BM&F Bovespa: o que é e como investir

BM&F Bovespa: o que é e como investir

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

14/07/2020 • Atualizado: 31/01/2022

6 minutos

Compartilhar:

Entenda como funcionam os investimentos em uma das maiores instituições do mercado financeiro do mundo

Muita gente já ouviu falar na BM&F Bovespa e sabe até que ela está relacionada à bolsa de valores. Porém, na hora de explicar exatamente o que é e como faz para investir por meio dessa instituição, a tarefa fica um pouco mais complicada. Pensando nisso, esse artigo irá contar tudo o que você precisa saber sobre essa importante organização do mercado financeiro.

Na última década, mais de um milhão de brasileiros começaram a investir na bolsa de valores. E como as pessoas tem cada vez mais acesso à educação financeira, esse número deve crescer ainda mais. Se você também pretende começar a investir em renda variável, é muito importante conhecer o que é e como funciona a BM&F Bovespa.

Como surgiu a BM&F Bovespa

Em 1917, empresários paulistanos ligados às áreas de exportação, comércio e agricultura criaram a Bolsa de Mercadoria de São Paulo. A instituição se tornou conhecida pelas negociações de contratos agropecuários.

Em 1985, surgiu a Bolsa Mercantil de Futuros, que já utilizava a sigla BM&F e teve um crescimento rápido, por viabilizar diversas modalidades de negociação para os mais variados produtos financeiros. Em 1991, essas duas instituições uniram suas atividades e, mais tarde, em 1997, fizeram um acordo comercial com a Bolsa Brasileira de Futuros.

Dessa forma, a BM&F ganhou força e se tornou o principal centro de negociação de derivativos do Mercosul, passando a se chamar BM&F – Bolsa de Mercadorias e Futuros,  na qual eram negociados contratos futuros de commodities, índices, taxas de juros e moedas. Por meio dela, era possível comprar e vender contratos de café, milho, boi gordo, soja e dólar, por exemplo.

Em 2008, com a integração com a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), voltada para o mercado de ações, surgiu a BM&F Bovespa. Assim como a BM&F era referência no mercado futuro, a Bovespa era referência no mercado à vista. Era nela que as ações brasileiras eram negociadas. Por fim, em 2017, a BM&F Bovespa uniu-se a Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos (Cetip), dando origem a Brasil, Bolsa e Balcão (B3), a maior bolsa da América do Sul e uma das maiores organizações de mercado financeiro do mundo, também chamada simplesmente de bolsa de valores.

O que é e como atua a BM&F Bovespa

A BM&F Bovespa é responsável por administrar os mercados de títulos de renda variável, valores mobiliários e contratos derivativos. Nela, são negociados, títulos de renda fixa, ações, câmbio e contratos derivativos referenciados em ações, contratos futuros, contratos a termo, contratos de índices, mini índices, taxas, mercadorias, moedas, entre outros.  A bolsa de valores faz o registro (controle das informações), a compensação (garantia da realização das operações) e a liquidação (encerramento das operações) dos ativos negociados.

Podemos compará-la a um grande shopping center com diversas lojas e produtos, no qual é possível acompanhar a variação de preço das mercadorias (ativos financeiros) e lucrar vendendo algo por um preço maior do que você pagou.

Pode parecer confuso, mas, na realidade, esse mercado é bem organizado e as negociações são realizadas com transparência e rapidez. Com autonomia financeira, patrimonial e administrativa, a BM&F Bovespa é uma empresa privada do tipo Sociedade Anônima que é administrada pela Bovespa Holding – que tem ações lançadas no mercado sob o código BOVH3. Suas atividades são fiscalizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Pra entender melhor como funciona a BM&F Bovespa é importante conhecer os três grandes mercados nos quais os ativos são negociados: mercado à vista, mercado a termo e mercado futuro.

No mercado à vista, os ativos são negociados em operações liquidadas instantaneamente, como a compra de ações, por exemplo. Os preços variam de acordo com a oferta e a demanda. No mercado a termo, os ativos são negociados com vencimento em uma data futura, os preços são determinados em contrato, sendo o valor inicial corrigido até a data do vencimento por uma taxa pré-definida. Já no mercado futuro, os ativos financeiros são negociados em contratos padrões, com vencimento e quantidades pré-definidos. Os preços são especulativos e definidos no contrato, sendo principalmente commodities agrícolas e índices.

Como investir pela BM&F Bovespa

O primeiro passo para investir na Bolsa é abrir uma conta em uma corretora de valores, instituição que funciona como intermediária entre os emissores dos títulos e os investidores interessados em adquiri-los. A corretora é responsável por oferecer a seus clientes sistemas que facilitem a realização dos investimentos, como plataformas de análise gráfica ou técnica, por exemplo.

Com a conta aberta na corretora, é hora de escolher a sua estratégia de investimento. O funcionamento do mercado pode ser bem complexo. Por isso, antes de começar a investir é importante aprender a identificar as boas oportunidades para ganhar dinheiro.

Entre as estratégias possíveis está o investimento no curto prazo, apostando em especulações. Nesse caso, o investidor espera ganhar dinheiro com a diferença entre o preço de compra e venda dos ativos. Geralmente, quem investe no curto prazo utiliza a análise técnica para identificar os melhores momentos para comprar e vender os papéis.

Outra estratégia muito conhecida é o investimento no longo prazo, no qual o investidor busca descobrir o real valor de um ativo e não fica atendo apenas ao preço.  Para isso, é preciso estudar os fundamentos das empresas e estar disposto a permanecer com os papéis na carteira por mais tempo para desfrutar do bom desempenho das companhias escolhidas.

Com a estratégia escolhida, basta acessar o sistema de negociação online da corretora, chamado de home broker, e efetuar as operações. Não se esqueça de ficar atento às taxas. Com exceção da taxa de emolumentos, cobrada pela bolsa, as demais podem variar de corretora para corretora, como taxa de administração, corretagem e custódia.

Lembre-se: o investimento em renda variável sempre envolve risco. Não existe garantia de retorno do valor investido. Por isso, antes de investir na bolsa, invista em conhecimento. Entender o funcionamento do mercado e as principais estratégias para lucrar é fundamental para o sucesso das operações.