemplo mais visual? 

Sabe quando você vai a um parque de diversões e recebe uma pulseira que te dá o direito de brincar em todos os brinquedos, quantas vezes quiser? Então, essa pulseira nada mais é do que um token contratual −uma espécie de contrato entre as partes, que garante a  você o acesso irrestrito aos brinquedos pelo número de dias contratados. 

Agora ficou mais fácil entender o que é token, por que ele é tão importante quando falamos sobre operações financeiras, e também qual é a diferença entre token e criptomoeda?  

No blog da Clear, você encontra conteúdos sobre diversos assuntos envolvendo investimentos e o mercado como um todo. Por isso, se quiser ficar por dentro de tudo o que acontece, é só continuar acompanhando a gente. 

Além disso, você pode acessar o nosso canal no Youtube para conteúdos educativos em vídeos e, ainda, para conferir o que acontece no mercado diariamente. Não vai ficar de fora dessa, né?

Dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira: Abra sua conta na Clear, é totalmente online, rápido e 100% grátis!  

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


A foto mostra zoom nos pés de uma mulher subindo em uma parede de escalada.

Já deve ter passado pela sua cabeça que o número de pessoas interessadas em expandir o patrimônio através de operações e investimentos na Bolsa de Valores é alto e crescente. O termo trader, nascido nesse contexto, se refere às pessoas que operam com transações de curto prazo (ou talvez você possa conhecer essas pessoas como especuladoras). Você sabia? 

Bem, se você tem qualquer dúvida sobre trading, desde o que é trader até os tipos de trader mais comuns, ou mesmo procura por dicas de curso de trader para começar no mercado, esse guia foi feito para você. 

 
Embarque com a gente nessa escalada pelo universo trader e comece a operar com rentabilidade. Acompanhe! ⤵️ 

O que é trader? 

Trader é o termo usado para se referir à pessoa que opera no mercado financeiro, realizando transações de compra e venda de ativos na Bolsa de Valores. O trading é uma modalidade de investimento no qual traders buscam por ganhos de curto ou curtíssimo prazo, aproveitando a volatilidade do mercado. 

Por esses motivos, trader também pode ser conhecido como a pessoa especuladora: diferentemente de quem investe, que, por sua vez, visa ganhos a longo prazo. Outra característica marcante de traders é que, independentemente de ser uma pessoa física ou jurídica, elas negociam diversos ativos e derivativos financeiros. 

Enquanto algumas pessoas que operam no day trade e outros tipos de trade utilizam a modalidade para complementar a renda, outras pessoas têm o trading como profissão.  

E vale dizer que, para que essa pessoa que faz parte do mercado trader se sobressaia, é preciso aprender a operar de acordo com as movimentações do mercado diante de fatores cruciais, como contextos econômicos, sociais, políticos e corporativos. 

O que faz um trader? 

Traders fazem negociações a curto ou curtíssimo prazo na Bolsa de Valores. Quem é trader negocia em intervalos de poucas horas ou até mesmo minutos, como no caso do Day Trade, e também em intervalos mais longos, que podem levar algumas semanas, a depender das análises de mercado ou preferências individuais de cada pessoa. 

Mesmo nas operações de trading que duram mais, quem entende como fazer trade, no geral, busca lucrar com a volatilidade, isto é, com a variação dos preços dos ativos. Então, essa pessoa pode ter tendência a manter a posse dos ativos ou derivativos até que atinjam suas respectivas metas, por exemplo. 

Existem estratégias de obtenção de lucro, como a clássica venda de ações que se valorizaram ao longo do tempo, mas também é possível obter ganhos quando ocorrem quedas na Bolsa de valores. 

Nesse caso, o nome dado a esse tipo de operação é Long e Short ou, como também são conhecidas, operações de venda descoberta. 

Quanto ganha um trader? 

A foto mostra uma mulher sentada na cadeira, mexendo em um notebook na mesa à sua frente, enquanto toma café em uma xícara. Ao lado, na mesa, papéis com gráficos de trading.
O salário de quem é trader não tem um piso ou teto, ele é variável 

Depois de entender melhor o que é e o que faz um trader, você deve estar se perguntando quanto ganha um trader. O fato é que esse é um trabalho autônomo que depende de fatores e variáveis do mercado, então, não há como definir um valor exato para o lucro da pessoa especuladora

Se você quer se tornar trader profissional, é importante saber que não haverá um salário muito bem definido. Seus ganhos dependerão de aspectos como seu conhecimento a respeito do mercado, experiência com operações financeiras, estratégias, controle emocional, e outras questões pertinentes. 

Mas é possível viver apenas com os ganhos como trader? Bem, a resposta é sim. No entanto, vale lembrar que resultados consistentes, em geral, dependem de muito estudo e dedicação. Afinal, como você já deve saber, a Bolsa de Valores não é uma espécie de mecanismo de aposta e também tem riscos altos. Isso significa que as operações financeiras devem ser totalmente baseadas em análises minuciosas sobre cada variante que afeta o mercado. 

Imagine que depois de muito estudo, análises profundas e aulas de algum curso de trader, você identifique uma oportunidade de operar com ativos de uma determinada companhia. Ao notar que o cenário é favorável, você pode identificar uma tendência de cotação e adquirir as ações antes da valorização. 

Assim, a sua margem de lucro dependerá de alguns fatores, como o ponto de entrada e saída da operação. Contudo, é fundamental destacar que, além dos ganhos, sempre há a possibilidade de perdas. Afinal, quando se trata de renda variável, é imprescindível ter cuidado e atenção na hora de operar. 

Na Clear você opera com corretagem zero e umas das maiores alavancagens do mercado. Dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira: abra sua conta.  

Trader profissional: o que é preciso para se tornar um? 

A pessoa que é trader profissional não segue uma fórmula secreta para o sucesso bem definida: cada trader desenvolve seu próprio método para atuar no mercado financeiro. Mas existem algumas características específicas que podem contribuir para que quem é trader profissional alcance resultados satisfatórios. 

Na sequência, a gente fala com mais detalhes o que é preciso para se tornar um trader profissional. Olha só! 

Formação 

Uma das grandes vantagens de tomar a decisão de ser trader é que essa profissão não exige uma formação acadêmica ou cursos técnicos específicos. Qualquer pessoa pode atuar no mercado financeiro e se tornar uma ótima trader, não importa se ela é uma profissional da área de exatas, de humanas ou se sequer tenha uma formação. 

