Day Trade: 5 dicas de Rafael Ribeiro para se tornar um day trader

Day Trade: 5 dicas de Rafael Ribeiro para se tornar um day trader

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

30/01/2019 • Atualizado: 28/04/2022

6 minutos

Compartilhar:

Confira 5 dicas de Rafael Ribeiro para ingressar na Bolsa e operar no módulo Day Trade

Investir na Bolsa não se trata de simplesmente comprar ou vender um determinado ativo, mas, principalmente, de colocar em prática uma estratégia de investimento.

Na Bolsa de Valores, dentro da escola de análise técnica, o Day Trade vem atraindo cada vez mais investidores que querem lucrar com as variações do intraday.

Se você é um deles ou pretende ser, aí vão 5 dicas de Rafael Ribeiro, analista da Clear, para se tornar um day trader:

Quer aumentar suas chances de lucro comprando e vendendo ações no mesmo dia? Abra sua conta na Clear e se torne um day trader!

Dicas para se tornar um Day Trader

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Abra sua conta, é online, rápido e 100% grátis.

1. Entenda o Day Trade

Tem dúvidas sobre o que é Day Trade? Isso é fácil, nada mais é do que comprar ou vender um ativo e encerrar a posição no mesmo dia. Mas isso é apenas no sentido literal, pois na prática é bem mais complicado.

Entre as estratégias de investimento possíveis no mercado financeiro, sem dúvidas, o Day Trade está (no mínimo) entre as 5 mais complicadas.

Por isso, entender como o Day Trade funciona é fundamental, inclusivo, já alerto você sobre um erro que muitos cometem ao pisar nesse mundo: o módulo Day Trade é infinitamente mais complicado que Swing Trade. Ou seja, não necessariamente ter um bom índice de acerto em operações de Swing Trade lhe garante uma passagem automática para esse mesmo sucesso no Day Trade.

2 . Esteja 100% focado

Uma das grandes diferenças do Day Trade é a velocidade da operação e essa característica é uma das principais dificuldades quando estamos operando.

Muitas vezes, as variações são muito rápidas e o Day Trader precisa estar 100% focado nas operações. Por isso, recomendo operar com no mínimo duas telas, para ter uma leitura mais completa do mercado.

Sem dúvidas, além de conhecer muito bem seu setup e, pelo menos uma hora antes da abertura, ter mapeado suas operações, você tem que estar treinado para antecipar os movimentos do mercado quando está chegando a hora do ponto de entrada. Para fazer isso, minha dica é ter ao lado do gráfico o book de ofertas.

3. Você não está sozinho no mercado

São frequentes as vezes em que estamos com uma ordem de entrada em R$ 10,00, por exemplo, e a ação atinge R$ 10,02, disparando na nossa cara. Este é um tipo de frustração muito comum e que pode ser evitada com o book de ofertas.

Neste “livro” são inseridas as ordens de compra e venda do mercado inteiro que ainda não foram executadas.

Entender onde estão concentradas as forças compradoras e vendedoras possibilita entradas mais rápidas, já que o mercado está longe de ser perfeito e você tem que estar ligado para não comer bola com seu ponto de entrada, como saídas mais certeiras, já que poderemos identificar onde possivelmente estará o topo daquele movimento.

Para operações mais longas, como Swing Trade e Position, isso não faz a mínima diferença, pois o investidor está em busca de ganhos maiores, mas o day trader quer ganhar justamente na variação intraday e, por isso, qualquer centavo faz toda diferença.

Conhecendo o fluxo, o investidor obtém mais conhecimento e dessa forma tem a possibilidade de estender cada vez mais as operações no direcional da tendência, pois o fluxo gera essa tendência – entenda mais sobre o fluxo clicando aqui.

4. Sobreviver antes de tudo

Qual seu principal objetivo dentro do mercado financeiro? Vou chutar, mas acredito que sua resposta seja lucrar. Na verdade, para conseguir tirar dinheiro do mercado você primeiro precisa sobreviver no sistema e isso passa pelo Manejo de Risco.

O Manejo de Risco, de fato, é um capítulo à parte (em breve vamos falar mais sobre esse assunto) na hora de operar na Bolsa de Valores, mas, para resumir bem, é necessário responder 3 perguntas:

  • Quanto posso arriscar nessa operação em função do capital total?
  • Quantos lotes operar com base no meu risco?
  • Quais são minhas metas de stop loss e stop gain?

Entrar no mercado sem saber quanto vai perder é, sem dúvidas, um dos erros mais cometidos pelos traders e que pode levar para a falência. E não sou eu quem estou falando, a matemática pode explicar.

Ganhos e perdas no mercado se dão sempre em juros compostos, que, por definição, têm característica exponencial. Se você perde entre 1% a 10%, por exemplo, seu break even (ganho necessário para se recuperar de uma perda) é próximo da linearidade, mas a situação começa a engrossar a partir daí.

Com 15% de prejuízo, o investidor terá que lucrar 17,65% para reaver suas perdas, ao passo que 20% de perda corresponde a 25% de ganho nesta comparação. Para recuperar 50%, o trader necessita ganhar 100% no mercado.

Por isso, é preciso desenvolver uma estratégia que englobe um bom controle de risco, a fim de estancar as perdas, e um Position Sizing para apontar qual a relação entre exposição e risco.

5. Invista em conhecimento

Operar Day Trade requer conhecimento antes de qualquer coisa. Está longe de ser um hobby ou só mais uma estratégia de investimento. Como disse acima, ela é extremamente complexa e deve ser encarada como um trabalho.

Por isso, invista em plataformas que facilite sua operação, podendo alocar ordens no próprio gráfico e diretamente no book de ofertas, sem falar em gastar tempo em estudo e aperfeiçoando sua técnica, além de preparar sua mente para operar em um mercado tão caótico como é o vislumbrado pelos day traders.

Como todas essas dicas, me despeço e com o compromisso de falar mais sobre Manejo de Risco na próxima oportunidade.

Gostou das dicas do Rafael para se tornar um Day Trader? Abra sua conta na Clear e opere já!