[xp_hellobar][/xp_hellobar]

ETFs: conheça os fundos de índices e saiba como investir

ETFs: conheça os fundos de índices e saiba como investir

Navegue por assunto


ETFs são fundos de investimento que replicam a composição de índices. Negociados na Bolsa de Valores, podem ser seu primeiro investimento na renda variável.

Se você investe ou está pensando em investir em renda variável, com certeza já ouviu falar em ações. Esse ativo é o tipo mais conhecido da Bolsa de Valores. Porém, ele não é o único negociado na B3. Existem outros investimentos na bolsa que podem diversificar sua carteira de investimentos. Um deles são os ETFs.

Os ETFs, abreviação do termo em inglês Exchange Traded Funds, são fundos que replicam índices. Esse investimento é bastante conhecido fora do Brasil, mas aos poucos está se tornando mais conhecido por aqui, tendo mais liquidez e chamando a atenção dos investidores brasileiros.

Um ponto interessante sobre esse investimento é que pode ser uma opção para investir em ativos internacionais, já que pode replicar algum índice de fora. Assim, você pode aproveitar o bom momento de outras bolsas e trazer mais solidez para sua carteira.

Entenda como funcionam os ETFs e porque podem ser uma boa opção para você.

O que são ETFs?

Os ETFs são fundos onde sua rentabilidade sempre está atrelada a algum índice de referência. Isso significa que o gestor de um ETF sempre vai ajustar sua composição para que fique a mais parecida possível com o benchmark.

Por exemplo, se o ETF tiver como referência o Ibovespa o gestor do fundo irá utilizar os recursos dos cotistas para comprar as ações que fazem parte do índice – na mesma proporção. Mesmo que ele encontre opções mais atraentes no momento do investimento, ele deve sempre seguir o índice.

Uma diferença entre os ETFs e os outros fundos de investimento é que eles são negociados na B3, assim como as ações. Ou seja, o investidor pode comprar ETFs pelo home broker da corretora de valores.

Pouco conhecido no Brasil

Os ETFs são investimentos mais conhecidos fora do Brasil. Por aqui, foi regulamentado em 2002 e apenas recentemente começou a ganhar destaque.

Atualmente, existem 17 ETFs listados na B3, que replicam diferentes índices tanto nacionais quanto internacionais.

ETFs listados na Bovespa

Veja a lista com todos os ETFs listados na Bovespa e conheça um pouco mais sobre algum deles:

Nome do Fundo de ÍndiceNome do PregãoCódigo de Negociação
BB ETF IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICEBB ETF IBOVBBOV
BB ETF S&P DIVIDENDOS BRASIL FUNDO DE ÍNDICEBB ETF SP DVBBSD
BTG PACTUAL ESG FUNDO DE ÍNDICE S&P/B3 BRAZIL ESETF ESG BTGESGB
CAIXA ETF IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICECAIXAETFXBOVXBOV
ETF BRADESCO IBOVESPA FDO DE ÍNDICEETF BRA IBOVBOVB
ISHARES BMFBOVESPA SMALL CAP FUNDO DE ÍNDICEISHARES SMALSMAL
ISHARES IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICEISHARES BOVABOVA
ISHARES IBRX – ÍNDICE BRASIL (IBRX-100) FUNDO ÍNDICEISHARES BRAXBRAX
ISHARES ÍNDICE CARBONO EFIC. (ICO2) BRASIL-FUNDO ÍNDICEISHARES ECOOECOO
ISHARES S&P 500 FDO INV COTAS FDO ÍNDICEISHARE SP500IVVB
IT NOW IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICEIT NOW IBOVBOVV
IT NOW IDIV FUNDO DE ÍNDICEIT NOW IDIVDIVO
IT NOW IFNC FUNDO DE ÍNDICEIT NOW IFNCFIND
IT NOW IGCT FUNDO DE ÍNDICEIT NOW IGCTGOVE
IT NOW IMAT FUNDO DE ÍNDICEIT NOW IMATMATB
IT NOW ISE FUNDO DE ÍNDICEIT NOW ISEISUS
IT NOW PIBB IBRX-50 – FUNDO DE ÍNDICEIT NOW PIBBPIBB
IT NOW S&P500 TRN FUNDO DE ÍNDICEIT NOW SPXISPXI
IT NOW SMALL FDO ÍNDICEIT NOW SMALLSMAC
TREND ETF IFIX FUNDO DE ÍNDICETREND IFIXXFIX
TREND ETF LBMA OURO FDO. INV. ÍNDICE – INVEST. EXTTREND OUROGOLD
TREND ETF MSCI ACWI FDO. INV. ÍNDICE – INVEST. EXTTREND ACWIACWI
TREND ETF MSCI CHINA FDO. INV. ÍNDICE – INV. EXT.TREND CHINAXINA
TREND ETF MSCI EUROPA FDO. INV. ÍNDICE – INV. EXT.TREND EUROPAEURP

Lista atualizada dia 19/02/2021 – Fonte: Bovespa

BOVA11

Esse fundo tem como referência o Ibovespa, que é o principal índice de ações do Brasil. Ele é composto pelas ações das empresas que movimentam mais de 80% de todo o volume de negociado na B3.