Mas é preciso ter em mente que determinados conhecimentos podem contribuir na hora de especular e negociar ativos e derivativos na Bolsa de Valores, especialmente se essas expertises ajudam a compreender o que afeta os preços no mercado financeiro, o que é crucial para um crescimento sustentável nesse segmento. 

Portanto, embora exista essa flexibilidade, é muito comum nos depararmos com traders que sejam formados em administração, cursos relativos à área de exatas ou, até mesmo economia nas áreas de humanas. 

Além disso, a pessoa trader tem total autonomia para agir por conta própria. Ela pode ser empregada em uma corretora de valores ou instituição financeira, assim como também pode realizar operações diretamente de sua casa. 

Manejo de risco 

Como consta na própria definição de o que é ser um trader, a profissão é baseada em especulação e, portanto, é indispensável que quem decida operar com base nesse conceito saiba manejar riscos. Quanto maior esse domínio, mais facilidade para se proteger contra prejuízos significativos

Uma boa forma de realizar o gerenciamento de risco é estabelecer uma margem de perda, isto é, um valor máximo de prejuízo que pode ser atingido. Assim, quem é trader conseguirá definir com maior clareza o volume financeiro que tem disponível para operar, ou seja, o seu ponto de entrada e saída. Além disso, para restringir as perdas, a pessoa pode usar recursos como o Stop Loss. 

Dinamicidade 

A foto mostra uma mulher em uma parede de escalada, de costas para a câmera, em referência à dinamicidade que traders devem ter.
Ser trader exige ter dinamicidade para se adaptar às flutuações do mercado 

Essa é uma das características mais importantes que uma pessoa trader deve ter, pois a dinamicidade está diretamente ligada à capacidade de adaptação às inconstâncias do mercado. É crucial saber analisar e diferenciar cenários para que seja possível projetar panoramas cuja possibilidade de lucro seja real —tanto na alta quanto na baixa da Bolsa de Valores. 

Persistência 

Persistência também é uma característica indispensável para qualquer trader, seja profissional ou apenas um indivíduo que atua regularmente no mercado financeiro. É preciso desenvolver suas próprias estratégias de operação, controlar as emoções, se manter firme e tomar decisões racionais e assertivas. Lembrando que essa qualidade deve ser desenvolvida com o decorrer do tempo. 

Controle emocional 

Quem é uma boa pessoa trader profissional deve ter controle de suas emoções, pois a dificuldade de julgamento analítico pode prejudicar seu desempenho. Diante de instabilidades ou euforias do mercado, é importante se manter firme e não realizar operações emocionais. 

No entanto, atuar na Bolsa de Valores a curto prazo é algo que exige racionalização. Isso quer dizer que quem é trader não pode permitir que suas decisões sejam afetadas pelas emoções, fazendo com que a pessoa abra mão da sua estratégia. Caso contrário, os resultados serão afetados. 

Como já mencionamos, definir uma margem de capital para operar (tanto para perda quanto para ganho) pode ajudar a pessoa especuladora a se sentir mais confortável. Também é importante controlar a ansiedade para que suas escolhas no mercado permaneçam sendo racionais. 

No decorrer de um pregão, é comum que haja uma grande oscilação na cotação de ativos e derivativos. Nesses casos, a pessoa trader precisa tomar cuidado para não realizar operações impulsivamente. Convicção e foco são preceitos que podem ajudar a manter seu posicionamento

Plataforma 

Por fim, é muito provável que quem é trader precise de uma plataforma de alta performance para operar na Bolsa de Valores, visto que esse tipo de ambiente virtual proporciona uma grande variedade de recursos importantes para a tomada de decisão, como indicadores financeiros e outras ferramentas indispensáveis. 

Além do mais, a plataforma escolhida deve garantir o roteamento das ordens, o desempenho e a confiabilidade dos dados, pois, como as operações são realizadas em curtos intervalos de tempo, quem é trader precisará de toda eficiência possível. 

A Clear possui o sistema de cotações mais eficiente do mercado e conta com todas as funcionalidades essenciais para um trader. Invista com a especialista em bolsa! Abra sua conta.  

Tipos de trader 

A foto mostra três pessoas sentadas à uma mesa, rindo e olhando para frente, como se estivessem conversando, em referência aos diferentes tipos de trader.
Não sabe qual é seu perfil de trader? A gente te mostra os tipos de trader pra você poder optar por aquele que mais se encaixa com você 

Bom, mas você sabia que existem vários tipos de trader? Pois é, a função de trader pode ser dividida em diferentes elementos e formas de atuação.  

Você já sabe que tipo de trader é? A seguir, a gente te conta mais detalhes sobre cada um dos tipos. 

1. Day trader 

Essa é considerada uma das modalidades de trader mais complexas. Isso ocorre devido ao fato de que as operações financeiras se iniciam e terminam no mesmo dia. 

Além disso, quem é day trader pode atuar com valores muito acima do capital que têm disponível, já que não paga ou recebe o total negociado, mas sim uma variação entre a compra e venda. 

Entre as razões pelas quais essa modalidade é considerada vantajosa, estão a alavancagem, a margem de garantia, a agilidade operacional e o Stop Loss (prejuízo estimado)

O que é Day Trade e como funciona? 

Day Trade é uma versão avançada das operações de curto prazo, geralmente usada por trader com perfil de investidor arrojado e bastante experiência no mercado financeiro. Sua característica mais marcante está no fato de que as operações acontecem no mesmo dia, como sugere o termo em inglês. Para isso, a pessoa deve conhecer as melhores ações para esse tipo de transação. 

Simulador Day Trade: qual é o melhor? 

Somos suspeitos pra falar, mas a Clear conta com diversas alternativas para quem deseja simular o Day Trade antes de começar a negociar na prática. 

E, no site da Clear, você ainda consegue saber qual é o melhor simulador Day Trade para o seu perfil de investimentos. Quer saber mais? Não deixe de conferir nossas opções

Como declarar Day Trade no imposto de renda? 

Mas… peraí, é preciso declarar Day Trade no IR? A resposta é sim. 

Você deverá separar os seguintes documentos: extrato do IR emitido pela corretora, a DARF e os informes de rendimentos emitidos pelas empresas. Depois, é preciso identificar as operações de Day Trade (compra e venda do papel no mesmo dia), visto que elas são tributadas de forma diferente de operações comuns (compra e venda em datas diferentes. 

Feito isso, é preciso somar os resultados de cada operação e analisar se houve lucro ou prejuízo no decorrer do ano. Lembrando que as operações de Day Trade são tributadas em 20%. 

