[xp_hellobar][/xp_hellobar]

Índice de sustentabilidade empresarial 2021 – Guia Completo

Índice de sustentabilidade empresarial 2021 – Guia Completo

Navegue por assunto


indice sustentabilidade

O Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) refere boas práticas ambientais, mas vai além disso.

Tem a ver com o papel de empresas, seu posicionamento no mercado e, também, com investimentos financeiros.

Se a relação não parece clara, fique tranquilo, pois este conteúdo vai explicar tudo a respeito.

Sustentabilidade é coisa séria e, hoje, a empresa que não observa padrões de produção e operações verdes, tende a ficar para trás.

Nesse aspecto, o ISE é uma das melhores provas de que uma companhia, de fato, está atenta ao manejo sustentável e às boas práticas ambientais.

No entanto, fazer parte do índice significa muito mais do que um atestado extra-oficial de compromisso com o meio ambiente, como destacamos antes.

Como veremos a partir de agora, ele também serve como um importante termômetro do mercado financeiro.

Avance na leitura e descubra mais sobre essa iniciativa da B3.

O que é o índice ISE?

O índice ISE é um referencial teórico criado e administrado por um conselho deliberativo. Tem por objetivo apoiar os investidores na tomada de decisão de investimento, além de estimular as empresas a adotarem as melhores práticas de sustentabilidade. Afinal, conforme a própria B3, boas práticas ambientais contribuem para perpetuar os negócios.

Quando e como surgiu o ISE

Iniciativa pioneira na América Latina, o ISE foi criado em 2005 pela então Bovespa, a bolsa de valores de São Paulo.

Na época, colaboraram para sua formação instituições como o Ministério do Meio Ambiente, Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Instituto Ethos.

Além de apoiar investidores na tomada de decisão, entre seus objetivos está o de oferecer uma opção de carteira formada por ações de empresas reconhecidamente comprometidas com a sustentabilidade empresarial e a responsabilidade social.

Importância do Índice de Sustentabilidade Empresarial

Não é de hoje que as notícias dando conta do aumento na temperatura global apontam para um futuro bastante difícil, caso nada seja feito para reverter esse quadro.

Por isso, o ISE vem a ser mais uma importante contribuição no sentido de frear as emissões de gases causadores do efeito estufa e para estimular a preservação dos biomas.

Afinal, os resíduos gasosos, líquidos e sólidos que contaminam o planeta vêm em grande parte das atividades produtivas, cujo reflexo econômico encontra-se nas bolsas de valores.

Nada mais justo, então, do que empresas de capital aberto tomarem a frente de um processo de mudança para o melhor e que garanta um planeta seguro para as próximas gerações.

Qual a finalidade de um índice de sustentabilidade?

O ISE foi plenamente inspirado em outros três índices que já existiam:

  • Dow Jones Sustainability World Index (DJSI)
  • MSCI Developed Markets Indexes
  • FTSE4Good Index.

Em comum, todos eles têm como objetivo estimular procedimentos mais responsáveis, éticos e o respeito às práticas sustentáveis de produção.

Vale destacar que, em novembro de 2020, o Banco do Brasil foi escolhido para compor o seletíssimo DJSI nas categorias mercado mundial e empresas emergentes.

Um grande reconhecimento não só para o BB, como para o Brasil, um dos países que lideram as iniciativas mundiais de proteção ao meio ambiente.

O que uma empresa precisa para participar do ISE?

De acordo com a B3, os critérios para inclusão no ISE são os seguintes:

  • Estar entre os ativos elegíveis que, no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores, em ordem decrescente de Índice de Negociabilidade (IN), ocupem as 200 primeiras posições.
  • Ter presença em pregão de 50% (cinquenta por cento) no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores.
  • Não ser classificado como “Penny Stock”.
  • Atender aos critérios de sustentabilidade e ser selecionado pelo Conselho Deliberativo do ISE.
  • Uma vez que um ativo de uma empresa atenda aos critérios de inclusão acima, todas as espécies de sua emissão participarão da carteira do índice, desde que estejam entre os ativos elegíveis que, no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores, em ordem decrescente de Índice de Negociabilidade (IN), representem em conjunto 99% (noventa e nove por cento) do somatório total desses indicadores.

Quais são os principais indicadores de sustentabilidade?

Além das exigências acima, para fazer parte do ISE, é preciso atender também aos chamados indicadores de sustentabilidade.

