Bolsas mundiais: quais são e como acompanhar seus índices?

Bolsas mundiais: quais são e como acompanhar seus índices?

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

19/10/2021 • Atualizado: 30/06/2022

16 minutos

Compartilhar:

A foto mostra uma mulher sentada à mesa em frente a um notebook, anotando algo em um bloco de anotações ao seu lado.

O investimento em bolsas mundiais tende a ser um caminho natural para pessoas investidoras que têm  cada vez mais interesse na atratividade da renda variável, e que têm a opção de aplicar seu dinheiro em ativos no exterior. 

As bolsas internacionais configuram  uma opção de investimento que permite adquirir papéis que não são negociados na bolsa de valores brasileira. Além disso, vivemos em uma economia mais globalizada do que nunca. 

Assim, o que ocorre nos mais importantes pregões das bolsas de valores internacionais indica uma tendência que pode se repetir por aqui. 

Com a pandemia do coronavírus, por exemplo, foram registradas quedas em todas as bolsas mundiais, mesmo que nem todos os países estivessem enfrentando o problema com a mesma intensidade. 

Entre oportunidades e riscos, só o conhecimento protege seu capital e aumenta seu patrimônio. 

Por isso, é tão importante entender, mesmo que minimamente, como é o funcionamento das Bolsas de Valores no mundo. Na sequência, te contamos quais são as principais bolsas mundiais para ficar de olho e como acompanhar os índices mundiais.  

Segue o fio! ⤵️ 

O que são Bolsas de Valores? 

Bolsa de Valores é um ambiente onde são registrados e negociados diversos tipos de ativos, não se restringindo somente às ações, podendo envolver commodities e títulos públicos, por exemplo. 

As ações, porém, são os ativos mais conhecidos –e os famosos índices mundiais das bolsas (sobre os quais falaremos adiante) se referem a elas. 

Por permitir a compra e venda de ações das empresas, a bolsa de valores tem uma grande importância não apenas para investidores pessoa física, mas também para as próprias companhias. 

Para quem investe, a bolsa representa a possibilidade de se associar a uma grande empresa. Ou seja, é muito mais do que a simples possibilidade de ter uma rentabilidade bem acima do que proporciona a renda fixa. 

Já as empresas de capital aberto vendem suas ações para captar recursos, que podem ser utilizados em investimentos que permitem a elas continuar crescendo. 

Bolsas mundiais: qual a importância para o mercado brasileiro? 

Se já tiver passado pela sua cabeça o questionamento: o que interessa a alguém que investe apenas na B3 saber sobre o que acontece na bolsa de Nova York, Xangai ou Frankfurt, por exemplo? Saiba que essa não é uma questão muito  difícil de responder. 

É fato que a economia brasileira ainda depende muito dos investimentos estrangeiros. Portanto, os índices mundiais das bolsas de valores internacionais podem nos dar pistas sobre duas coisas: 

  1. O nível de otimismo geral das pessoas investidoras (do país, do continente e do mundo) sobre a economia
  1. O interesse que essas pessoas terão em apostar em ações brasileiras

Um cenário hipotético de queda, estagnação ou alta tímida em bolsas mundiais pode gerar tanto um pessimismo generalizado, uma venda de posições e um efeito manada (com queda também nas ações brasileiras) quanto uma migração da atenção de pessoas que investem em diferentes bolsas de valores no mundo para mercados emergentes, como o Brasil (gerando alta no Ibovespa). 

Não existem respostas prontas, essas são apenas hipóteses que ilustram a influência que a flutuação nos preços de ações internacionais pode ter no mercado interno. 

Para interpretar e antecipar como o cenário das bolsas mundiais pode impactar o Brasil, é preciso analisar outros fatores. 

Entre eles, taxas de juros nos países desenvolvidos, alternativas de investimento, índices macroeconômicos e até mesmo questões políticas, que influenciam o comportamento de pessoas investidoras

Resumindo, se as pessoas investidoras estrangeiras acreditarem que é rentável e seguro comprar ações de empresas brasileiras, o Ibovespa tende a subir –e os índices das bolsas mundiais podem nos dar alguma indicação nesse sentido. 

