[xp_hellobar][/xp_hellobar]

Poupança ou ações? Descubra qual investimento vale mais a pena

Poupança ou ações? Descubra qual investimento vale mais a pena

Navegue por assunto


Poupança ou ações, entenda como funcionam cada um deles e em qual vale a pena investir 

Um touro e um cobre de porquinha, simbolizando a escolha entre ações e poupança

Na hora de escolher onde investir, é inegável que a maioria das pessoas ainda está mantendo o perfil conservador e prezando pela segurança de seu dinheiro, mesmo sabendo que outros investimentos, como as ações, apesar de apresentarem riscos, proporcionam chances de lucro bem maiores.

Prova disto é que, segundo uma pesquisa da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais), dos 42% de investidores no Brasil, 89% guardam o seu dinheiro na poupança, tornando a caderneta o investimento preferido entre os brasileiros. Mas, será que ela vale mesmo a pena?

Nesta matéria, explicaremos como funcionam os rendimentos da poupança e das ações, além de comparar seus principais indicadores para revelar qual investimento traz mais retorno para o investidor.

Quer começar a investir em ações? Abra sua conta na Clear e comece já!

Poupança

A caderneta de poupança é a modalidade de investimento mais conhecida entre os brasileiros e consiste em uma aplicação de baixo risco, no qual os rendimentos são atrelados a oscilação da taxa Selic, que é a taxa básica de juros do país, e a variação da TR (Taxa Referencial).

Ou seja, ao deixar seu dinheiro guardado na poupança, você “empresta” seu capital ao banco emissor da aplicação e, em troca, recebe um percentual em rendimentos por isto, podendo resgatá-lo a qualquer momento.

Porém, o rendimento da poupança vem se tornando cada vez menor, provando que o investimento, de fato, não vale a pena. Com a taxa Selic em 6,50% ao ano, por exemplo, o rendimento da caderneta equivale a 70% deste índice, que somado a 0% de TR, acaba rendendo, em média, apenas 4,55% ao ano.

Ibovespa

O Ibovespa, conhecido como IBOV, é o índice que atua como o termômetro do mercado de ações brasileiro e mede, por meio de pontos, o desempenho médio de uma carteira composta pelas ações mais representativas da Bolsa.

Por meio dele, é possível ter uma noção da rentabilidade das ações compostas pelo índice, como PETR4 (Petrobras) e VALE3 (Vale), e se vale a pena investir ou não investir nas ações pertencentes ao índice.

Como cada ponto do índice vale 1 real, se o IBOV estiver valendo 85 mil pontos, por exemplo, quer dizer que a carteira inteira estará valendo isso em reais.

Poupança vs. Ibovespa

Como vimos anteriormente, os rendimentos da caderneta de poupança estão ligados ao desempenho da taxa Selic e a variação da taxa referencial. Em 2018, a taxa básica de juros da economia (Selic) se manteve com 6,50% ao ano e chegou a menor taxa da série histórica do Banco Central, fazendo com que os juros da poupança rendessem ainda menos.

Porém, ao contrário da poupança, que rende menos quando a taxa Selic está baixa, o movimento se mostra inverso quando se trata da Bolsa de Valores. Ou seja, quando os juros estão baixos, ela sofre uma tendência de alta e se torna mais atrativa para quem investe no mercado acionário, já que com os baixos rendimentos em aplicações de renda fixa, o investidor tende a migrar para a renda variável para explorar novos tipos de investimentos, como as ações.

Analisando o desempenho do Ibovespa (linha verde), que chegou em seu recorde com 87.652,64 pontos em fevereiro deste ano, e o da poupança acumulada (linha azul), de dezembro de 2016 até outubro de 2018, é possível perceber que, por mais que a poupança tenha menor risco, há anos já deixou de ser um investimento rentável, principalmente quando comparado ao Ibovespa.

Fonte: Economatica, consultado em 18/10/2018

Ainda para entender os motivos do rendimento da poupança estar cada vez menor e do desempenho do Ibovespa ter crescido tanto, podemos acompanhar o desempenho histórico de ambos nos últimos 20 anos.

Histórico de retorno absoluto da Poupança vs. Ibovespa

AnoPoupança  Retorno Absoluto (%)Ibovespa Retorno Absoluto (%)
1998
199912,76151,93
20008,32-10,72
20018,63-11,02
20029,27-17,01
200311,2197,34
20048,1017,81
20059,2127,71
20068,4032,93
20077,7743,65
20087,90-41,22
20097,0582,66
20106,901,04
20117,50-18,11
20126,477,40
20136,37-15,50
20147,24-2,91
20158,15-13,31
20168,3038,94
20176,9426,86
20185,1112,25
Fonte: Economatica, consultado em 18/10/2018

O retorno absoluto, que é o retorno que um ativo consegue atingir em determinado período de tempo, demonstra, em porcentagem, a valorização ou depreciação de um investimento, como a poupança ou as ações, em uma data específica.

Por meio da tabela, é possível notar que de 2015 até os dias de hoje, enquanto o retorno absoluto da poupança só decai, o do Ibovespa sofre uma grande tendência de alta, fazendo com que os investimentos em ações acabem se mostrando bem mais rentáveis que a caderneta.

Já decidiu se prefere poupança ou ações? Escolha o investimento mais rentável e venha para a Clear! Abra já sua conta.