[xp_hellobar][/xp_hellobar]

O que é Taxa Selic e como calculá-la?

O que é Taxa Selic e como calculá-la?

Navegue por assunto


A foto mostra uma mulher sentada em uma cadeira com os braços apoiados em uma mesa, com uma calculadora nas mãos fazendo contas. A sua frente, há um notebook, papéis e uma xícara.

Certamente, você já ouviu falar sobre a taxa Selic, inclusive já deve ter lido sobre ela em manchetes dos jornais brasileiros. Mas você já parou para pesquisar o que é, exatamente, essa tal de taxa Selic? 

Bem, a Selic tem relação com a economia nacional e, mais do que isso, com o seu bolso. Por isso, é importante estar ciente a respeito dela. Então, nesse conteúdo, vamos explicar o que é Selic, qual sua importância, como calculá-la e, ainda, como ela pode afetar seus investimentos. 

Vamos lá? 👇 

O que é Selic? 

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. De acordo com o Bacen, ela é “o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação”, tendo influência em todas as taxas de juros do país. 

Ainda segundo o Banco Central, a taxa Selic “refere-se à taxa de juros apurada nas operações de empréstimos de um dia entre as instituições financeiras que utilizam títulos públicos federais como garantia. O BC opera no mercado de títulos públicos para que a taxa Selic efetiva esteja em linha com a meta da Selic definida na reunião do Comitê de Política Monetária do BC (Copom)”

Além disso, o nome “Selic” é derivado da sigla do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, uma infraestrutura do mercado financeiro, administrado pelo Bacen, onde acontecem as transações de títulos públicos federais.  

Ou seja, a taxa Selic é a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. 

Também vale dizer que a taxa Selic, criada em 1979 pela Andima (Associação Nacional das Instituições do Mercado Aberto) e pelo Banco Central, é um dos pilares da política monetária do país e é utilizada para manter a inflação sob controle, dentro da faixa definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). 

 A taxa Selic tem o objetivo central de garantir a estabilidade econômica brasileira, evitando descontroles inflacionários. 

E, para mais que isso, a taxa Selic, com suas quedas e subidas, tem forte impacto no crédito (empréstimos, financiamentos e financiamentos imobiliários), e especialmente no consumo e nos investimentos de renda fixa, que têm remuneração baseada em juros. 

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Abra a sua conta e comece hoje mesmo a cuidar do seu futuro

Como funciona a Taxa Selic? 

A foto mostra uma mão colocando uma moeda em um cofre que tem formato de porco. Na mesa, há uma fileira com diversas moedas, em referência à taxa selic
Entenda mais sobre como a taxa Selic é definida.

É o Comitê de Política Econômica (Copom), órgão ligado ao Banco Central, que define e anuncia o valor da taxa Selic. A cada mês e meio, ele reúne sua diretoria para decidir qual o valor da Selic para os próximos 45 dias.  

De maneira geral, essas reuniões duram dois dias inteiros, começando na terça-feira e terminando na quarta, quando membros do Copom assistem a apresentações técnicas, discutem a economia brasileira e global e avaliam o comportamento dos mercados, inclusive da Bolsa de Valores, para definirem a taxa Selic, também chamada de taxa Selic Meta. 

Assim que definem o valor a ser adotado nos próximos 45 dias, até a realização de uma nova reunião, é feito um comunicado oficial distribuído ao mercado pela internet. Isso significa que o mercado saberá imediatamente o valor da taxa Selic, mas o porquê da decisão só é divulgado seis dias úteis depois, com a publicação da chamada Ata do Copom.  

Este documento é ansiosamente aguardado pelo mercado porque além de explicar a decisão sobre a Selic, acaba apontando tendências. 

Mas o que faz aumentar a taxa Selic? 

O Copom aumenta o valor da taxa Selic quando há um movimento de alta da inflação, e essa alta tem impactos sobre o câmbio e, principalmente, sobre a economia, falando mais sucintamente. Nesse caso, a ideia é deixar o crédito um pouco mais caro, tornando-o menos acessível e, assim, frear o consumo, segurando o ímpeto inflacionário. 

Primeiro, o Copom define qual será o valor da taxa Selic, mas é preciso garantir que a taxa efetiva se mantenha no patamar divulgado. Para isso, o Banco Central compra e vende títulos públicos federais diariamente, aumentando ou diminuindo a oferta, buscando manter os juros no valor definido pelo Copom. 

Quando o Copom decide aumentar a Selic, o Bacen busca vender mais títulos públicos às instituições financeiras. Estes títulos serão mais atraentes se estiverem sendo negociados a um preço baixo, proporcionando uma remuneração maior a quem investe. 

