Truco Copom! [Resumo Semanal 30/10]

Truco Copom! [Resumo Semanal 30/10]

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

30/10/2020 • Atualizado: 10/12/2021

4 minutos

Compartilhar:

Confira o que aconteceu no mercado na última semana (26/10 a 30/10) e quais são as perspectivas futuras

Em sua 234ª reunião, o Copom não surpreendeu o mercado ao decidir, por unanimidade, manter a Selic em 2,00% a.a. Da mesma forma, o Comitê de Política Monetária não alterou seu discurso dovish que ainda existem condições para novos cortes no ano que vem e aí o mercado não teve dúvida: pediu Truco!

“O Comitê considera adequado o atual nível de estímulo monetário que vem sendo produzido pela manutenção da taxa básica de juros em 2,00% a.a. e pelo forward guidance adotado em sua 232ª reunião, segundo o qual o Copom não pretende reduzir o grau de estímulo monetário desde que determinadas condições sejam satisfeitas”.

As condições exigidas pelo Copom para seguir com sua política monetária expansionista passa basicamente pelo bom comportamento da inflação no curto prazo e uma evolução do quadro fiscal, que em outras palavras seria avanço da agenda de reformas. Ou seja, nada que está acontecendo agora.

Ao ler o comunicado, além de não fechar totalmente a porta para um novo corte, percebe-se que não houve um aumento da preocupação quanto ao cenário fiscal, bem diferente da percepção do mercado, como um Copom benevolente com o cenário inflacionário. Esse comportamento denota duas coisas:

i) muita confiança no avanço da agenda fiscal (o que é natural);

ii) muita confiança que o choque do preço dos alimentos é temporário e que a economia seguirá fraca.

O lado político realmente é difícil de prever e ele será fundamental para 2021, mas do lado da inflação estamos vendo uma sequência forte de alta e quando observamos a tendência (de forte alta) das commodities agrícolas/metálicas por enquanto não há qualquer sinal de arrefecimento dos preços, sem falar da depreciação da nossa moeda que assusta.

Como dito, apesar da pressão inflacionária mais forte no curto prazo, o Comitê seguiu com seu diagnóstico de que esse choque é temporário e a parte mais curta da curva de juros foi logo se ajustando para esse cenário benigno projetado pelo Copom e devolveu o prêmio que tinha, mas os juros futuros com vencimento de 2023 para cima seguem inclinando para cima e sistematicamente duvidando desse cenário otimista.

O que mercado está colocando na conta agora é que essa expectativa de inflação deve flutuar para cima, ou seja, já chegamos em níveis historicamente baixos e a inflação seguir ancorada nesse nível não parece ser muito provável, ao passo que o Bacen precisará correr atrás da curva de juros para corrigir essa disparidade (o que acaba gerando o prêmio).

O que, na minha opinião, o Copom parece visualizar e que o mercado está negligenciando é a probabilidade de uma depressão maior da economia, o que de fato deve ser agravada com a retirada dos estímulos de renda e caso for confirmada uma Segunda Onda do COVID no Brasil, ao passo que se isso ocorrer realmente isso prescreverá uma nova rodada de estímulos vide que a inflação seguirá ancorada e aí será a curva de juros que precisará se ajustar ao cenário do Bacen.

Somente o tempo irá dizer quem estará certo, mas sigo com a opinião que a maior probabilidade é do primeiro cenário e que o Bacen precisará correr atrás da curva de juros para se ajustar.

Agenda econômica da próxima semana

Segunda será feriado no Brasil (B3 fechada) e vale ficar ligado nos ADRs, assim como ao PMI Industrial dos EUA (11h45) referente ao mês de outubro e o início das Eleições Presidenciais por lá.

Na terça temos logo pela manhã a Ata do Copom (8h00) e às 22h45 o PMI de Serviços de outubro na China. Vale lembrar que teremos mudança do horário do pregão por conta do fim do horário de verão nos EUA e a B3 fechará às 18h00 (até pelo menos março do ano que vem).

Na quarta, às 6h00, teremos o PMI de Serviços da Zona do Euro de outubro, Produção Industrial brasileira de setembro (9h00), ADP Employment de outubro (10h15) e o PMI de Serviços/Industrial norte-americano (11h45) de outubro.

Na quinta, às 16h00, será realizada a reunião do Fed e meia hora depois a coletiva de imprensa do presidente do Fed, Jerome Powell. A semana fecha com IPCA de outubro às 9h00 e o Relatório de Emprego de outubro às 10h30.