BRAX11

Ele tem como referência o Índice Brasil – IbrX 100, que é formado por uma carteira teórica pelas 100 ações mais negociadas da bolsa levando em conta quantidade e volume financeiro medindo o retorno desse investimento.

IVVB11

Esse fundo é baseado em um índice internacional, o S&P 500. Faz parte desse índice as ações das 500 maiores empresas dos Estados Unidos. Portanto, esse ETF atrela sua rentabilidade à performance do S&P 500, porém em moeda nacional.

DIVO11

Esse ETF busca a rentabilidade do IDIV, que é formado pelas empresas maiores pagadoras de dividendos da bolsa nos últimos 24 meses.

Como investir em ETF?

Para investir em ETFs você precisa ter conta em uma corretora de valores, como a Clear. Toda a negociação é feita pelo home broker, ou App, da sua corretora, o ambiente para negociar ativos na B3.

Antes de escolher o ETF em que vai investir, pesquise sobre o índice no qual a rentabilidade dele é espelhada.  É importante fazer uma escolha de acordo com os seus objetivos e expectativas.

Para investir no ETF, basta acessar o home broker, ou App, pela sua conta da corretora e procurar pelo código do fundo em que quer investir. Depois, basta seguir com a negociação pelo home broker.

Valor mínimo para investir

O valor mínimo para investir em ETFs depende do valor da cota e vai variar dependendo do índice. Por exemplo, se uma cota do BOVA11 for negociada a R$ 60, como o lote padrão é de 10 cotas o investimento mínimo para este fundo nesse caso seria de R$ 600.

Mas fique de olho: o lote padrão vai ser alterado em breve e o investidor vai poder negociar de 1 em 1.

Mas depende do preço das cotas e do fundo que você escolher.

Quais são as diferenças com outros fundos de investimento?

Como falamos, os ETFs têm algumas diferenças quando comparados aos outros fundos de investimentos. As principais delas são:

  • O tipo de gestão;
  • A negociação;
  • Acompanhamento de desempenho.

Tipo de gestão

O tipo de gestão demonstra como o fundo é gerido. No caso dos ETFs a gestão é passiva. E, embora existam fundos de investimento com gestão passiva, muitos têm na gestão ativa o seu grande diferencial. Ou seja, os gestores estão sempre de olho no mercado buscando as melhores oportunidades de investimento para aplicar os recursos dos cotistas.

Não é o caso dos ETFs. Nesse tipo de investimento, os gestores têm a preocupação de replicar a composição de algum índice já existente do mercado. Mesmo se ele acreditar que existam papéis mais rentáveis no momento, ele deve sempre replicar o índice.

Negociação

A maneira de investir também é diferente. Se você quiser investir em fundos tradicionais poderá encontrá-los diretamente na conta da sua corretora ou banco. Já para negociar ETFs é preciso entrar no pregão da bolsa de valores.

Para fazer isso, você também precisa ter conta em uma corretora de valores – mas o ambiente onde irá negociar é outro: para ETFs, vai entrar no home broker, o mesmo lugar onde compra e vende ações.

Acompanhamento de desempenho

A outra diferença que destacamos é a forma do investidor acompanhar o desempenho do fundo. Em fundos tradicionais informações sobre rentabilidade precisam ser fornecida pelos administradores em documentos oficiais.

Para os ETFs, a rentabilidade pode ser acompanhada em tempo real já que as cotações são divulgadas ao longo do dia pela B3. Então, basta acompanhar as divulgações da bolsa de valores.

Por que comprar ETFs?

Os ETFs podem ser ótimas opções de investimento, sendo inclusive indicados para quem quer começar a investir na bolsa de valores, mas não sabem por onde. A ideia de começar investindo em um fundo que replica algum índice já existente no mercado pode ser uma alternativa para quem está iniciando no mundo das ações e da renda variável.

Além disso, os ETFs têm algumas características que podem ser vantajosas e fazer deles uma boa escolha.

Facilidade para investir

Se a sua dúvida é como comprar ou como vender ETFs pode ficar tranquilo, pois a operação acontece da mesma maneira como comprar uma ação na B3.