Índices Mundiais: o que são? 

Índices mundiais de ações são carteiras teóricas das principais bolsas mundiais, que despertam a atenção de pessoas investidoras de todos os continentes. 

Recapitulando um pouquinho, um índice de ações é uma pontuação atribuída a uma carteira teórica com ações negociadas em determinada bolsa de valores, seja ela a B3 ou qualquer outra das bolsas no mundo 

Geralmente, esses índices mundiais são compostos por ativos com maior volume de negociação na bolsa em questão. A pontuação varia de acordo com o desempenho das ações –quando a média das cotações sobe ou cai, o índice acompanha. 

Os índices mundiais de ações, portanto, representam a performance geral das ações negociadas naquela bolsa

No Ibovespa, por exemplo, as ações listadas na carteira teórica correspondem a cerca de 80% do número de negócios e do volume financeiro da bolsa – o que indica que o índice apresenta um retrato fiel da performance da B3. 

Dentre os índices mundiais mais conhecidos está o  Dow Jones, um nome comum nos noticiários econômicos. 

O critério do índice mundial Dow Jones é um pouco diferente, pois a carteira engloba as ações das 30 maiores e mais importantes empresas dos Estados Unidos e, como você pode imaginar, elas são gigantes da economia mundial. 

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Invista com a especialista em bolsa, abra sua conta.  

7 Principais Bolsas Mundiais 

A foto mostra um homem com uma das pernas cruzada, segurando um tablet, no qual há vários gráficos, em referência aos índices das bolsas mundiais.
Você acha que as bolsas mundiais são uma boa alternativa para seu perfil, mas não sabe por onde começar a investir? A gente dá uma forcinha! 

Nossa lista de principais bolsas de valores do mundo está ordenada pela capitalização bursátil de cada uma (da maior para a menor). 

Capitalização bursátil (market capitalization ou simplesmente market cap em inglês) é a soma da capitalização (o valor da ação multiplicado pelo número de ações negociáveis) de todas as companhias listadas em cada uma das bolsas mundiais. 

É o número mais usado para comparar a dimensão das bolsas no mundo. 

Todos dados que se referem a esse número podem ser encontrados no  ranking do site TradingHours.com, que os obteve com a World Federalization of Exchanges (WFE), a Federação Mundial de Bolsas. 

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Abra sua conta, é online, rápido e 100% grátis.

1. New York Stock Exchange (NYSE) 

Dentre as bolsas mundiais, a NYSE é que possui maior market cap. Criada em 1792, a Bolsa de Valores de Nova York é a principal do mundo, reunindo empresas de enorme dimensão, como: 

  • Alphabet Inc (Google) 
  • American Express 
  • Boeing 
  • Coca-Cola 
  • Disney 
  • Facebook 
  • General Motors 
  • PepsiCo 
  • Pfizer. 

Empresas de outros países também negociam na NYSE, inclusive algumas brasileiras, como Ambev, Gerdau, Itaú, Petrobras e Vale. 

A capitalização bursátil da mais importante dentre as bolsas internacionais é de US$21 trilhões. Bastante, né? 

Você pode acompanhar a cotação atual e gráfico de variação de uma ação negociada na bolsa de Nova York com uma simples pesquisa no Google. 

É só buscar por “nome da empresa” + “stock” + “nyse” e, na própria página de resultados do seu buscador, aparecerá um box com várias informações sobre o ativo.

2. Nasdaq Stock Market (NASDAQ) 

A Nasdaq é outra das bolsas de valores internacionais que opera na cidade de Nova York. 

Mais recente (criada em 1971), costuma atrair mais e de empresas de tecnologia, enquanto a NYSE tem muitas companhias antigas e tradicionais, fundadas quando a Nasdaq ainda nem existia. Mas há ainda algumas empresas que negociam em ambas as bolsas. 