Você pode conferir o passo a passo de forma prática com esse vídeo: 

2. Swing trader 

O Swing Trade atua com base em operações de curto e médio prazo e pode trazer retorno mais positivo devido à ação do tempo. Em geral, esse tipo de trader atua negociando em média por um período de dois a cinco dias e não costuma ultrapassar essa margem. 

Em comparação ao Scalping (falaremos sobre essa categoria mais adiante), o Swing Trade tem um número menor de operações, não sendo proporcional à necessidade de liquidez, isto é, há menos ativos de alta liquidez disponíveis. 

Para operar nessa modalidade, é preciso que a pessoa especuladora tenha disciplina e paciência para que obtenha resultados mais consistentes e satisfatórios, além de ser crucial ter conhecimento em análise técnica

3. Sales trader 

A foto mostra uma mulher mexendo no notebook que está na mesa à sua frente. Ela tem uma expressão séria e segura uma caneta em uma das mãos.
Quem é sales deve atuar como uma espécie de pessoa intermediadora 

A função desse tipo de trader é mediar negociações com os clientes em uma espécie de relação comercial. A pessoa deve oferecer oportunidades que sejam do interesse de clientes para que os mesmos comprem ou vendam ativos, além de executar as operações. 

Este trader profissional atua como intermediador entre as negociações e deve oferecer táticas no momento ideal para que as ordens sejam executadas. Faz parte do seu trabalho respeitar o alinhamento definido com o cliente. 

4. Scalper trader 

O Scalping tem similaridades com o Day Trade, tendo como a principal distinção o número de operações, isto é, a frequência com que ocorrem.  

Enquanto uma pessoa day trader realiza em torno de uma a cinco operações por dia, quem é scalper trader pode realizar de 15 a 70 no mesmo período. O objetivo aqui é obter ganhos financeiros em pouco tempo e perder poucos recursos quando cometer erros, ainda que os resultados dessas operações sejam relativamente menores. 

Geralmente, a premissa é encontrar melhores oportunidades de ganhar dinheiro rapidamente com o alto volume operacional diário. Sendo assim, faz parte da profissão de scalper trader negociar em um sistema no qual o tempo da operação é de menos de um minuto, conhecido como super intradiário. 

A grande vantagem dessa modalidade é a quantidade de acertos em operações. Ao desenvolver suas habilidades, a tendência é que a pessoa especuladora tenha mais pregões positivos do que negativos. 

5. Position Trader 

Considerada uma das categorias mais importantes da Bolsa de Valores, quem é position trader deve identificar as ações com maior potencial de valorização a longo prazo, diferente do day trader. O objetivo é operar na alta ou na baixa para buscar a alta dentro de alguns meses. 

A função principal desse tipo de trader é encontrar papéis, mas também identificar ocasiões em que o mercado permaneça em uma tendência constante por um grande espaço de tempo. Para isso, a pessoa deve seguir os movimentos até que note alguma reversão. 

A estratégia exige que quem pratica trading tenha disciplina e paciência, como é comum em qualquer segmento do mercado financeiro, pois sempre há a possibilidade de encontrar ações com bastante variação ao longo do período de investimento. 

Além do mais, é importante ter conhecimento avançado para estabelecer o Stop Gain e Stop Loss, ação comum em vendas automáticas, caso os valores atinjam um total de ganho esperado ou um total de perda estimado, respectivamente. 

6. Buy and holders 

As operações de médio e longo prazo também são alternativas de trading muito populares no meio dos investimentos. No primeiro caso, o tempo de investimento pode variar entre semanas, meses e até mesmo alguns anos. 

Porém, o tempo de investimento das operações de Buy and Hold pode levar entre 10 a 40 anos, visto que não há como estimar um período de retorno. Contudo, elas não exigem muito conhecimento técnico para que se comece a operar. 

Não deixa de ser interessante compreender como funciona a análise fundamentalista para acompanhar a evolução dos resultados com o decorrer do tempo. Também é preciso manter a continuidade do investimento, como em uma espécie de poupança. 

7. Broker 

Broker trader são pessoas conhecidas pela execução de ordens, ou seja, que, geralmente, criam suas próprias estratégias e não tomam decisões. Sua responsabilidade é executar operações de compra e venda dos clientes. 

Esse tipo de trader deve agir com rapidez e pensamento estratégico, conforme o planejamento de ação definido. Em alguns casos, dependendo da decisão do cliente ou do direcionamento, é possível que essa pessoa trader tenha algum tipo de autonomia, porém, o comum é que ela execute ordens de outra pessoa. 

Como ser trader? 

A foto mostra uma mulher olhando para a câmera, que segura um papel com gráficos de trading na mão e, aponta para um deles com uma caneta na outra mão.
Para entrar no mercado trader, é necessário desenvolver algumas habilidades que envolvem estratégia e inteligência emocional

Diferente do que muita gente pensa, operar no mercado financeiro não é mais uma tarefa complexa e restrita somente a quem domina os conhecimentos do setor. Mas, antes de embarcar nessa jornada, é preciso ter em mente os riscos da especulação

Como você terá uma exposição direta à volatilidade, é muito importante entender quais são as condições cruciais para se tornar trader e aumentar as chances de sucesso nas operações. Confere aí! 

Aumente seu conhecimento 

Como diz a máxima, conhecimento nunca é demais e, no caso do mercado financeiro, é algo que deve acompanhar a vida de quem é trader.  

Esse profissional deve manter-se constantemente atualizado. Seja qual for a tática adotada para fundamentar as negociações, o fato é que ele deve sempre estudar e se aprofundar no assunto. 

Felizmente, na era da informação digitalizada, o acesso ao conhecimento é muito mais democrático!  

Você pode, por exemplo, buscar informações sobre tendências de mercado em blogs de corretoras confiáveis e consolidadas (como o blog da Clear), realizar cursos, assistir vídeos, acompanhar as notícias e fatores cotidianos que afetam os movimentos do mercado e, não menos importante, ler livros para trader

Defina uma estratégia 

A essa altura do conteúdo, você já deve ter entendido que parte de o que é ser trader envolve operar com base em uma estratégia consolidada.  

Geralmente, traders estudam o mercado a partir de gráficos e procuram entender tendências e padrões na movimentação dos preços. Dessa forma, essas pessoas são capazes de identificar os melhores momentos para fazer entrada ou saída das operações, além de usarem técnicas para reduzir riscos. 

Alinhe seus objetivos com seu perfil 

Os objetivos de quem é trader se tornam mais palpáveis à medida em que a pessoa é capaz de alinhá-los com o seu perfil de investimentos.  

