Como investir em Tesouro Direto: 3 passos para começar

Um homem de camisa social olhando para a tela do notebook aberta e uma caneta nas mãos, pesquisando sobre como investir em tesouro direto.

Aprenda como investir em tesouro direto e como lucrar com um dos investimentos mais seguros do mercado

Se você deseja diversificar sua carteira de investimentos, o Tesouro Direto é, sem dúvidas, uma das melhores opções, já que seus riscos são baixos e sua liquidez diária.

Preparamos uma matéria para que você entenda melhor como funcionam os títulos públicos, quais são seus custos e como investir em tesouro direto.

Quer saber como transferir sua custódia de Tesouro Direto para a Clear? É simples e sem custos. Confira o passo a passo.

O que é e como funciona o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um investimento de Renda Fixa promovido pelo Tesouro Nacional em parceria com a B3, que possibilita a venda de títulos públicos para pessoas físicas por meio de instituições financeiras. O Tesouro Direto oferece uma rentabilidade maior que a poupança, e é o investimento mais seguro do mercado.

Ele foi criado em 2002 e seu principal intuito era aumentar a gama de investidores com acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações com valores mínimos, a partir de R$ 30 reais.

Antes de sua criação, só era possível comprar títulos públicos por meio de fundos de Renda Fixa com custos bem elevados.

O tesouro é um dos investimentos de Renda Fixa com menor risco e um dos mais indicados para quem deseja diversificar a carteira, já que ele possui ativos de diferentes rentabilidades, atendendo todos os tipos de investidores.

Mas o que são títulos públicos?

Parte do entendimento sobre o que é Tesouro Direto envolve saber o que são os títulos públicos:  eles nada mais são do que ativos de Renda Fixa emitidos pelo governo para provisionar o pagamento de dívidas públicas federais.

Ou seja, ao comprá-los, você empresta seu dinheiro para o governo e recebe, de acordo com a data predeterminada no momento da aplicação, uma rentabilidade anual acrescida de juros, que pode variar de acordo com o título e as variações de seus indexadores, como a taxa Selic, IPCA, entre outros.

Vantagens do Tesouro Direto

Baixo risco

O tesouro direto é um dos tipos de investimentos mais seguros do mercado. Isso porque, ao investir seu dinheiro em títulos públicos, o Governo, por meio do fundo soberano, garante que você receberá seus rendimentos ao final da aplicação.

Liquidez diária

Outra grande vantagem do tesouro direto é, sem dúvidas, sua liquidez diária. Ou seja, ao decidir resgatar sua aplicação, o próprio governo compra seus títulos de volta e seu dinheiro é depositado na sua conta em até um dia útil.

Boa rentabilidade

A rentabilidade do tesouro direto é uma das melhores entre os investimentos de Renda Fixa, principalmente quando comparado à poupança.

Baixo custo      

Os custos para investir em tesouro direto também são um diferencial. Na Clear, a taxa de custódia para títulos públicos é ZERO. Ou seja, você paga apenas pela taxa de custódia cobrada pela B3, que é de 0,30% ao ano.

Tipos de Tesouro Direto

A principal diferença entre os tipos de Tesouro Direto está na condição de serem pré ou pós-fixados, uma taxa que diz respeito à rentabilidade dos títulos. Na sequência, veja os 3 tipos de Tesouro Direto mais conhecidos:

Tesouro Prefixado (LTN)

Os títulos prefixados são aqueles em que é possível definir a rentabilidade no momento da compra, caso mantenha o até a data de vencimento, e também quanto será pago de taxa de juros ao final da aplicação.

Esse título é indicado, principalmente, em momentos em que a taxa de juros está alta, pois o investidor consegue “travar” sua rentabilidade com a Selic em alta, evitando que seu lucro diminua, mesmo que a taxa caia.

Tesouro Selic (LFT)

Este título tem sua rentabilidade diária atrelada à taxa Selic, ou seja, não é possível saber qual será sua remuneração no fim da aplicação, já que ela irá depende da variação da taxa básica de juros.

Caso a taxa de juros suba, consequentemente, sua rentabilidade será maior, e vice-versa, caso a taxa caia. É recomendado para investidores que acompanham o mercado ou que precisem resgatar o dinheiro a qualquer instante.

Tesouro IPCA + (NTN – B)

São os títulos atrelados à variação do IPCA, índice que mede a inflação oficial do país, acrescidas de juros.

Apesar de serem híbridos, já que sua rentabilidade é composta por uma parte prefixada e outra atrelada ao IPCA, eles seguem a mesma linha do Tesouro Selic, ou seja, ao comprar um título IPCA +, não é possível mensurar qual será a rentabilidade exata no fim da aplicação, pois a inflação tende a oscilar com frequência.

Como investir em Tesouro Direto?

Uma barra de ouro sobre um papel no qual está impresso um gráfico, em referência a como investir no Tesouro Direto.

Quer saber como investir em Tesouro Direto de um jeito simples, rápido, e 100% online? Confira o passo a passo:

Como investir em Tesouro Direto em 3 passos

1.    Escolha uma corretora confiável

A primeira decisão envolvendo como investir em Tesouro Direto envolve escolher uma corretora confiável e com custos competitivos para intermediar a compra de títulos com a Bolsa.

Aqui na Clear, a taxa de custódia para investir em Tesouro Direto é zero.

2. Saiba seu perfil de investidor

Com essa informação em mãos, basta pesquisar qual título mais se enquadra em seu perfil de investidor.

3. Aplique no Pit de Negociação da Clear

No Pit de Negociação da Clear, siga o seguinte caminho: Operações > Renda Fixa > Tesouro.

Selecione o título escolhido e, em seguida, clique em aplicar e, por último, insira o valor.

Qual o custo para investir em Tesouro Direto?

Apesar da Clear cobrar taxa zero de custódia, investir em Tesouro Direto implica em outros custos como, por exemplo, a taxa de custódia cobrada pela BM&F Bovespa, de 0,30% ao ano sobre o valor aplicado; o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e Imposto de Renda sobre o lucro.

No caso do IOF e do IR, vale ressaltar que a alíquota diminui com o tempo de investimento, ou seja, quanto maior for o período da aplicação, menor será o valor de ambos os impostos.

Confira os custos completos na nossa página de Tesouro Direto.

Como fazer o resgate?

Caso você decida vender o seu título antes da data de vencimento, é necessário criar uma ordem de venda e colocar seu título a preço de mercado. Como o comprador será sempre o Tesouro Nacional, o prazo para sua transação ser processada é D+1.

Já se o resgate for feito de acordo com a data de vencimento, basta selecionar a opção resgatar ou reinvestir.

Que tal começar a investir com corretagem zero? Só a Clear oferece condições como essa! Abra sua conta!