Na lista de empresas presentes na Nasdaq, estão: 

  • Apple 
  • Alphabet (Google) 
  • Alibaba 
  • Amazon 
  • Johnson & Johnson 
  • Facebook 
  • Mastercard 
  • McDonald’s 
  • Nestlé 
  • PepsiCo 
  • Tesla 
  • Toyota. 

Sua capitalização bursátil é de US$17,25 trilhões. 

Você também pode acompanhar a cotação e outras informações das ações negociadas na Nasdaq na página de resultados do Google. Basta digitar “nome da empresa” + “stock” + “nasdaq”. 

3. Shanghai Stock Exchange (SSE) 

Com o enorme crescimento e abertura da economia chinesa nas últimas décadas, a bolsa de Xangai é uma das bolsas de valores no mundo que galgou várias posições no ranking, sendo a terceira com maior capitalização. 

Ela foi fundada em 1990 e algumas das companhias listadas são: 

  • Banco Agrícola da China (AgBank) 
  • Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) 
  • Bank of China 
  • China Life 
  • Foshan Haitian Flavouring & Food Co 
  • Kweichow Moutai 
  • PetroChina 
  • Ping An Insurance. 

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar nas empresas acima, mas, a partir de agora, é bom ter em mente que elas atuam em um país com mais de 1 bilhão de pessoas –e muitas delas mundialmente. A Foshan Haitian Flavouring, por exemplo, é a maior fabricante de molho de soja (shoyu) do mundo. 

A capitalização bursátil da SSE é US$6,33 trilhões. 

Para acompanhar a cotação de uma ação listada nesta bolsa, digite “nome da empresa” + “stock” + “sse” no Google. 

4. Tokyo Stock Exchange (TSE) 

A bolsa de valores de Tóquio foi fundada em 1878 e, por um bom tempo, foi a que teve a maior capitalização bursátil entre as bolsas mundiais fora dos Estados Unidos, até ser superada pela SSE. 

Entre as empresas listadas na TSE, estão: 

  • Ajinomoto 
  • Daiwa Securities Group 
  • Honda 
  • Mitsubishi Motors 
  • Toyota
  • SoftBank 
  • Sony. 

Somando os valores de todas as ações da bolsa de Tóquio, a capitalização da bolsa fica em US$5,98 trilhões. 

Digite “nome da empresa” + “stock” + “tse” no Google para acompanhar a cotação das ações. 

5. Stock Exchange of Hong Kong (SEHK) 

A bolsa de valores de Hong Kong é a terceira maior da Ásia em valor de capitalização e foi fundada em 1891. 

Entre as empresas listadas, estão: 

  • AIA 
  • China Construction Bank (CCB) 
  • China Mobile 
  • China Motor Bus 
  • HSBC 
  • Tencent Holdings. 

Sua capitalização bursátil é de US$5,49 trilhões. 

Você pode acompanhar as cotações das ações listadas na SEHK digitando no Google “nome da empresa” + “stock” + “sehk”. 

6. Shenzhen Stock Exchange (SZSE) 

Temos mais uma bolsa chinesa dentre as maiores bolsas de valores internacionais. 

Shenzhen é um importante centro econômico e tecnológico, tanto que a cidade é considerada por alguns o próximo “Vale do Silício”. 

Entre as empresas que negociam ações na SZSE, que iniciou suas atividades em 1991, estão: 

  • AVIC Aircraft 
  • BYD 
  • Changan Automobile 
  • DHC Software 
  • FAW Car 
  • Gree Electric 
  • Midea 
  • Wanda Cinemas 
  • Youzu Interactive. 

Sua capitalização bursátil é de US$4,76 trilhões. 

Confira a cotação das ações listadas digitando “nome da empresa” + “stock” + “szse” no Google. 

7. Euronext 

A bolsa Euronext tem sede em Amsterdã e opera, além da capital holandesa, os mercados de Bruxelas, Dublin, Lisboa, Londres e Paris. 

Foi fundada em 1602 como Amsterdam Stock Exchange, segue esse formato desde 2000. 

