[xp_hellobar][/xp_hellobar]

Estratégia para minicontratos: 5 dicas de Rafael Ribeiro

Estratégia para minicontratos: 5 dicas de Rafael Ribeiro

Navegue por assunto


Conheça cinco passos simples que ajudarão você a montar uma estratégia para minicontratos sólida e capaz de tirar dinheiro do mercado

estrategia-para-minicontratos

Negociados no mercado futuro, os minicontratos são acordos de compra e venda que serão concretizados futuramente. Esse tipo de operação negocia ativos como moedas, índice e até commodities. Não à toa, essa modalidade é uma das mais populares da Bolsa de Valores, principalmente entre os adeptos do Day Trade.

Acessíveis para pessoas físicas, os minicontratos ajudaram a democratizar as operações na Bolsa de Valores e hoje representam grande parte do volume negociado diariamente. Além disso, as corretoras possibilitam que o investidor opere alavancado, aumentando seu potencial de negociação por meio da alavancagem.

Pensando em pessoas que tem o objetivo de ganhar com a oscilação dos preços dos ativos e estejam dispostas a enfrentar a adrenalina do mercado diariamente, Rafael Ribeiro, analista do #TeamClear, listou 5 dicas para usar em sua estratégia para minicontratos. Confira!

Estratégia para minicontratos em 5 passos

1º passo – Manejo de risco

A primeira dica e que será fundamental na sua sobrevivência do mercado é ter bem determinando seu Manejo de Risco. Ou seja, quanto você pode perder em cada operação que irá alocar. Como está operando minicontratos, fica muito fácil determinar seu Manejo de Risco em detrimento das ações, uma vez que o valor do lote operado é fixo.

No InfoTrade, nós utilizamos como métrica de lote cheio 4 minicontratos de dólar/índice, sendo que o lote reduzido é operado com 3 minicontratos, uma operação que geralmente vai contra a tendência. Nessa operação fica obrigatório fazer uma parcial de lucro para zerar o risco da operação, garantindo um lucro mais do que suficiente para não perder mais do que pode.

Essa métrica de 4 minicontratos de lote cheio está totalmente ligada ao máximo de prejuízo permitido por nosso Manejo de Risco e a média do stop loss em minicontratos de dólar e de índice.

2º passo – Entender muito bem o setup utilizado

Assim como em qualquer coisa da vida, saber o que está fazendo é extremamente importante para o sucesso, ainda mais operando day trade em minicontratos. Entender muito bem o seu setup é fundamental para tomar decisões rápidas, como também aprimorar seu setup quando as coisas não caminham bem.

Por isso, fazer o que chamamos de Diário de Trade, que seria registrar todas suas operações, é muito importante para aprimorar seu setup e também conhecê-lo. Na sua construção, invista bons meses fazendo backtest (automático ou manual) antes de colocar ele na prática. Além disso, é importante entender qual método operacional você prefere: rompimento ou pullback.

Abra sua conta na Clear e opere minicontratos de índice e dólar com corretagem ZERO!

3º passo – Book de ofertas

Uma vez definido seu método de entrada e saída das operações, uma das coisas mais importantes para operar minicontratos é a leitura do fluxo de ordens, o famoso Tape Reading.

Entender e interpretar o book de ofertas possibilitará entradas mais rápidas e certeiras devido à intensidade medida pelos players, pois você será capaz de entender se o teste daquele ponto que está de olho na compra/venda do seu setup possui de fato interesse comprador/vendedor, pois não adianta querer peitar o mercado sozinho.

Para fazer uma analogia e entender melhor do que estou falando, vamos pensar em um semáforo. Quando o preço se aproxima do seu ponto de entrada isso não significa um sinal verde para, mas sim um sinal amarelo de atenção. Quando atinge seu ponto de entrada + entrada de força compradora/vendedora pelo book, aí você tem um sinal verde. Agora, atingiu seu ponto de entrada, mas não ocorreu essa contrapartida, esse é um sinal vermelho para sua operação.

4 º ponto – Ajuste do dia

Além dos suportes e resistências gráficas, outro ponto muito importante que deve estar no seu gráfico de day trade em minicontratos é o Ajuste do Dia. Esse mecanismo de proteção utilizado pela B3 realiza um ajuste financeiro nas contas dos traders que passam comprados/vendidos naquele mercado futuro, sendo que dependendo da sua posição esse ajuste será positivo (crédito em conta) ou negativo (débito em conta).

Muito mais do que uma referência de preço, podemos dizer que ele é um marco para o posicionamento dos players que passam comprados/vendidos naquele dia e a tendência que eles vão defender seu preço para serem creditados em conta. No caso “eles” são as tesourarias dos grandes bancos e fundos de investimento, por exemplo. Ou seja, tem muito dinheiro envolvido no tal Ajuste do Dia.

Por isso, o teste ou rompimento do ajuste do dia irá trazer volatilidade e, consequentemente, boas operações, pois sem dúvida existirá uma briga por posições no preço de ajuste, tanto para zeragem ou aumento de posição.

5º ponto – Controle Emocional

Por fim, mas não menos importante, nada disso irá funcionar se você não tiver controle emocional. Por isso, minha dica é: comece utilizando os simuladores de mercado. Eles são importantes na vida do trader, especialmente nos primeiros meses de vida do setup, para testar em tempo real seu sistema e sua adaptação sem precisar gastar seu próprio dinheiro logo de cara.

Utilizado de forma correta, ou seja, levando de fato a sério e não apenas um videogame, a conta demo é uma boa forma de aprender como funciona o mercado, ficar familiarizado com sua ferramenta de trabalho e ter o primeiro contato com a emoção de apertar o botão de compra e venda.

Neste quesito, a Clear oferece dois simuladores day trade gratuitos: Tradezone e MetaTrader.