[xp_hellobar][/xp_hellobar]

[Master Trader Online] Palestra “Frequência Política”

[Master Trader Online] Palestra “Frequência Política”

Navegue por assunto


“Podemos esperar tributação de dividendos e privatização da Eletrobrás em 2020/21?” foi o tema da palestra virtual

A palestra do Frequência Política, Podcast de análise política do InfoMoney em parceria com a XP Investimentos, no Master Trader Online, o maior evento virtual do ano da Clear em parceria com a B3, foi apresentado por Paulo Gama e Victor Scalet, analistas políticos da XP Investimentos, Marcos Mortari, editor de político do Infomoney e, também, pelo anfitrião do evento e estrategista-chefe da Clear, Roberto Indech.

Como convidado para um bate-papo enriquecedor sobre política na economia e temas como tributação de dividendos e privatização da Eletrobrás, Felipe Francischini, Deputado Federal (PSL-PR) e presidente da CCJ da câmara dos deputados.

como_investir_na_bolsa_home_broker

Política e a Bolsa de Valores

Quando perguntado se os deputados tinham noção do impacto das notícias políticas na economia, especialmente na Bolsa de Valores, Felipe Francischini foi categórico. “Eu acredito que não. Não que os deputados não tenham conhecimento sobre economia, muitos têm um aprofundado conhecimento. Mas, eu converso com muita gente lá dentro e vejo que poucos operam na Bolsa de Valores ou acompanham essa volatilidade do dia a dia e o impacto das notícias para o mercado de ações”, diz.

“Muitas vezes escutamos frases como “o Bolsonaro falou algo errado e a bolsa caiu”, ou “O Moro (Sergio Moro, ex ministro da justiça) falou tal coisa e a bolsa subiu”. Mas a gente sabe que não é desse jeito. O mercado precifica as coisas, ou seja, não existe o muito caro e o muito barato, então eu acho que essas coisas, e essa visão de quem opera no dia a dia, falta ainda para alguns deputados”, conclui.

Privatização da Eletrobrás

Segundo Marcos Mortari, editor político do Infomoney, ao longo dos últimos anos tem acontecido uma discussão constante sobre a privatização da gigante Eletrobrás.

As discussões começaram no governo de Michel Temer, no qual não foi possível aprovar essa pauta bastante defendida no mercado, e avançou no governo de Jair Bolsonaro que, por razões óbvias, teve o debate parado dando espaço para temas relacionados ao combate do novo coronavírus.

Para o Deputado Federal, Felipe Francischini, que se intitula “totalmente liberal na economia”, a privatização da Eletrobrás é mais do que necessária.

“Estamos falando de uma empresa que ao longo do tempo só tem perdido em market share. O próprio Ministério de Minas e Energia admitiu que a Eletrobrás não tem capacidade hoje de realizar os investimentos mínimos necessários. A capacidade prevista de 2019 a 2023 é de investimentos anuais de cerca de 3,6 bilhões por ano, quando que o mínimo de um investimento razoável, quem estudo o setor sabe, seria de 14 bilhões. Então, o déficit realmente é gigantesco”, opina.