Para isso, as empresas candidatas a entrar para o índice devem responder a uma bateria de perguntas, nas quais serão avaliadas conforme 5 dimensões, listadas abaixo.

Econômico-Financeiro, Ambiental e Social

Neste quesito, a B3 busca avaliar se a empresa adota políticas corporativas compatíveis com as boas práticas ambientais e se sua gestão é pautada por princípios ambiental e socialmente responsáveis.

Além disso, também são avaliados o seu desempenho e o cumprimento das normas e legislação verde aplicável a cada caso.

Geral

Nesta dimensão, são avaliados o alinhamento às boas práticas ambientais e o compromisso com o desenvolvimento sustentável.

Também são observados o nível de transparência das informações corporativas e se a empresa adota práticas de combate à corrupção.

Portanto, como se pode concluir a partir desse quesito, não basta apenas se posicionar a favor do meio ambiente.

Acima de tudo, é preciso zelar por uma atitude ética nos negócios, independentemente de estarem em jogo causas ambientais ou não.

Governança Corporativa

Também não basta apenas ser uma empresa que, da porta para fora, adota boas práticas.

Elas precisam também fazer parte da cultura da organização e permear o relacionamento entre seus líderes.

É isso que se procura medir pela dimensão “governança corporativa”, na qual se avaliam aspectos como:

  • Estrutura e gestão do conselho de administração
  • Relacionamento entre sócios
  • Práticas relacionadas à conduta
  • Conflito de interesses e processos de auditoria e fiscalização.

Mudança do Clima

Sendo um índice “verde”, nada mais justo do que levar em conta a forma como a empresa se posiciona no mercado em relação às questões ambientais.

Dessa forma, no item “mudança do clima” a B3 avalia elementos como a gestão, política corporativa, desempenho e nível de abertura das informações sobre temas sensíveis ao meio ambiente.

Veja que, nesse aspecto, é preciso que a empresa evidencie não só com gestos e palavras, mas, acima de tudo, com práticas diárias o seu compromisso com a sustentabilidade.

Natureza do Produto

Talvez uma das dimensões mais importantes dentro do ISE seja a que avalia a natureza do produto que as empresas colocam no mercado e, em consequência, na natureza.

Aqui, são analisados os impactos pessoais e difusos dos produtos e serviços oferecidos pelas empresas.

Também conta pontos nesse questionário as formas como a empresa adota o “princípio da precaução”, bem como os canais onde disponibiliza informações ao consumidor sobre seus produtos.

Qual a metodologia do índice de sustentabilidade empresarial (ISE) ?

Dentro da metodologia para inclusão no ISE, é atribuído o mesmo peso (100) para cada uma das dimensões do questionário.

Os pesos desses critérios são definidos conforme a relevância do tema no contexto mais recente da gestão empresarial e das demandas da sociedade.

Fora as respostas ao questionário, o processo seletivo também é composto por uma análise dos documentos apresentados pelas empresas para fundamentar as informações fornecidas.

Depois disso, o Conselho Deliberativo do ISE (CISE) delibera sobre a inclusão ou não da empresa candidata, sendo toda gestão do processo conduzida pela B3.

Qual a composição do Índice ISE?

São elegíveis para o ISE todas as empresas que detenham as 200 ações de maior liquidez da B3.

Nem todas elas entram para esse seleto grupo que, hoje, é formado por 36 empresas.

Conheça algumas das mais famosas a seguir.

Braskem

Ligada ao segmento petroquímico, a Braskem é uma empresa cuja participação no ISE é estratégica.

Fundada em 2002, pela fusão das seis então principais empresas do segmento no Brasil, ela ostenta, hoje, posições de destaque no mercado mundial.

A Braskem é a maior produtora de polipropileno dos Estados Unidos, além de contar com 40 unidades industriais em quatro países distintos.

Banco do Brasil

Como vimos, o BB pode se orgulhar de compor hoje, além do ISE, o prestigioso DJSI.

Essa conquista não veio por acaso, afinal, a empresa foi também considerada pela Corporate Knights como uma das 100 mais sustentáveis do mundo em 2019, sendo a número 1 no segmento financeiro.