Isso contribui significativamente na hora de definir o melhor caminho para ele seguir. Também ajuda a ajustar as estratégias com base nas metas almejadas. 

Além disso, é fundamental determinar uma espécie de planejamento de ação. Considere, por exemplo, o tempo que você dedica para alcançar os objetivos que deseja na renda variável

Como fazer trade? 

Para atuar na Bolsa de Valores, a pessoa especuladora precisa de uma plataforma de investimento, que consiste, basicamente, em um espaço virtual disponibilizado pelas corretoras de valores para que o público em geral possa começar a investir.  

Como já mencionamos, esse tipo de tecnologia conta com uma vasta gama de recursos e produtos financeiros (tanto de renda fixa quanto variável). 

Como escolher uma plataforma trading? 

A foto mostra uma mulher sentada à frente de um notebook apontando algo nele para outra mulher que está em pé ao seu lado com uma xícara na mão.
Sabia que existe uma plataforma para cada tipo de trader?  

Para novos usuários de plataformas de trading, a primeira impressão ao encarar a interface do sistema pode ser um pouco impactante, pois seus gráficos e números, a princípio, parecem não fazer sentido. Contudo, o mecanismo dessas plataformas não é tão difícil assim. 

Para escolher a plataforma ideal para cada tipo de trader, é preciso levar em consideração os seguintes fatores: 

Se você ainda tem dúvida sobre como escolher a melhor plataforma de trade, pode tirar mais dúvidas em um conteúdo especial que a gente preparou exclusivamente sobre o assunto. 

A Clear possui os melhores produtos do mercado com corretagem zero. Invista com a melhor experiência em renda variável: Abra sua conta, é online, rápido e 100% grátis. 

Curso de trader 

A foto mostra cinco pessoas sentadas na beira de uma janela discutindo algo que está no computador da pessoa do meio.
Fazer um curso de trader e se tornar especialista pode ser para qualquer pessoa.

Pra fechar com chave de ouro, depois de vermos o que é trader, o que faz um trader e os tipos de trader, é hora de entender como se tornar, na prática, uma pessoa trader profissional, né? 

Então, queremos que você conheça o Curso de trader da Clear 📘  

São cerca de três meses de imersão para que você se aprofunde no universo do mercado financeiro. Nesse período, você receberá todo o treinamento necessário para se tornar uma pessoa especuladora de sucesso.  

No curso, nós abordamos desde as bases fundamentais do trading, passando pelas regras de negociação e o funcionamento da Bolsa de Valores, até as escolas de análise para que você aprenda a interpretar o mercado como uma pessoa verdadeiramente profissional, além de operar por meio de técnicas indispensáveis de gerenciamento de risco. 

Serão 120 horas para que você passe do nível iniciante para intermediário ou até mesmo avançado. Todos os materiais e aulas são disponibilizadas no ambiente virtual para que você aprenda a utilizar as mais diversas ferramentas e a analisar cenários, aproveitar a volatilidade do mercado e automatizar operações para lucrar. 

Com o curso de trader da Clear, você entenderá como: 

E ainda vale destacar que, ao operar com as plataformas de trading da Clear, você tem a garantia de que está atuando com uma das tecnologias mais confiáveis e intuitivas disponíveis no mercado financeiro da atualidade

E pra continuar por dentro das maiores novidades sobre o mercado financeiro, é só continuar acompanhando nosso blog. 

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


A foto mostra um homem em frente a um fundo branco, olhando para um celular que está em sua mão.

Se você chegou até aqui enquanto procurava saber o que é ETF de criptomoedas, é provável que já tenha percebido a popularidade que as moedas digitais ganharam na última década, né? 

De fato, a transformação digital e o crescimento da presença tecnológica na sociedade têm impulsionado o número de transações financeiras no ambiente virtual. E isso é visto, ainda, no mercado de investimentos, afinal, muito tem se falado em ETF de cripto na Bolsa de Valores nacional, a B3

Pensando nisso, preparamos este conteúdo pra te ajudar a entender o que é ETF de criptomoedas, o que esse conceito tem a ver com o termo HASH11, e te contamos como é possível investir em criptomoedas. Fique por dentro! 👇

O que é um ETF? 

De forma simplificada, ETFs são uma espécie de fundos de investimento que, geralmente, têm a rentabilidade relacionada a um determinado índice de referência, mas sem a figura de uma pessoa gestora.  

Ou seja, uma carteira de ativos integrada por ETFs é composta de maneira passiva, tornando-se o mais parecida possível com o benchmark. 

Quer um exemplo? 

Digamos que o ETF tenha o Ibovespa como referência. Com isso, a pessoa gestora pode comprar ações que fazem parte do índice por meio de recursos de cotistas (na mesma proporção). Ainda que se depare com alternativas mais atrativas no ato do investimento, o índice deverá ser seguido. 

Diferente de outros fundos de investimento e, igualmente como as ações, os ETFs são negociados na B3. Isso significa que quem investe pode comprá-los diretamente através do Home Broker da corretora de valores ou do app. 

E é claro que com a Clear você não fica de fora! Com o Clear PRO você pode comprar ETFs de maneira fácil, prática e intuitiva. Muito bom, não é mesmo? Para te ajudar, separamos algumas dicas PRO to PRO para acabar com suas dúvidas! Basta seguir os passos e começar a diversificar sua carteira com os ETFs. 🚀 

Tipos de criptomoedas 

Geralmente, os ETFs de criptomoedas estão relacionados aos modelos de moedas digitais, e, para além dos formatos mais comuns, existem diversos tipos de criptomoedas, como: 

Hash11: O primeiro ETF de criptomoedas na B3

A foto mostra a parte de cima do corpo de um homem, que está sentado, e tem um celular nas mãos, para o qual olha, em referência às pesquisas sobre etf de criptomoedas
O HASH11 foi o primeiro ETF de criptomoedas a ingressar na B3.

Atualmente, há uma infinidade de opções de ETFs, incluindo os ETFs de criptomoedas, que podem ser negociados pelas Bolsas mundo afora. Em países como os EUA, por exemplo, onde a economia é mais madura, esse mercado é muito bem desenvolvido. 

No Brasil, esse tipo de investimento também tem ganhado bastante espaço no decorrer dos anos –cenário que tem aberto margem para taxas cada vez mais justas. Assim, vale a pena mencionar a história do HASH11, o primeiro ETF de criptomoedas a integrar a Bolsa de Valores em nosso país. 

Hash11: como surgiu? 

O dia 26 de abril de 2021 foi marcado pela estreia do ETF de criptomoedas na Bolsa de Valores nacional. Para ter uma ideia, a sua Oferta Pública Nacional (IPO) levantou cerca de R$600 milhões.  