Algumas empresas que negociam ações na Euronext são: 

  • ABN Amro Group 
  • AFC Ajax 
  • Heineken 
  • KPN 
  • Philips 
  • Royal Dutch Shell 
  • Unibail-Rodamco-Westfield. 

Sua capitalização bursátil é de US$4,61 trilhões. 

Confira a cotação das ações da Euronext digitando “nome da empresa” + “stock” + “ams” no Google. 

Bolsas mundiais: outras alternativas 

Depois de acompanhar o que são bolsas de valores, como elas influenciam na economia brasileira, e quais são as bolsas mundiais com maior market cap, talvez você esteja se perguntando se existem outras alternativas para investir.  

A resposta é sim, existem. E se tratam de bolsas internacionais bem importantes, na realidade. Olha só: 

London Stock Exchange (LSE) 

  • Sede: Londres (Reino Unido) 
  • Fundação: 1571 
  • Capitalização bursátil:  US$3,47 trilhões. 

Saudi Stock Exchange (Tadawul) 

  • Sede: Riad (Arábia Saudita) 
  • Fundação: 2007 
  • Capitalização bursátil: US$2,39 trilhões. 

Toronto Stock Exchange (TSX) 

  • Sede: Toronto (Canadá) 
  • Fundação: 1861 
  • Capitalização bursátil: US$2,35 trilhões. 

National Stock Exchange of India Limited (NSE) 

  • Sede: Mumbai (Índia) 
  • Fundação: 1992
  • Capitalização bursátil: US$2,1 trilhões. 

Frankfurt Stock Exchange 

  • Sede: Frankfurt (Alemanha) 
  • Fundação: 1585 
  • Capitalização bursátil: US$2,02 trilhões. 

B3 

Apesar de estar bem longe das primeiras posições no ranking das bolsas mundiais, não poderíamos deixar de fora da lista a bolsa de valores brasileira

Afinal, ela é a maior bolsa da América Latina e desempenha um papel importante na economia global. 

A B3 surgiu com a fusão da BM&F Bovespa e Cetip, sendo sediada em São Paulo. O nome se refere a “Brasil, Bolsa, Balcão”, pois contempla também o mercado de balcão. 

Em 2019, um volume de R$3,77 trilhões foi negociado na B3, e, apenas no primeiro semestre de 2020, o volume foi de R$3,19 trilhões, mais de 80% de todo o ano anterior. Sem dúvidas, também é uma das bolsas mundiais pra ficar de olho! 

Dentre as principais empresas que negociam ações na B3, podemos citar Itaú, Magazine LuizaPetrobras, Vale, Gerdau, Ambev, JBS, MRV, Localiza e WEG. 

Em fevereiro de 2020, antes do  início da pandemia de coronavírus,, a capitalização bursátil da B3 era de R$1,64 trilhões. 

Você pode acompanhar as cotações, atualizadas em tempo real, no app da Clear. 

Índices mundiais das bolsas 

Conforme explicamos antes, os índices das bolsas mundiais nos dão uma ideia sobre a performance das ações negociadas. 

Os índices procuram responder se, na média, as ações têm se valorizado ou se os preços estão caindo 

A seguir, você confere quais são os principais índices mundiais das bolsas de valores internacionais. 

MSCI World 

É um importante benchmark para fundos de ações globais, pois é formado por mais de 1,5 mil ações de companhias de vários países. 

S&P Global 100 

O índice, feito pela Standard & Poor’s, mede a performance de 100 empresas multinacionais que estão entre as maiores do mundo. 

Dow Jones 

Carteira com ações das 30 maiores e mais importantes empresas dos Estados Unidos. 

S&P 500 

É composto por 500 ações negociadas nas bolsas NYSE e Nasdaq. 

NASDAQ Composite 

O índice reúne quase todas as ações listadas na bolsa Nasdaq. 

SSE Composite Index 

Reúne todas as ações listadas na bolsa de valores de Xangai (Shanghai Stock Exchange). 

Nikkei 225 

Principal índice da bolsa de valores de Tóquio, reúne suas 225 principais ações. 

