Commodities: o que são, como funcionam e vale a pena investir?

Commodities: o que são, como funcionam e vale a pena investir?

Navegue por assunto


A foto mostra notas de dinheiro e, sobre elas, grãos de soja, trigo, entre outros, e moedas, em referência às commodities

Commodities: Saiba tudo sobre as mercadorias que também são uma alternativa de investimento

Commodities: provavelmente você já ouviu falar nisso, certo?

O noticiário costuma trazer com frequência informações sobre altas e baixas desses ativos que impactam na economia e na bolsa de valores.

Além de servirem de base para a indústria do mundo inteiro e estarem presentes em nosso dia a dia, as commodities são muito relevantes no universo dos investimentos.

Neste artigo, você irá aprender tudo sobre tipos, riscos, custos e vantagens de investir em commodities.  

Commodities: O que são?

A palavra commodity vem do inglês e significa mercadoria.

As commodities são matérias-primas produzidas em larga escala, com pequeno grau de industrialização, sem diferenciação de marca e que podem ser estocadas por um grande período de tempo sem perder a qualidade.

Como exemplo, podemos citar o café, o petróleo, a soja, o ouro e o boi gordo.

+ investir em ouro vale a pena?

Mas o que será que isso tem a ver com investimentos?

Por serem produtos consumidos em larga escala e com uma variação de preços considerável, as commodities também são vistas como uma maneira de investir.

Alguns tipos de commodity podem ser negociadas na bolsa de valores por meio do mercado futuro. Veremos mais sobre isso adiante.

As commodities são divididas em 4 categorias principais: Agrícolas, ambientais, financeiras e minerais.

Nas commodities agrícolas, se enquadram produtos cultivados no agronegócio, como soja, açúcar, trigo e suco de laranja, entre outros.

As commodities ambientais são recursos naturais que têm importância para o setor agrícola e industrial. São exemplos a água, a geração de energia e a madeira.

Já as financeiras são moedas negociadas em diversos mercados e títulos do governo, como dólar, euro e títulos do governo federal.

Por fim, nas commodities minerais encontram-se itens como petróleo, ouro e gás natural.

Vale destacar que o preço das commodities é determinado pelo mercado mundial e não pelo produtor, variando de acordo com a oferta e a demanda.

O Brasil e as commodities

Devido à abundância de recursos naturais e à vasta extensão territorial, nosso país se destaca entre os principais players mundiais do mercado de commodities, sendo uma forte potência na produção e exportação desses produtos.

Com isso, as variações nas suas cotações têm grande impacto na nossa economia.

As principais commodities brasileiras são petróleo, boi gordo, café, minério de ferro, suco de laranja, alumínio e soja.  

As commodities são responsáveis por 65% do valor das exportações brasileiras.

Soja, minério de ferro e petróleo juntos representam 72% das receitas de exportação e fazem parte da balança comercial brasileira.

Por o Brasil ser um importante produtor e exportador de commodities, esse mercado é bem movimentado no país e apresenta boas oportunidades para investidores

As negociações no mercado de commodities do Brasil são feitas por meio de contratos no mercado futuro, que está inserido na bolsa de valores e no qual não há qualquer transferência real de produtos.

Sendo assim, negociar um contrato de milho, por exemplo, não implica em receber sacas desse produto e sim o retorno esperado com a variação do preço negociado previamente.

Vantagens e como funciona esse mercado

Com esses dados expressivos, você já deve ter entendido porque esse mercado é tão atrativo.

Como vimos, a oscilação do preço das commodities varia de acordo com a oferta e a demanda e é justamente aí que moram as oportunidades de ganhos para os investidores.

Os chamados contratos futuros funcionam como uma garantia contra as variações nos valores das commodities.

Trata-se de um contrato de compra e venda no qual produtor e comprador estabelecem um preço para entrega e pagamento em uma data futura.

Dessa maneira, o produtor consegue travar o preço do produto e reduzir riscos de perda, caso o preço caia no período.

No caso do comprador, ele pode lucrar se o preço subir.

Para quem já negocia ações, as commodities se apresentam como uma ótima oportunidade de diversificação.

Outra vantagem é a alavancagem.

Em contratos futuros, é possível operar grandes volumes sem precisar ter todo o capital.

Isso quer dizer que com pouco dinheiro você pode ter resultados sobre uma quantidade muito maior.

Para investir nesses contratos, não é preciso aplicar todo dinheiro exigido, você só apresenta uma margem de garantia.

Assim, você não paga e nem recebe nada de imediato em um contrato futuro. A ideia é lidar apenas com as oscilações dos valores, recebendo pelos ganhos e pagando pelas perdas.

A margem de garantia não necessariamente precisa ser em dinheiro. É possível utilizar ações, títulos de renda fixa e outros ativos.

Volume e liquidez também são pontos positivos desse tipo de investimento. Os contratos futuros que possuem maior liquidez são dólar, mini dólar, boi gordo, café arábica e milho.

Como as commodities movimentam bilhões pelo mundo, as possibilidades de realização de lucro são inúmeras, podendo ocorrer tanto na alta como na baixa.

Mas fica uma dica: umas das melhores operações do mercado futuro são realizadas em contratos e mini contratos de dólar, que apresentam bastante liquidez e respeitam os padrões da análise técnica.

As negociações são realizadas por meio do Home Broker e os códigos compostos por 6 caracteres indicam o ativo, mês de vencimento e ano de vencimento.

O primeiro passo para investir no mercado de commodities é abrir uma conta em uma corretora de valores.

Além de ser o caminho para você aplicar o seu capital, você terá acesso a profissionais experientes que te orientarão sobre a oscilação dos preços e melhores produtos.

De qualquer forma, é fundamental que você entenda sobre o mercado futuro e como as commodities figuram na bolsa de valores.

O mercado futuro não é indicado para iniciantes.

Não esqueça que estamos falando de renda variável, onde as oscilações são constantes e imprevisíveis, podendo acarretar em ótimos ganhos e graves prejuízos. É preciso estudar e praticar bastante.

Além disso, se você deseja se tornar um investidor de commodities, acompanhe o noticiário nacional e internacional.

Como estamos tratando de produtos negociados globalmente, é comum que sejam afetados por guerras comerciais e mudanças na legislação de outros países.

Estando por dentro das notícias, você consegue fazer boas escolhas e se antecipar as variações.