Diante de tamanho sucesso, não demorou muito para que o ativo entrasse para a lista de investimentos mais procurados. 

Com a crescente demanda por esse nicho do mercado, somada à segurança de negociar ETFs, o HASH11 passou a ocupar o quinto lugar na B3 em apenas dois meses após seu lançamento, ficando atrás apenas de opções mais populares como XINA11, IVVB11, SMALL11 e BOVA11

Hash11 vale a pena? 

Relembrando: o HASH11 pode ser negociado na Bolsa por meio dos padrões usados na maioria dos ativos que integram o mercado financeiro. Isso significa que uma pessoa investidora pode obter rendimentos a partir de transações de compra e venda por um preço determinado. 

Sem dúvidas, a máxima tradicional do setor permanece: não há garantia de ganhos futuros com a rentabilidade passada. Portanto, é preciso ter em mente que, o preço da ação HASH11 pode entrar em um cenário de queda e, assim como outros investimentos de renda variável, gerar risco. 

Mas ainda vale destacar os motivos pelos quais o investimento em ações HASH11 pode ser uma boa ideia. 

Segurança do HASH11 

Ao investir em HASH11, você pode contar com a regulação Anbima, da CVM e de outros órgãos regulamentadores que garantem segurança ao mercado de ações. Assim, você evita o risco de cair em pirâmides e golpes financeiros, por exemplo. 

Diversificação 

Uma das estratégias mais eficientes, especialmente para quem procura investimentos de longo prazo e deseja construir o patrimônio, é a diversificação da carteira. Assim, ao optar por um ETF de criptomoedas, como o HASH11, a pessoa investidora verá que o resultado acompanha as criptomoedas do índice. 

Tributação do HASH11 

Uma grande vantagem de investir em ETF de criptomoedas está no fato de que o procedimento é realizado por meio de corretoras de valores, cujos dados para declaração dos ganhos chegam da mesma maneira que os investimentos em ações. Ou seja, de forma simples e intuitiva. 

Facilidade de investir em HASH11 

Por fim, um dos benefícios de investir em ações HASH11 é a facilidade proporcionada, já que existem plataformas que podem ser baixadas em seu smartphone, permitindo que você gerencie suas operações no mercado financeiro sem sair de casa, além de contar com todo suporte que precisar. 

ETF de criptomoedas na Clear 

Sabia que é possível investir em criptomoedas por meio do Home Broker da Clear? O Clear PRO é rápido e possui uma interface intuitiva. Se quiser conhecer mais sobre o nosso Home Broker, o Matheus Nassar conta tudo o que você precisa saber nesse vídeo: 

E agora que você já tem uma noção mais ampla sobre o que é HASH11, entenda como a compra de uma ação HASH11 pode ser feita utilizando nossa plataforma. 

Passo 1: Abra sua conta na Clear 

Para investir em HASH11, primeiramente você precisará escolher uma corretora de valores na qual deverá abrir uma conta e, com o aplicativo da Clear, você pode fazer isso de maneira gratuita e online. 

Na Clear você conta com corretagem e taxa de custódia zero. Abra sua conta, e dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira.  

Passo 2: Acesse o Home Broker 

Feito o primeiro passo, você deve acessar o Home Broker e escolher o HASH11 para compra. Utilize o campo de busca e digite o código correspondente para localizá-lo de maneira mais rápida. 

Passo 3: Defina a quantidade de ativos 

Partindo do princípio de que você já tomou a decisão de que esse é o melhor ETF de criptomoedas para investir, analise aspectos como preço de compra e venda, variação percentual, mínima, média, máxima, abertura e fechamento. Depois, basta definir a quantidade de papéis que você deseja comprar. 

Passo 4: Preencha a boleta 

Na plataforma, você verá a opção “livro de ofertas” e poderá conferir os valores pelos quais os ativos estão sendo negociados. Após determinar o valor para compra ou venda do ativo, você deve preencher a boleta de ordem com o preço e quantidade estipulados para a operação, além do código da ação. Clique em Enviar digitando a sua assinatura eletrônica. 

Passo 5. Finalize sua operação 

A sua operação será finalizada assim que houver uma pessoa vendedora ou compradora. Como a demanda por ETF de criptomoedas é alta, a ordem costuma ser executada imediatamente. 

Nas ordens a mercado a execução ocorre imediatamente após o envio pelo preço da(s) melhor(es) oferta(s) já colocada(s) pela contraparte. 

Nosso Home Broker é gratuito –você não paga nem a taxa de corretagem nem a taxa de custódia. Então, tá esperando o quê pra começar a investir com a gente? 

Abra sua conta na Clear e aproveite as vantagens nos melhores produtos do mercado.

 

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Uma mulher sentada à cama com uma das pernas esticadas mexe no notebook que está em seu colo.

A mais antiga e conhecida das moedas virtuais disponíveis no mercado, o Bitcoin, vem batendo recordes sucessivos, contabilizando, ao longo de 2020, um crescimento de 300%, e chegando a valer cerca de US$644 bilhões em 2021.  

boom da internet (1999), também alavancou o crescimento explosivo do Bitcoin nos últimos anos, fazendo com que a taxa de crescimento da moeda virtual superasse, em usuários, os adotantes da internet. 

Um estudo, realizado por Willy Woo e publicado na Exame em 2021, revela que “em termos de adoção, o bitcoin tem, a grosso modo, o mesmo número de usuários que a internet tinha em 1997. Mas o bitcoin está crescendo mais rápido. Se mantiver o ritmo nos próximos quatro anos, o bitcoin chegará a 1 bilhão de pessoas, o que equivale ao ano de 2005 para a internet”. 

Já deu pra perceber que, de fato, o Bitcoin e outras moedas virtuais ganham um espaço cada vez maior, especialmente na arena dos avanços tecnológicos, e despertam a curiosidade não somente de Main Street (as pequenas firmas de investimentos ou pessoas investidoras individuais) como também de Wall Street (empresas mundialmente reconhecidas). É pra ficar de olho! 

Por isso, trouxemos, neste conteúdo, tudo sobre o que é criptomoeda, os principais tipos de criptomoedas, como elas funcionam, se o investimento vale a pena. Continue a leitura e aventure-se! 

O que é criptomoeda e como ela funciona? 

Também conhecida como moeda virtual, a criptomoeda é uma moeda digital criada em uma rede blockchain, com recursos avançados de criptografia, praticamente impossível de sofrer alguma interferência. Existentes apenas na internet e só podendo ser utilizadas no meio digital, as criptomoedas não são emitidas por governo algum até o momento. 