SZSE 100 Index 

Índice que reúne as 100 principais ações listadas na bolsa de Shenzhen, na China. 

FTSE 100 

Calculado pela companhia independente formada pelo The Financial Times e London Stock Exchange, reúne as 100 principais ações da bolsa de Londres. 

DAX 30 

Este índice engloba as 30 companhias com melhor performance da Alemanha, com base em seu desempenho na bolsa de Frankfurt. 

Ibovespa 

O índice da bolsa brasileira, uma carteira teórica com as 76 ações mais negociadas na B3. 

A Clear possui a maior alavancagem do mercado. Dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira: Abra sua conta! 

Vantagens de investir em uma das bolsas mundiais

A foto mostra uma mulher sorrindo olhando para baixo, e fazendo sinal de joia, com um dos polegares levantados.
Investimentos em bolsas mundiais significam a diversificação da sua carteira. Veja as principais vantagens! 

Para qualquer pessoa que investe, a diversificação é uma estratégia importante para diminuir os riscos – e essa é a principal vantagem da aposta em ações presentes nas bolsas internacionais. 

Se a sua carteira só possui ativos de empresas brasileiras, por exemplo, o impacto de um cenário interno desfavorável nas suas finanças tende a ser grande. 

Destinando uma parte de seu investimento em renda variável para a compra de ações de diversas bolsas no mundo , esse risco é diluído, pois os fatores domésticos não vão impactar os mercados de outros países. 

Além disso, você tem a possibilidade de se tornar acionista das gigantes e inovadoras empresas americanas, com as marcas mais conhecidas do mundo, e também das emergentes chinesas, que estão tomando o mundo. 

E, ainda, das tradicionais europeias, com grande reputação e histórico de gestão sólida e responsável. 

Bolsas mundiais: como investir?  

Para comprar e vender ações em bolsas mundiais, é preciso abrir uma conta em uma corretora internacional. 

Depois de aberta a conta, você precisa transferir o dinheiro (para fora do país) para ela e, então, pode começar a operar. 

Claro que isso implica em custos extras, sem contar a dificuldade de ter que lidar com uma instituição estrangeira. 

Uma alternativa são os chamados BDRs, ou Brazilian Depositary Receipts, documentos que representam ações emitidas por empresas de outros países, mas que são negociadas no Brasil. 

É mais fácil para quem tem conta com uma corretora brasileira, mas não há isenção de Imposto de Renda, e a liquidez e disponibilidade de ativos são menores. 

Você ainda pode optar pelos fundos de investimentos internacionais, carteiras teóricas compostas por ativos de fora do país. 

A grande diferença é que, neste caso, não é você que escolhe em quais ações de empresas que estão em uma das bolsas mundiais vai investir. 

Vale conhecer ainda os ETFs, ou Exchange Traded Funds, que são fundos que replicam índices – inclusive internacionais. 

Mas é importante frisar que investir em BDRs, ETFs e fundos internacionais não é o mesmo que comprar ações nas bolsas de valores internacionais

Como acompanhar as bolsas mundiais em tempo real 

Atualmente, é muito fácil encontrar informações sobre as principais bolsas mundiais e seus índices na internet. 

Basta uma rápida busca no Google para achar o que você procura. 

Com as plataformas da Clear, você acompanha as cotações de ações e investe na bolsa e em outros produtos financeiros. 

Conclusão 

A B3, bolsa de valores brasileira, é a mais importante da América Latina. No entanto, quando comparada às principais bolsas mundiais, sua capitalização bursátil (a soma dos valores de todas as ações) é baixa. 

Conhecer os maiores mercados do planeta e seus índices é importante para ter uma alternativa promissora de diversificação e para qualificar ainda mais a sua análise fundamentalista, aprendendo a identificar padrões com a observação de outros mercados. 

Mas, e aí, você gostou de conhecer as bolsas mundiais e quer começar investindo em ativos internacionais no Brasil? É só abrir sua conta na Clear gratuitamente, a primeira corretora com taxa zero na corretagem.