Índice Dow Jones (DJI): O que é, ações e como acompanhar

Índice Dow Jones (DJI): O que é, ações e como acompanhar

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

18/12/2020 • Atualizado: 29/03/2022

13 minutos

Compartilhar:

O índice Dow Jones é um dos indicadores financeiros de maior importância no mundo. Sua relevância é grande porque reúne a cotação em bolsa de empresas com expressivo destaque no país norte-americano e, por consequência, também para a economia mundial.

Neste texto, vamos entender os motivos pelo qual a teoria de Dow permanece viva mais de 100 anos após sua criação.

Vamos apresentar todos os fundamentos que embasam esta importante ferramenta de mercado.

Além disso, você vai entender seu funcionamento e como pode usar essas informações a seu favor.

Será que é possível investir no índice Dow Jones?

Essa é uma das respostas que você vai descobrir a partir de agora.

Siga em frente na leitura!

O que é o índice Dow Jones?

O Dow Jones é um indicador financeiro usado para representar a situação do mercado de ações norte-americano.

Ele é baseado na cotação das ações de 30 empresas daquele país.

Essas organizações são líderes em seus mercados e seu valor somado representa grande peso no desempenho das empresas de capital aberto.

Por conta disso, o indicador tem relevante importância, tanto no mercado americano como no mercado mundial.

Sua análise serve de base para nortear os investimentos em fundos ou mesmo de forma direta, em bolsas de valores.

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Abra sua conta, é online, rápido e 100% grátis.

Como surgiu o índice Dow Jones?

O índice foi criado há bastante tempo.

O ano era 1896 e o responsável por seu surgimento foi o jornal The Wall Street Journal.

Apesar de ser bastante antigo, o índice Dow não ostenta o título de ter sido o primeiro a aparecer.

Antes dele foi criado o Dow Jones Transportation Average, de autoria do mesmo jornal americano.

Qual a sigla do Dow Jones?

Dow Jones é um nome abreviado.

Sua nomenclatura completa é Dow Jones Industrial Average, e é representado pela sigla DJIA.

Seu denominação é composta pelo termo “Industrial” por conta de sua formulação inicial.

Quando foi criado, as indústrias de transformação pesada (como fabricação de aço, por exemplo) tinham a mais alta importância no mercado americano.

Com isso, as empresas que formavam o índice na época eram (em sua grande maioria) organizações do setor industrial.

Por isso foi conveniente batizá-lo desta forma quando do seu surgimento.

Quais são os fundamentos do índice Dow Jones?

imagem mostra mapa destacando a bandeira dos estados unidos com o número do índice dow jones

Não há como falar sobre os fundamentos do índice Dow Jones sem, antes, abordar a Teoria de Dow.

Vamos entender melhor?

A Teoria de Dow

Esta teoria foi apresentada por Charles Dow apenas um ano depois do surgimento do índice.

Segundo seu criador, existe uma relação profunda entre as atividades econômicas desempenhadas no mercado físico e as tendência dos preços das ações.

A teoria foi fundamentada nos seis pilares explicados a seguir.

Aproveite e também assista ao nosso conteúdo em vídeo logo abaixo:

1. Os índices se ajustam em qualquer situação

Este fundamento diz que qualquer índice financeiro é capaz de considerar todos os fatores ao longo do tempo.

Isso inclui os dados do passado e presente.

Com essa “memória” dos preços embutida, um índice seria capaz de se autoajustar com o tempo, refletindo a realidade atual.

Ou seja, ainda que exista alguma defasagem provocada por uma eventual crise, os preços se reajustariam com o tempo, pois existe uma “lembrança” da situação passada.

É como se ele dissesse: “uma empresa como a Coca-Cola não teria mais de 100 anos de existência ameaçada por uma crise de apenas um ano e meio.”

2. O mercado possui três tendências

Segundo Dow, os movimentos de mercado podem ser comparados com a natureza.

Mais especificamente, com as ondas formadas no mar.

Assim, temos a tendência primária, que é dominante e se compara a uma maré.

Ele compara a tendência secundária às ondas do mar, que se formam conforme a maré dominante sobe ou desce.

Por fim, existem as tendências terciárias, que são comparadas com as marolas que se formam entre as ondas e representam um movimento enfraquecido.

3. A tendência primária é formada por três etapas

Ainda segundo Dow, ele subdivide a tendência primária (que é a principal) em três outras etapas.

Na primeira fase, chamada de “acumulação”, a cotação das empresas se encontra estável, pois já absorveu qualquer evento ruim que tenha acontecido.

Posteriormente, vem a fase na qual a participação do público em geral se acentua.

