Tesouro Direto: o que é e por que ter títulos públicos na carteira?

Tesouro Direto: o que é e por que ter títulos públicos na carteira?

Navegue por assunto


A foto mostra uma mulher sentada no sofá olhando para o notebook em seu colo, ela segura um cartão em uma das mãos, que leva delicadamente ao rosto, em referência às reflexões sobre investir em tesouro direto

Você já sabe o que é e como investir no Tesouro Direto? Conhecido como o investimento mais seguro da economia brasileira, o Tesouro Direto pode oferecer retorno superior ao da poupança, alta liquidez e diferentes utilidades na sua carteira.

Isso porque, além de ser um investimento conservador, você também pode utilizá-lo  como garantia para operações de Day Trade

Agora, você confere  as vantagens do Tesouro Direto e por que todo mundo –de pessoa investidora a trader– deve ter esse ativo na carteira. 

Vamos lá? 

O que é Tesouro Direto? 

Tesouro Direto também é conhecido como “título ou títulos público(s)”, e representa os ativos de Renda Fixa emitidos pelo governo para o pagamento de dívidas públicas. 

Em outras palavras, seria como se você emprestasse o seu dinheiro para o governo e recebesse, em uma data predeterminada no momento da aplicação, uma rentabilidade acrescida de juros, que variam conforme o título que você escolher. 

Esta é uma das alternativas de investimento com menor risco do mercado brasileiro e, sem dúvidas, o Tesouro Direto é seguro. Ele também é conhecido porque  apresenta rentabilidade superior aos investimentos tradicionais, inclusive a poupança. 

Quais são os títulos do Tesouro Direto? 

Tesouro Prefixado (antiga LTN – Letra do Tesouro Nacional) 

Tesouro prefixado é um título de Renda Fixa que tem sua rentabilidade definida (prefixada) no momento da compra. Portanto,  ao adquirir um Tesouro Prefixado, quem investe já sabe qual será o rendimento ao final do período de aplicação. 

Tesouro Selic (antiga LFT – Letra Financeira do Tesouro) 

Esse tipo de título tem a rentabilidade diária vinculada à taxa Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira. Ou seja, se a Selic subir, a tendência é que a remuneração seja maior, e vice-versa. O Tesouro Selic também se configura como um investimento de Renda Fixa. 

Tesouro IPCA+ (antiga NTN-B – Nota do Tesouro Nacional) 

Possui a característica pós-fixada e rentabilidade vinculada à variação do IPCA (Índice de preços ao Consumidor Amplo, que mede a inflação “oficial” do país), acrescida de uma taxa prefixada. O Tesouro IPCA+ é um título de Renda Fixa. 

O Tesouro Direto oferece uma rentabilidade muito superior a de investimentos tradicionais, como a poupança. Abra a sua conta na Clear e comece hoje mesmo a cuidar do seu futuro. 

Vantagens do Tesouro Direto 

A foto mostra um homem de frente para um notebook com índices de plataforma de investimento, levantando um dos braços em sinal de comemoração.
Saiba como e por que é possível lucrar com o Tesouro Direto.

Deu pra entender um pouco mais sobre o que é Tesouro Direto e como funciona? Depois dessa introdução, vamos falar sobre as principais vantagens em acrescentar títulos do Tesouro Direto na sua carteira. Confira na sequência! 

1. Investimento de menor risco 

O Tesouro Direto é garantido pelo Tesouro Nacional, órgão responsável por receber e administrar o capital do Brasil, além de avaliar sua situação fiscal e fazer relatórios periódicos. 

Ou seja, o Tesouro Direto funciona como um  “contador” do País, fazendo com que os títulos públicos sejam os ativos mais seguros do mercado.  

Por isso, vale repetir o que a gente disse lá em cima: Tesouro Direto é seguro sim! 

2. Alavanque suas operações com o Tesouro Direto 

Por serem títulos de liquidez diária, você pode alocar seus investimentos em Tesouro Direto como garantia para outras operações, como Day Trade. 

Ou seja, utilizando seus títulos públicos, você pode alavancar até 70x suas operações e continuar deixando seu dinheiro aplicado rendendo. Quem não gosta dessas condições? 

3. Liquidez diária é ideal para sua reserva de emergência 

O Tesouro Nacional, órgão ao qual o Tesouro Direto é vinculado, garante a recompra diária dos seus títulos públicos. 

Ou seja, você poderá resgatar antecipadamente os títulos adquiridos no Tesouro Direto todos os dias, a preço de mercado. 

Aqui, é importante destacar que a marcação a mercado é diária conforme a expectativa futura da taxa de juros, fazendo com que a parte pré-fixada do título oscile tanto para cima quanto para baixo, impactando, assim, o valor presente do mesmo. 

Ou seja, existe a possibilidade de receber um valor menor em caso de resgate antecipado, dependendo do título escolhido e do momento da solicitação. 

Assim, para a reserva de emergência, o mais adequado é o Tesouro Selic, que praticamente não possui marcação a mercado, por ser um título quase que 100% pós-fixado. 

A única parte que eventualmente poderia trazer algum ajuste, mesmo ínfimo, é a parte do ágio ou deságio em cima da Selic no ato da aplicação ou resgate, mas é tão pequeno que, na prática, acabamos esquecendo dele e saindo antes ou, no vencimento, costuma ser indiferente. 

Como investir no Tesouro Direto com a Clear?  

1. Acesse o Pit de Negociações 

Após ter aberto sua conta, acesse o Pit de Negociações novo –o Home Broker oficial da Clear. 

Clique no logotipo da Clear, do lado esquerdo da tela, e escolha a opção “Renda Fixa” no menu. 

2. Escolha o título de Tesouro Direto 

Na página “Renda Fixa”, você terá acesso aos títulos disponíveis para aplicação e seus diferentes prazos de vencimento. Quando decidir pelo seu, clique no título escolhido e depois em “aplicar”. 

3. Preencha a boleta 

Nesse momento, você irá se deparar com a sigla “P.U”, que significa preço unitário, ou seja, quanto custa uma unidade do título escolhido. 

Não é necessário aplicar em uma unidade: você pode escolher a fração que desejar, mas a fração mínima é 0,01. 

E só lembrando que, antes da aplicação, você já deve ter transferido o valor que deseja investir para a sua conta na Clear. 

Depois disso, basta inserir a sua assinatura eletrônica e enviar a ordem. Fácil, né?  

Tesouro Direto: custos para investir 

Na Clear, você não paga taxa de intermediação para investir em Tesouro Direto, apenas a taxa de custódia cobrada pela Bolsa de Valores, de 0,25% ao ano, dividida em 0,125% em janeiro e 0,125% em julho sobre o que exceder a R$10.000,00. Até esse valor é isento de cobrança. 

Já o Imposto de Renda sobre o rendimento é regressivo, ou seja, quanto mais tempo você investe, menos você paga: começa com 22,5% para rendimentos/ganhos de capital realizados até 180 dias; 20% entre 181 a 360 dias; 17,5% entre 361 a 720 dias; e 15% a partir de 721 dias. 

Já se sente confiante para começar a investir? Conheça nosso catálogo de opções e descubra qual é a aplicação certa para o seu perfil.