Mas já existem alguns governos, como ChinaIndonésia colocando a mão na massa para lançar sua própria criptomoeda. 

Mesmo com a segurança que a criptografia oferece, a carteira digital (Wallet) é fundamental para ter o controle do que acontece com suas criptos. A carteira permite armazenar chaves, ou seja, sua senha de acesso para receber e transferir moedas virtuais, similar ao que acontece no pix. 

Para que servem as criptomoedas? 

No geral, as criptomoedas (ou, se você preferir, as moedas virtuais) servem para a realização de investimentospara transações de valores pela internet, não havendo a cobrança de taxas financeiras ou bancárias, e também para a compra e venda em lojas físicas −mas, neste caso, por meios digitais. 

Grandes empresas já aceitam as moedas virtuais, como DELLMicrosoftMastercardVisaPayPalBurger KingIBM e Starbucks.  

Essa lista é cada vez maior, ainda que as operações de compra com quaisquer tipos de criptomoedas sejam pequenas. Além disso, alguns governos também começaram a utilizar moedas virtuais, como os Emirados Árabes e Singapura. 

Também vale a pena citar que outra função importante de cripto é a captação de recursos via ICO (Initial Coin Offering ou Oferta Inicial de Moedas), onde é possível usar uma blockchain (geralmente Ethereum) para financiar seu projeto. 

Como funciona a criptomoeda no mercado? 

A foto mostra o pedaço do braço de uma pessoa e sua mão, que segura um celular de frente para a câmera.
Para entender se as moedas virtuais são uma boa para você, é preciso compreende, antes, qual é o funcionamento delas no mercado 

As criptomoedas funcionam de acordo com um código que, em si, é bem simples, e a rede de mineração e os algoritmos de consenso é que criam a defesa da cripto. Não há um Banco Central que faça o acompanhamento das moedas virtuais e, por isso, elas precisam ser registradas e validadas em um sistema de blockchain, que assegura que nenhuma moeda virtual seja utilizada por mais de uma pessoa, e que proporciona total anonimidade entre as transações. 

Quem registra as transações no blockchain são mineradores, que conferem as operações realizadas e, em troca, recebem suas próprias moedas virtuais –e a inovação tecnológica está no fato de que essa recompensa é ajustada de forma a sempre manter o engajamento da rede de mineração. 

Por fim, a variação de preço de cada um dos tipos de criptomoedas segue a lei da oferta e da procura.  

Como funciona a compra e venda de criptomoedas? 

Para comprar as criptomoedas, é preciso procurar uma corretora de confiança que trabalhe com tipos de criptomoedas em seu portfólio. Você informa a quantia que gostaria de investir, e a compra é efetuada por meio do emissor ou de alguém que queira se desfazer de suas moedas, seja por meio de dinheiro real ou negociação das mesmas moedas. 

Ainda não possui conta? Abra a sua na Clear e aproveite a corretagem zero em todos os produtos. 

A cotação das moedas virtuais é realizada na internet, anonimamente e, para além disso, as criptomoedas são parte de um mercado recente, portanto, a volatilidade o acompanha.  

Dessa forma, o perfil indicado para investir em moedas virtuais costuma ser restrito às pessoas que estão mais confortáveis com grandes oscilações de mercado

Existe certo alerta sobre o risco de hackers e imprevisibilidade do futuro, porém, depois de conhecermos a dinâmica das moedas virtuais e saber mais sobre como funciona a criptomoeda, fica mais fácil entender que a probabilidade de interferências externas é baixa e que, em todas as situações, é necessário ter cautela com senhas e tokens.  

Tipos de criptomoedas: quais os mais populares? 

Já existem mais de 8 mil tipos de criptomoedas no mundo, chegando na casa de US$2 trilhões em valor de mercado. Isso te surpreende? É, não dá para negar a explosão das moedas virtuais. 

Mas você sabia que algumas criptomoedas não têm como finalidade se tornar uma moeda de troca, e sim um projeto de inovação tecnológica em diversas frentes? Por isso, nesses casos, o valor real (a cotação da moeda) não significa, necessariamente, que o projeto como um todo não tenha valor. 

Diferentes moedas virtuais possuem tecnologias e mecanismos diferentes, e nem todas as criptomoedas são classificadas como Bitcoins, por exemplo. Sem dúvidas, as Altcoins (moedas virtuais que são uma alternativa ao Bitcoin) também seguem uma tendência positiva de valorização. 

Na sequência, nós te mostramos as 11 moedas virtuais mais populares e de maior market cap. Confere aí! 

Bitcoin 

O Bitcoin, o tipo de criptomoeda mais famoso do mercado, já acumula uma capitalização de mercado superior a US$1 trilhão, e, desde 2010, teve uma valorização de 3.000.000%, com uma média anual de 192% de lucro. Se você tivesse apostado R$100 na moeda virtual lá em 2010, por exemplo, teria, hoje, mais de R$5 milhões de reais na conta bancária. 

Existem mais de 18,5 milhões de Bitcoins em circulação, e seu limite já havia sido estipulado muito tempo atrás: só será possível existir 21 milhões de Bitcoins. 

Cardano 

Ainda se esforçando para manter seu nome na lista das moedas virtuais fortes do mercado, o Cardano é, na verdade, bem jovem: foi lançado em 2017. Em 2021, chegou a valer em torno de US$1,23 e a acumular um respeitável market cap de US$39 bilhões.  

Seu sistema de blockchain é considerado mais seguro que o do Ethereum e Bitcoin, e o projeto das pessoas que desenvolveram esse tipo de criptomoeda é se tornar a principal moeda do sistema financeiro global. 

Dogecoin 

A moeda do cachorrinho foi criada em 2013 como um meme em referência ao Bitcoin, mas viralizou e acabou atraindo o interesse dos investidores. 

A criptomoeda dogecoin já tem mais de US$51,5 bilhões em capitalização de mercado e chegou a registrar um crescimento de 12.000%! Contudo, seu valor é considerado baixo, na faixa de US$0,40. 

E não poderíamos de esquecer de falar que é o cachorro da raça Shiba Inu que dá cara a essa moeda virtual. 

Ethereum 

Um monitor mostra, em foco, variações do gráfico de Ethereum.
A Ethereum é uma das moedas virtuais mais conhecidas do mercado, depois do Bitcoin 

A Ethereum nasceu em 2015 e, dentre as moedas virtuais, já é a segunda maior do mundo, com um market cap de US$250,5 bilhões (um quarto da capitalização do Bitcoin). Em maio de 2021, por exemplo, chegou a valer mais de US$2 mil. 