Com isso, os movimentos iniciam sua escalada rumo a patamares cada vez maiores.

Por fim, vem a fase de “distribuição”.

O movimento de alta já é bastante percebido pelos veículos de comunicação e as notícias são cada vez mais divulgadas.

Para Dow, este é o momento certo de vender as ações adquiridas na etapa de acumulação e embolsar os lucros.

4. Índices e médias devem se confirmar

De acordo com esta teoria, um movimento só pode ser considerado genuíno se houver concordância entre as médias dos preços e os índices oficiais.

Dessa forma, se evita um engano que pode levar a prejuízos.

As médias móveis são indicadores que permitem analisar o andamento dos preços baseado no valor médio de períodos passados.

Para Dow, sua interpretação deve seguir o que mostram os índices.

Para isso, ambos devem estar em ascensão para confirmar a tendência de alta dos mercados.

5. O volume deve confirmar a tendência

Ainda complementando a análise dos mercados, Dow diz que o volume precisa “vir a reboque” da tendência principal.

Ele afirma isso pois considera o volume como movimento secundário.

Ou seja, primeiro, os preços devem aumentar e, só depois, a alta nos volumes aparece.

Isso faz muito sentido, pois é somente na segunda etapa da formação da tendência principal que o movimento é mais percebido pelo público em geral.

Ocorre então uma busca maior pela aquisição de ações e as negociações aumentam.

Isso reflete o crescimento posterior do volume.

6. Uma tendência permanece até que existam sinais de reversão

Não existe previsão de fim de uma tendência até que ela própria acabe, diz Dow.

Com isso, ele afirma que uma tendência de alta permanece em seu sentido até que seja interrompida por outra tendência, dessa vez de baixa.

Portanto, nada de comentários televisivos ou bolas de cristal.

Uma tendência segue seu curso até ser substituída por outra em sentido contrário.

Importância do índice Dow Jones

Em primeiro lugar, deve ser observado que se trata de um indicador financeiro da economia mais importante do planeta.

Por si só, esse dado já quer dizer muita coisa.

Como o índice Dow acompanha o desempenho de 30 grandes empresas de capital aberto dos EUA, ele reflete o estado da economia de forma geral.

Além disso, seu tempo de existência conta bastante, já que ultrapassa os cem anos agora.

Dessa forma, ele serve como fundamento para estudos apurados sobre o comportamento passado do mercado, épocas de alta no preço das ações e também períodos de recessão.

Por fim, o DJIA é uma rica fonte de estudo para a análise técnica, pois seus fundamentos embasam o comportamento dos preços.

Essa é a alma e o coração de todos aqueles que operam com base nos sinais oriundos da formação dos valores em uma análise gráfica.

Como funciona o Dow Jones?

A matemática envolvida por trás do cálculo do índice é relativamente simples.

Além disso, não existem critérios definidos para que uma empresa faça parte do indicador, como é o caso do índice Bovespa aqui no Brasil.

A seleção é feita pelo jornal que o criou, sendo estabelecida apenas a obrigatoriedade de tratar-se de uma blue chip e de ter grande destaque em seu setor de atuação.

Fórmula do cálculo do Dow Jones

À primeira vista, a fórmula do Dow Jones pode assustar:

  • DJIA = Σp/d

Mas ela é bem menos complicada do que parece.

Basicamente, consiste em uma divisão.

O numerador (parte de cima) é a soma do valor de todas as 30 empresas que fazem parte do índice.

Já o denominador (parte de baixo) é o “divisor Dow”.

Inicialmente, seu valor era 30 (número de empresas), fazendo com que o indicador fosse um média aritmética simples do valor das ações das companhias.

Com o passar do tempo, ele se aprimorou e agora considera também a distribuição de proventos, splits e agrupamentos.

Isso evita distorções em sua precificação.

Quais empresas compõem o índice Dow Jones?

Como já destacamos em outras partes deste conteúdo, o índice Dow Jones é formado por 30 empresas.

Acompanhe na tabela abaixo quais são elas:

3MAmerican ExpressApple
BoeingCaterpillarChevron
CiscoCoca-ColaDuPont
ExxonMobilGeneral ElectricGoldman Sachs
Home DepotIBMIntel
Johnson & JohnsonJPMorgan ChaseMcDonald’s
Merck & Co., IncMicrosoftNike
PfizerProcter & GambleTravelers
United TechnologiesUnitedHealthVerizon Communications
Visa Inc.Wal-MartWalt Disney

Vamos trazer mais detalhes sobre três delas, que ajudam a explicar a grandeza do índice.

Apple

O destaque desta gigante do ramo de tecnologia se dá por conta de seu grande peso no índice.

