Definiu para baixo: e agora? [Resumo Semanal 25/09]

Definiu para baixo: e agora? [Resumo Semanal 25/09]

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

25/09/2020 • Atualizado: 10/12/2021

4 minutos

Compartilhar:

Confira o que aconteceu no mercado na última semana (21/09 a 25/09) e quais são as perspectivas futuras

No texto da segunda semana de setembro (veja aqui) comentava que o Ibovespa estava em uma espécie de corda bamba, uma vez que havia muita pressão vendedora sobre 100 mil pontos e a região de 98 mil pontos seria decisiva para confirmar a expectativa de queda.

Pois bem, nesta semana foi confirmado a perda do patamar após uma congestão que durava 2 meses. Com a definição para baixo, o que o investidor deve fazer neste momento?

A primeira atitude é não ficar tentando adivinhar o fim da tendência. Sei que que o patamar de 95 mil pontos (minima de julho) é muito importante, mas estamos falando do início de uma tendência de baixa no curtíssimo prazo após 2 meses de acumulação. Ou seja, demorou muito tempo para o mercado tomar uma decisão e ir imediatamente contra esse movimento seria como ir contra o fluxo da Estação Sé na hora do rush.

Ciente que tentar pegar a faca caindo é perigoso, agora é preciso entender até quando este movimento de baixa pode chegar e isso a análise técnica ajuda bastante. Quando projetamos (linhas vermelhas) a perna de baixa formada chegamos exatamente no fundo de junho cravado entre 93 – 90 mil pontos, patamar esse que simboliza o início da tendência de alta de curto prazo.

Tem como cravar que vai atingir esse patamar? Obviamente que não pois ninguém prevê o futuro, mas a probabilidade de alcançar esse nível em vista do início da tendência de baixa de curtíssimo prazo após 2 meses de congestão é grande e por isso vale ter esse cenário como base neste momento

Tendo isso como pressuposto (não é hora de entrar em vista do início da tendência de baixa) esse é momento do investidor se debruçar em suas análises para quando chegar essa tendência de fato perder força ter um Radar de Ações engatilhado para ir às compras, pois imaginando o mercado na faixa de 90K os preços estarão bem atrativos.

Neste sentido, a primeira classe de ativos que deve ser mapeada corresponde as boas pagadoras de proventos, uma vez que o preço faz toda diferença quando estamos falando de yield tudo sobre proventos neste link.

Com a Selic em 2% ao ano o apelo por essa classe cresceu ainda mais pois pela primeira vez em muitos anos o rendimento dos dividendos das empresas do Ibovespa superou a taxa básica de juros. De olho nisso, vale monitorar de perto boas oportunidades no setor de bancos e energia & saneamento como revela a tabela retirada de um estudo do time de analistas da XP:

O segundo passo consiste em monitorar empresas que estão em forte tendência de alta e apresentaram bons resultados no segundo trimestre / trouxeram soluções para lidar com a crise. Neste bolo estou de olho em Weg (que já está na carteira), no setor de saúde e especificamente Intermédica, como de olho no setor de construção / shoppings atento com o comportamento de EZTec e Iguatemi.

Sabemos que o mercado é cíclico e não é toda hora que está oferecendo uma boa relação de risco x retorno. Nestes momentos, ainda mais o atual que podemos voltar para níveis bem atrativos, é hora de parar de clicar e estudar os cases para na hora certa estar preparado para investir.

Agenda da próxima semana

A semana começa com o tradicional Boletim Focus (8h25) na segunda e na terça (10h30) teremos dados da dívida pública (10h30), assim como o Caged (16h00) de agosto. Às 22h00 serão divulgados dados industriais chineses de setembro.

A quarta (4h30) começa com o discurso da presidente do BCE, Christine Lagarde, ao passo que às 9h00 teremos a taxa de desemprego brasileira e 15 minutos depois o ADP Employment de setembro. Ainda nos EUA, às 9h30, será publicada a última prévia do PIB do segundo trimestre.

A quinta começa com dados industriais da Zona do Euro (6h00) e às 9h30 teremos uma bateria de dados nos EUA: pedidos de seguro-desemprego nos EUA da última semana, inflação do PCE e dados de consumo e renda, todos esses de agosto.

A semana fecha com a produção industrial brasileira de agosto (9h00) e com o Relatório de Emprego (9h30) de setembro. Vale lembrar que a bolsas chinesa ficará fechada entre quinta e sexta por conta de feriado.