Este tipo de criptomoeda foi desenvolvido para funcionar como um ativo do mercado financeiro, por meio de protocolos digitais e irreversíveis, de modo que também utiliza a tecnologia blockchain. 

Quando falamos em blockchain, não podemos esquecer dos smart contracts (contratos inteligentes), responsáveis pela segurança das transações sem a necessidade de um mediador, e do protocolo Proof of Stake (PoS), modelo intrínseco de validação adotado em 2020, uma alternativa ao mais antigo Proof of Work (PoW), um modelo extrínseco de validação. 

Binance Coin (BNB) 

Criado em 2017, o BNB tinha o objetivo de ser um “token de utilidade para descontos em taxas de trading”, segundo o site da Binance, uma das maiores corretoras (exchanges) de criptomoedas do mundo, que é, na verdade, criadora do BNB.  

Hoje, o Binance Coin é o token nativo do blockchain da Binance Chain, sendo utilizado por traders no pagamento de taxas na corretora, transferência de ativos e pode ser “gasto em bens e serviços em um número cada vez maior de estabelecimentos”, também de acordo com a Binance. 

Litecoin 

Das moedas virtuais, é o irmão mais novo da Bitcoin, nascido em 2011. O DNA é o mesmo, com as mesmas características, e a diferença é que o Litecoin oferece menor tempo de transação, por conta de uma taxa menor de bloqueio, e maior acessibilidade. 

Podemos considerar que essa criptomoeda possui um grande potencial, especialmente porque existe um número considerável de comerciantes que a aceitam. 

Polkadot (DOT) 

Relativamente nova no mercado, a Polkadot já alcançou lugares incríveis: com o objetivo de se tornar uma grande rede de blockchains interoperáveis, em 2021 chegou a estar entre as 5 maiores criptomoedas em termos de capitalização de mercado. 

No site da Polkadot, é possível encontrar informações, por exemplo, de que “Polkadot permite transferências cross-blockchain de qualquer tipo de dados ou ativos, não apenas tokens”, entre outras particularidades da DOT. 

Ripple (XRP) 

Ripple é a moeda virtual utilizada na plataforma que leva seu próprio nome, permitindo a transferência de dinheiro em qualquer forma, inclusive moeda nacional. Além disso, ela funciona como uma espécie de banco mundial, convertendo valores de diferentes moedas. 

Solana (SOL) 

Fundada em 2017 por Anatoly Yakovenko, Solana é uma plataforma blockchain capaz de processar 50 mil transações por segundo, oferecendo soluções rápidas para contratos autônomos. 

Stellar 

A moeda virtual Stellar foi projetada por Jed McCaleb, cofundador da Ripple, em 2014. Ela é operada por uma organização sem fins lucrativos, chamada Stellar.org. Seu objetivo é ajudar economias em desenvolvimento e se concentrar na transferência de dinheiro entre fronteiras internacionais. 

Tether (USDT) 

O Tether é uma stablecoin (uma moeda virtual que proporciona menor volatilidade de preços) lançada em 2014, com a intenção de ser equivalente ao dólar estadunidense. De acordo com uma matéria publicada pela Infomoney, foi anunciado, em 2019, que, na verdade, não são todos os Tether que serão lastreados com o dólar. 

Vale a pena investir em criptomoedas? 

Esta é uma decisão pessoal e vai depender do seu perfil de investidor, mais ou menos conservador ou agressivo. Nem todo mundo está disposto a investir grandes quantidades de dinheiro em moedas virtuais

Por exemplo, em 2020, o ouro valorizou cerca de 55% e o dólar por volta de 30%. Já o Bitcoin, havia crescido em 300%. Dessa forma, alguns especialistas dizem que as moedas virtuais não são mais um investimento tão excêntrico assim. 

Mas o mercado também não descarta tombos, que podem até superar a casa dos 50%, como já aconteceu alguns anos atrás. 

Esse é um dos motivos pelos quais consideramos que a diversificação da carteira é tão importante para as pessoas que investem e, para isso, é necessário aprender a estabelecer seus objetivos, estipular prazos e descobrir qual é o seu perfil investidor.  

Uma carteira diversificada possibilita dividir seu capital entre as aplicações, reduzindo os riscos e compensando eventuais perdas. Assim, entendendo um pouco mais sobre como funcionam os investimentos em renda fixa e variável, é possível criar uma carteira equilibrada: investimentos em renda variável, por exemplo, são mais arrojados, de modo que seu valor acompanha o mercado. 

Enfim, se você precisa de uma mão amiga para a tomada de decisão sobre os melhores investimentos para cada tipo de perfil de investidor, os analistas da Clear estão prontos para te ajudar. Você pode participar de salas de análises on-line e receber todo suporte para operar com precisão e eficiência. 

Agora que você já conhece bem sobre criptomoedas, que tal aproveitar os melhores produtos do mercado com corretagem zero? Abra sua conta com a gente! 

Na Clear, contamos com produtos de Renda Variável, Day Trade de ações, Minicontratos, ETFs, Swing Trade, Fundos Imobiliários e mais. Diversifique seus investimentos com a gente! 

Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Começamos na semana passada (15/10) a temporada de divulgação de resultados do 3º trimestre de 2020 (3T20) das empresas listadas na bolsa. Esse período nada mais é a época do ano em que as empresas apresentam as Demonstrações Financeiras com os números de 1º de julho à 30 de setembro.

Divulgar os resultados é uma das obrigações que companhias de capital aberto tem com o mercado e, principalmente, com o investidor. Os números, além de indicarem a saúde financeira da empresa, são importantes para que o investidor acionista tenha visibilidade e tome as melhores decisões.

A expectativa para o 3º Trimestre é que seja um período de recuperação frente ao trimestre anterior, o mais impactado pela pandemia até agora, que apresentou uma queda de -26,5% no Lucro Operacional (EBITDA). Mas vale lembrar que, no final do dia, o que impacta no preço das ações é o que a empresa reportou frente ao que era esperado pelo mercado.

Quando a companhia apresenta números melhores que o esperado e consegue surpreender positivamente é que normalmente vemos o papel se valorizar. No próprio 2º Trimestre, quando era mais difícil ter visibilidade do tamanho do “estrago” da crise, os analistas reduziram as expectativas antes da divulgação dos resultados e a queda de -26,5% foi vista como “apenas” -26,5%, frente a redução de 73% no Lucro Operacional esperado para as empresas do índice Ibovespa quando comparado com o mesmo período de 2019.