Sozinha, ela tem representatividade total de quase 10%, sendo a companhia com maior peso.

A empresa passou a fazer parte da composição do indicador recentemente, no ano de 2015.

Visa Inc.

Esta é uma organização que também entrou há pouco tempo no indicador, em 2013.

Atualmente, tem peso de aproximadamente 5% do índice.

Junto com a American Express, representa o setor de meios de pagamento.

McDonald’s

A empresa do ramo alimentício também tem uma fatia de 5% de representatividade no índice.

No entanto, destoa das demais citadas anteriormente porque tem mais tradição.

Ela compõe o DJIA desde 1985, acumulando agora 35 anos de participação.

Como investir no Dow Jones?

Agora, vamos responder àquela questão que deixamos lá no início do texto: afinal, tem como investir no Dow Jones?

Investindo pelo Brasil

Podem ser usadas estratégias que reflitam a realidade apresentada pelo indicador.

Uma delas é investir por meio de algum Exchange Traded Funds (ETF) que realize investimentos nas companhias que integram o Dow Jones.

Outra opção é comprar Brazilians Depositary Receipts (BDRs).

Eles representam os valores mobiliários das organizações que compõem o índice.

É o caso da Apple (AAPL34), do McDonald’s (MCDC34), da Visa Inc. (VISA34) e da maioria das empresas listadas.

Investindo pelo Exterior

Investir no índice Dow Jones no exterior depende da abertura de uma conta de investimento em corretora norte-americana.

As opções, nesse caso, se voltam à compra de ações das empresas listadas e também a partir de ETFs.

No mercado dos Estados Unidos, existem ETFs que investem exclusivamente no índice.

Assim, o investimento refletirá uma aplicação simultânea em todas as empresas que fazem parte do indicador.

Como acompanhar o Índice Dow Jones em tempo real?

Existem várias plataformas que possibilitam esse acompanhamento.

A disponibilidades de dados hoje é absurdamente alta.

O próprio Google divulga cotações em tempo real, geralmente com um pequeno atraso de 15 minutos.

É uma boa ferramenta para casos de negociação com prazos maiores.

Você, enquanto investidor, deve saber que sempre pode ter as melhores informações sobre preços e comportamento de ações para tomar decisões e negociar com segurança.

Ao abrir sua conta na Clear, você tem acesso a plataformas modernas, que qualificam seus movimentos e oferecem as melhores oportunidades.

E ainda pode fazer isso com a máxima rentabilidade, já que a taxa de corretagem é zero em todos os produtos de renda variável.

Melhores ações do Índice Dow Jones para investir

Todas as companhias listadas no índice são gigantes do mercado em que atuam.

A despeito de uma grande crise mundial ou graves problemas internos, todas são altamente recomendáveis.

Portanto, uma boa dica é concentrar-se naquele setor onde tem mais conhecimento.

Estando sempre em uma zona que você domina, os resultados podem ser potencializados pela leitura mais aguçada do mercado.

Se você já possui um setor preferido ou que entende melhor, foque nele.

Curiosidades sobre o Dow Jones

Para finalizar este conteúdo, vamos conferir algumas curiosidade sobre o índice Dow Jones.

Escolha do nome

O nome do índice é uma composição dos nomes de seus idealizadores.

Tratam-se de Charles Dow e Edward Jones.

Sabia dessa?

Empresa com mais tempo de presença do Índice

Disparada com a empresa com maior tempo de permanência contínua no índice está a General Electric.

A companhia integra o indicador por nada menos que 111 anos ininterruptos.

Rentabilidade histórica

Supondo que 1 dólar tivesse sido aplicado no surgimento do índice, ele teria o valor aproximado hoje de 440 dólares (sem reinvestimento) ou incríveis 85.000 dólares (com o reinvestimento).

Maior queda e maior alta percentual

A maior queda registrada até hoje no Dow Jones ocorreu em uma segunda-feira, em 19 de outubro de 1987.

Por isso ficou conhecida como Black Monday.

Só nesse dia, o indicador desvalorizou mais de 22%.

Por outro lado, a maior alta foi registrada recentemente.

No dia 15 de março de 2020, o índice valorizou mais de 15%.

Conclusão

Como podemos ver, o índice Dow Jones tem grande importância, pois reflete o desempenho da maior economia do planeta.

Acompanhá-lo pode trazer grandes insights nas negociações de mercado, principalmente quando são levados à risca os fundamentos da teoria.

Embarcar em uma tendência logo no seu início pode trazer ganhos formidáveis.

Então, não perca mais tempo.

Abra sua conta na Clear agora mesmo e faça parte do mundo financeiro.