Por que o mercado ficou tão animado com as eleições dos EUA? [Resumo Semanal 06/11]

Por que o mercado ficou tão animado com as eleições dos EUA? [Resumo Semanal 06/11]

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

06/11/2020 • Atualizado: 24/03/2022

4 minutos

Compartilhar:

Confira o que aconteceu no mercado na última semana (02/11 a 06/11) e quais são as perspectivas futuras

2020 ainda não acabou, mas sem dúvida essa semana ficará marcada na vida de muitos investidores pela intensa volatilidade e para de uma vez por todas você parar de operar notícia.

Na semana passada, quando o Ibovespa atingiu o principal suporte de curto prazo em 93 mil pontos com uma queda de 7%, enquanto o S&P 500 a marca de 3.200 pontos com uma queda de 6%, que foi o último topo rompido, foi gerado um apocalipse sobre as eleições dos EUA e que ela iria gerar uma grande volatilidade no mercado.

Não era novidade para ninguém que a eleição norte-americana resultaria em aumento de volatilidade para o mercado e o comportamento do VIX (índice de volatilidade do S&P 500) ajuda explicar.

Vale fazer um disclaimer aqui: o correto seria fazer uma análise estatística com as devidas regressões e testes. A intenção é mostrar a relação entre as duas variáveis de forma simples e se quiser fazer uma análise mais rebuscada esse tema vale uma boa monografia 😀

Como se pode ver na figura abaixo, quando do S&P 500 (linha vermelha) está perto da mínima, o VIX (linha azul) está próximo de uma máxima, sendo que o contrário também é verdadeiro.

grafico S&P 500

Neste momento, enquanto o S&P 500 está na máxima histórica, o VIX está no mesmo nível de maio deste ano e muito longe da mínima do ano (próximo da linha laranja horizontal), ou seja, o mercado norte-americano já está bastante volátil se levar em conta o comportamento histórico entre as duas variáveis e acreditar em um aumento da volatilidade por conta das eleições na verdade era contra intuitivo.

Isso seria uma verdade se valer acreditar que o evento seria tão catastrófico ao ponto de se comparar com as crises do subprime e do COVID onde estão relacionados os picos de volatilidade do VIX e quedas bruscas do mercado norte-americano (e mundial).

Portanto, prever que haveria um aumento de volatilidade para o mercado e com base nisso tomar sua decisão de investimento não tinha sentido. Ou seja, NÃO OPERE NOTÍCIA!

O que realmente fez realmente sentido foi observar o retorno para os 93 mil pontos e fazer as seguintes perguntas independente de notícia: neste nível temos uma relação de risco x favorável? A empresa que estou querendo colocar na minha carteira está com múltiplos atrativos e descontada no gráfico? Qual é a relação de risco x retorno desta operação? A porrada de 7% do Ibovespa e do S&P 500 revelou que essa estratégia foi a correta e comprovando mais uma vez: NÃO OPERE NOTÍCIA!

Efeito das eleições americanas no mercado

Feito esse disclaimer, vamos responder a questão do título deste blog: por que o mercado ficou tão animado mesmo com tanta indefinição no resultado das eleições dos EUA?

Mesmo que a mudança de presidente seja uma realidade, o que naturalmente traz volatilidade já que estamos falando da maior economia do mundo, o mercado está focado em dois aspectos:

i) novo pacote de estímulos será liberado;

ii) a maioria republicana no Senado deverá dificultar os planos de Biden de implementar mudanças drásticas na taxação das empresas. Em outras palavras, as incertezas sobre mudanças expressivas do lado legislativo e programas que colocariam em xeque a saúde fiscal dos EUA foram mitigadas. Vale destacar também que Mitch McConnell (líder do partido republicado) continuará como líder da maioria no Senado dos Estados Unidos ano que vem.

Para completar e dar mais força sobre a necessidade de um novo programa de estímulos, em reunião na tarde da última quinta (5), o Fed afirmou que a atividade e o emprego seguem bem abaixo dos níveis do começo do ano, ao passo que está comprometido em apoiar a recuperação da economia e utilizar toda gama de ferramentas monetárias para atingir esse objetivo. Ou seja, o BC dos EUA ainda tem lenha para queimar e fortalecer ainda mais o mercado via compra de títulos e outras medidas monetárias para destravar o crédito.

Para fechar vou deixar o link da live feita por nosso time de análise falando justamente sobre o impacto das eleições dos EUA no mercado e como aproveitar essa volatilidade ao seu favor:

O que esperar para a bolsa para o curto prazo?https://www.instagram.com/tv/CHOZRdyH8Fo/