AES Brasil

Outra empresa estratégica no ISE é a AES Brasil, concessionária do ramo de energia elétrica, cujas operações são orientadas por seis diretrizes de sustentabilidade:

  • Inteligência energética
  • Desempenho econômico e operacional
  • Satisfação do cliente
  • Impacto socioambiental
  • Gestão ética e responsável

B2W

Já o segmento de e-commerce é representado pela B2W, empresa que nasceu em 2006 depois da fusão entre Shoptime, Submarino e Americanas.com.

Entre as muitas práticas de gestão socioambiental que ela adota, está o cálculo e gerenciamento interno de todas as emissões de CO2.

TIM

Assim como as outras empresas que compõem o ISE, a TIM também evidencia sua postura atenta à sustentabilidade por meio de uma série de práticas de governança.

Além de emitir relatórios de sustentabilidade anuais desde 2008, a TIM está engajada em diversos projetos ambientais e socialmente responsáveis.

Destacam-se entre essas iniciativas o Instituto TIM e o Pacto Global, ação voluntária voltada à promoção do desenvolvimento sustentável e da cidadania.

Itaú Unibanco

Maior banco brasileiro e um dos 20 maiores do mundo, o Itaú Unibanco também conta com uma sólida política voltada ao desenvolvimento sustentável de suas atividades.

Ela é pautada por seis premissas:

  • Conscientização e engajamento de todos os colaboradores com a sustentabilidade
  • Comprometimento da liderança com a evolução do tema na organização
  • Cultura organizacional alinhada aos valores e princípios do Itaú Unibanco
  • Aprimoramento contínuo das práticas de governança corporativa
  • Postura ética e transparente
  • Cumprimento das leis e regulamentos.

Qual a rentabilidade do Índice de Sustentabilidade Empresarial?

O ISE é calculado em tempo real, tomando como referência os preços de todos os negócios efetuados no mercado à vista (lote padrão) entre as ações que compõem a sua carteira de ativos.

Desde 2005, quando foi criado, ele acumula rentabilidade de 235,19%.

Além disso, as carteiras do ISE que seguem a agenda ESG (Ambiental, Social e Governança), vêm apresentando performance acima da média.

Como investir no Índice ISE, afinal?

Sendo um índice negociado na bolsa, para investir no ISE, você precisará seguir os passos comuns a todos que pretendem investir em renda variável.

O primeiro deles é abrir conta na Clear, com corretagem zero em todos os seus produtos, inclusive os índices Ibovespa e de Sustentabilidade Empresarial.

Em seguida, você vai precisar transferir os recursos para a sua conta, o que pode ser feito por meio de uma transferência bancária normal, do tipo TED.

Feito isso, não deixe de ler as análises publicadas pelos nossos especialistas no blog da Clear e no nosso canal no YouTube, abastecido diariamente com vídeos altamente educativos sobre o mercado financeiro.

Expectativas de Crescimento para o Índice ISE nos próximos anos

Tendo em vista o sucesso do ISE, para 2021, a B3 anunciou que pretende fazer mudanças nos critérios para inclusão.

Um deles é mudar o foco das questões que envolvem as 5 dimensões principais, passando a ter uma abordagem mais específica para cada setor.

O conselho deliberativo, por sua vez, continuará atento às empresas que ferem as boas práticas socioambientais, como comprova a exclusão da Vale, por conta do desastre em Brumadinho.

Considerando a evolução histórica do ISE, 2021 tem tudo para ser mais um ano de crescimento, o que é bom para as empresas, seus acionistas e, claro, para a sociedade.

Investir na bolsa pode ser para você

Já parou para pensar que o ISE pode ser para você?

Afinal, nada muda em relação ao meio ambiente enquanto cada um de nós não fizer a sua parte.

Que tal, então, investir em ativos de empresas socialmente responsáveis e que buscam pelo exemplo mudar a relação dos brasileiros com o meio ambiente?

Essa é uma possibilidade que está ao seu alcance agora e o que é melhor: sem taxa de administração ou corretagem.

A Clear tem um compromisso não só com o seu próprio crescimento, mas com o dos brasileiros que investem em renda variável.

Conclusão

Embora seja uma iniciativa fundamental para o futuro, parece que ainda há muito espaço para índices como o ISE mundo afora.

Como vimos, não são muito numerosas as bolsas e instituições financeiras que adotam indicadores verdes de desempenho para os principais players do mercado.

Para que essa abordagem cresça, você pode ajudar, fazendo a sua parte.

Que tal começar agora, divulgando este artigo em suas redes sociais?

E na hora de investir, a Clear é sua parceira.