E se você é novo na bolsa de valores, não tem problema. Nós temos um post sobre o Home Broker. É nessa plataforma onde você irá negociar os ETFs.

O ponto positivo desse tipo de investimento é que, para quem não quer ou não tem tempo de acompanhar a cotação de ação por ação é uma maneira de investir na bolsa, porém sem precisar fazer esse acompanhamento. Você apenas escolhe um ETF e ele vai replicar o desempenho do índice escolhido. Simples assim. E isso nos leva ao próximo ponto.

Diversificação de investimentos

Por replicar um índice, ao comprar cotas de um ETF você investirá em vários papéis de uma só vez. Por exemplo, em vez de comprar ação por ação das empresas que compões o Ibovespa, você pode apenas comprar cotas do ETF que replica o Ibovespa.

Assim, você dilui o risco da carteira mesmo investindo em apenas um investimento.

Custo para investir

Geralmente, as taxas de administração dos ETFs são bem menores do que de outros fundos de investimento. Como a gestão dos ETFs é passiva, os custos de operação são reduzidos, o que se reflete na taxa de administração.

Assim, o investidor não encontra taxas altas para investir.

E nenhum valor é descontado da conta do cliente, pois os fundos tiram o percentual da taxa dos dividendos recebidos.

Alguns tipos de ETFs

Aqui no Brasil, os mais negociados são os ETFs de índice. Mas existem outros tipos de ETFS:

ETFs de Títulos

Esse tipo de ETF espelha sua rentabilidade em ativos de renda fixa. Existem alguns ETFs de títulos aqui no Brasil, mas eles também são negociados na B3, via home broker.

ETFs de Commodities

Ele tem sua rentabilidade atrelada a commodities como ouro, prata, cobre e combustíveis fósseis.

ETFs de Índices

Esses são os mais comuns, nos quais a rentabilidade está atrelada a algum índice existente no mercado.

ETFs para investir no exterior

Investir no exterior é uma recomendação importante para a diversificação da sua carteira de investimentos. Os motivos são vários: a economia de outros países pode estar em outro momento que a economia brasileira (e em momentos melhores), você pode investir nas melhores empresas do mundo, você dilui o risco da sua carteira, o número de opções é absurdamente maior… Enfim, motivos não faltam.

Mas muita gente pensa que investir no exterior é apenas para quem tem muito dinheiro, para o investidor qualificado. Mas não é verdade. Os ETFs são uma ótima opção para expor sua carteira a investimentos no exterior e diversificar seus investimentos.

Você pode aplicar seu capital em fundos como o IVVB11, que replica a rentabilidade do S&P 500, composto pelas 500 maiores empresas dos Estados Unidos, como a Apple, Amazon, Facebook e Alphabet Inc (da qual o Google faz parte).

Ou seja, você consegue expor o seu capital às maiores empresas do mundo de uma maneira muito simples. Basta abrir sua conta na Clear e acessar o home broker.

ETFs como Hedge da carteira de ações

É comum os investidores utilizarem os ETFs para fazer hedge da carteira de ações. Hedge é uma ferramenta de proteção contra as oscilações do mercado: o investidor tem mais preocupação em garantir o preço de um determinado ativo para uma compra ou venda futura do que no lucro da operação.

E os ETFs podem ser utilizados como hedge na carteira de ações. É comum vender-se o BOVA11 para se proteger da queda do mercado, por exemplo.

Assim, ele dilui os riscos dos seus investimentos e se protege contra as quedas do mercado.

Riscos de investir em ETFs

Mas vale lembrar que esse investimento, assim como ações, é de renda variável. Portanto, implica em riscos. Ele sofre com oscilações e volatidade do mercado e a rentabilidade não é garantida.

Portanto, você apenas deve investir em ETFs se o seu perfil de investidor estiver de acordo com esse tipo de investimento, ou seja, se for um investidor agressivo. Além disso, não invista todo o seu capital em um mesmo ativo: sempre diversifique seus investimentos. Assim, você dilui os riscos entre eles.

Como declarar ETF no IR

Outra dúvida que pode surgir é em relação ao Imposto de Renda (IR).

Para ETFs de Renda Fixa é mais simples: o IR é retiro na fonte, portanto não é preciso pagar DARF sobre o lucro da venda. Porém, a posse e rendimento devem ser lançados na declaração anual, pelo Informe de Rendimentos fornecido pela sua corretora.

Já os ETFs de Renda Variável, diferente de ações, não tem isenção de IR. Para operações de day trade é incidido 20% de IR, e outras operações 15%.

Quer investir em ETFs?

Abra sua conta na Clear. Somos a primeira corretora com taxa zero. Invista com quem realmente entende de Renda Variável.