Divulgação e expectativas para o 3º Trimestre

Pensando nisso, preparamos uma agenda com data de divulgação das principais empresas e a média da expectativa dos analistas* para dois dos indicadores mais importantes: o EBITDA e o Lucro Líquido. Para facilitar, vamos relembrar os conceitos:

– Lucro líquido: última linha do resultado, é a receita total menos o custo total. O lucro líquido é quanto “sobrou” no final do período depois da empresa honrar as suas obrigações.

– EBITDA: indicador de lucro operacional. Resultado antes de deduzir os impostos, pagamentos de juros (custo da dívida) e outras despesas não operacionais. Nessa análise é indicado o EBITDA a ser reportado para a CVM, sem ajustes que podem ser feito por cada setor ou empresa colocando na conta considerações específicas.

Conforme os resultados forem liberados pelo RI (Relação com Investidores) das Companhias, vamos comentar o impacto nas ações no grupo do Telegram e outras mídias. Continuem nos acompanhando aqui no Blog e nos outros canais de comunicação da Clear.

*fonte: Refinitiv – média das expectativas das casas de análise contribuintes com a plataforma.

Outubro

Tabela do mês de outubro

Novembro

Tabela com os resultado de novembro
Clique e abra sua conta na Clear

Array

Array

Navegue por assunto


Descubra como operar na bolsa sem dinheiro por meio das operações a termo

Você sabia que dá para investir em ações sem possuir dinheiro disponível em sua conta? Essa afirmação pode soar bastante estranha, mas sim, é possível.

Isso se torna viável por meio das chamadas operações a termo, que é quando o trader se compromete a comprar determinado ativo por um preço predefinido, ou seja, o preço de compra acrescido da taxa acordada conforme o prazo estabelecido.

Nesta matéria, explicamos como funcionam as operações a termo e como é possível investir em ações sem ter dinheiro na Bolsa de Valores.

O que são as operações a termo?

Podemos dizer que uma operação a termo pode ser igual a uma compra a prazo. Apesar de não ser necessário disponibilizar recursos no momento da compra, é preciso ter garantias para fazer a operação, que podem ser ações que você já possua, tesouro direto ou até mesmo alguns títulos de renda fixa.

Suponha que você queira comprar 100 ações de PETR4 (Petrobras) e que, hipoteticamente, elas estejam sendo negociadas a R$ 26 reais. No terceiro dia útil, após fazer a sua compra, você precisará fazer o pagamento que, neste caso, será de R$ 2.600 (100 x R$ 26).

Além do exemplo acima, que mostra como funciona uma tradicional compra de ações, a outra forma para adquirir ações são as operações a termo, que nada mais são do que simples empréstimos, no qual você pegará um dinheiro emprestado por um prazo definido e por uma taxa fixa, ambos totalmente conhecidos. Desta forma, você só precisará fazer o pagamento das ações, acrescido da taxa, na data de vencimento do termo. Veja o exemplo a seguir.

Imagine que taxa de termo para o período de 30 dias corridos seja de 0,55%. Ao comprar as ações de PETR4, você precisará pagar, após 30 dias, o valor de R$ 26,143 por ação, ou seja R$26 (preço à vista) + R$0,143 (taxa do financiador). Repare que você não gastou nada antes dos 30 dias.

Quer começar a investir em ações por meio das operações a termo? Então abra a sua na Clear e comece já!

Quais são as vantagens das operações a termo

1. Comprar ações sem ter os recursos disponíveis no momento

Como falamos anteriormente, você só precisa ter os recursos financeiros disponíveis no vencimento do termo, podendo se planejar para fazer o pagamento futuro, ou então, poderá utilizar o recurso da venda das ações compradas a termo para pagamento, recebendo assim, somente a diferença entre a compra a termo e a venda.

2. Operar alavancado

Operações alavancadas são aquelas nas quais você pode se expor em valores bem maiores que o seu próprio patrimônio, podendo gerar resultados muito positivos, mas também prejuízos de alta magnitude. Desta forma, operações alavancadas são indicadas apenas para investidores e traders experientes. Operações a termo permitem uma alavancagem, para operações de Swing Trade (curto, médio e longo prazo) de, em média, duas a três vezes.

3. Fazer caixa

Imagine que você já tenha ações de PETR4 compradas e, por algum motivo, precise de dinheiro para alguma outra finalidade, mas não quer deixar de estar posicionado nestas ações, pois espera que elas se valorizem. Neste caso, a saída é vendê-las e comprá-las via termo. Desta forma, você levantará os recursos que precisa com a venda das ações, mas continuará exposto na alta via o termo.

Quais são os prazos para fazer as operações a termo

O prazo mínimo de uma operação é de 16 dias corridos, e o prazo máximo de 999 dias corridos.

Os prazos mais comuns são os de 16, 30, 60, 90 e 180 dias.

Como funciona o encerramento das operações?

O encerramento pode ser feito de três formas diferentes:

1. Venda antecipada das ações

Suponha que você tenha feito um termo de 90 dias e que, no décimo dia, a ação tenha valorizado muito e você queira lucrar com isso. Neste caso, basta vender as ações e pedir para a sua corretora liquidar o termo. O seu lucro (ou prejuízo) será a diferença entre o preço que você vendeu e o preço da compra a termo.

2. Liquidação antecipada

Este é um tipo muito incomum de encerramento de operações a termo, já que o pagamento no ato do termo não é pro rata. Trata-se do caso no qual o investidor queira pagar as ações antes da data de vencimento, encerrando o contrato e ficando com as ações na sua carteira.

3. Vencimento do prazo

Este é o formato mais comum. Neste tipo de liquidação, o investidor espera a data de vencimento para fazer o pagamento.

O que é rolagem de termo?

A rolagem a termo é uma expressão bastante comum para aqueles que já utilizam deste mercado e nada mais é do que fazer um novo termo, no mesmo ativo, assim que o termo vencer.

Quais são os custos operacionais?

Na Clear, o custo de corretagem para realizar operações a termo é ZERO, então, o seu único custo serão as taxas (emolumentos, taxa de registro e taxa de liquidação) cobradas pela Bolsa de Valores.

É possível realizar esta operação direto pelo Pit de Negociação?

A rolagem a Termo pode ser feita apenas pela Mesa de Operações. Caso queira fazê-la, informe o ativo, quantidade e período que deseja rolar a operação base ao operador e o mesmo realizará o procedimento.

Aproveite e bons negócios!

Clique e abra sua conta na Clear