Ao jogar a Selic para baixo, o movimento é contrário: o Bacen busca comprar títulos públicos que estão nas carteiras das instituições financeiras, e os bancos toparão fazê-lo desde que negociados a um preço mais alto. 

Já deu pra entender a importância da taxa Selic para a nossa economia, né? Afinal, até o preço do nosso cafezinho diário é influenciado por ela. 

Taxa Selic acumulada: o que significa? 

A gente te contou que, todos os meses, de janeiro a dezembro, o Copom se reúne e divulga a taxa Selic válida para os próximos 45 dias.  

Mesmo que a taxa não seja alterada, a reunião acontece e a divulgação é feita normalmente. No final do ano, a soma das taxas divulgadas em cada mês estabelece a chamada taxa Selic acumulada

E por que entender o conceito de taxa Selic acumulada é importante?  

Bem, você se lembra que a taxa tem total ascendência sobre os investimentos de renda fixa, certo? Então, se você pretende investir em Tesouro Direto, por exemplo, acompanhar a taxa Selic acumulada é fundamental para avaliar o desempenho desse tipo de investimento. 

Outros investimentos em renda fixa atrelados ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI), tais como Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Letras de Câmbio (LC) e o Certificado de Depósito Bancário (CDB), também são afetados pela Selic.  

Quando a taxa básica de juros está alta, a rentabilidade desses ativos cresce e, quando está em baixa, naturalmente acontece o contrário. 

Como calcular Selic acumulada? 

Para calcular a Selic acumulada de algum ano, você pode somar, manualmente, o valor da taxa em cada mês do ano. Outra forma de calcular a Selic acumulada é acessando a calculadora disponibilizada pelo Banco Central, que determina a taxa Selic do período que você quiser pesquisar.  

Basta inserir a data inicial, a final e o valor nominal para descobrir o índice de correção no período, o valor percentual correspondente e, finalmente, o valor corrigido na data final. 

Além disso, a Receita Federal divulga a taxa Selic acumulada desde 1º de janeiro de 1995. Assim, outra alternativa para saber a taxa acumulada dos anos passados é acessar seu portal.  

Taxa Selic nos investimentos 

A foto mostra as mãos de uma mulher segurando uma calculadora, apoiada sobre uma mesa, na qual há vários papéis também, em referência à taxa selic
Veja como a taxa Selic pode ter influência no rendimento dos seus investimentos.

Mas, afinal, qual a relação que a taxa Selic tem com os seus investimentos? Você já descobriu que ela tem impacto sobre toda a economia, definindo a taxa básica de juros. Isso significa que a Selic é a principal referência para o mercado de crédito. 

Qualquer mudança observada na taxa Selic vai influenciar o câmbio, os financiamentos, os empréstimos e o financiamento imobiliário. O mesmo vale para os investimentos, afinal, como você já leu aqui, os investimentos de renda fixa, principalmente, se baseiam nas taxas de juros, que são definidas pela Selic. 

poupança, por exemplo, tem rendimento definido por lei e é igual em todos os bancos. Quando a Selic é maior do que 8,5% ao ano, a poupança paga a Taxa Referencial (TR) + 0,5% ao mês. Quando é igual ou menor que 8,5% ao ano, paga a TR, que hoje é igual a zero, + 70% da taxa básica de juros.  

Outros investimentos de renda fixa também dependem da Selic: títulos públicos, como Tesouro Direto, usam a Selic para calcular sua remuneração, e títulos privados, como CDBs e LCIs pós-fixados usam o CDI como índice, que acompanha muito de perto a Selic. 

E no mercado de ações, será que a taxa Selic influencia também? 

De maneira geral, a Selic não tem relação direta com a taxa de custódia e de corretagem de investimentos e corretoras, e nem com o próprio desempenho e resultado da Bolsa de Valores.  

No entanto, como a taxa Selic afeta a economia como um todo, isso influencia o mercado e, consequentemente, o resultado das companhias. Então, mesmo que você opte pelo investimento em renda variável, é bom ficar de olho na Selic. 

Normalmente, quando a Selic sobe, mais investidores procuram investimentos de renda fixa, que remuneram menos, porém são mais seguros. Já quando a Selic cai, ocorre o contrário, trazendo novos investidores para a renda variável em busca de remunerações maiores, embora assumindo riscos. 

Já conhece nosso portal de conteúdos? 

Deu pra perceber que ter acesso a esse tipo de informação faz toda a diferença na hora de investir, não é mesmo? É que, quando estamos bem informados e informadas, somos capazes de potencializar nossa rentabilidade a fazer movimentações muito mais assertivas. 

Pensando nisso, aqui na Clear, disponibilizamos conteúdos para pessoas que estão começando a investir e para quem já conhece há mais tempo o mercado financeiro. Para ficar por dentro do que acontece nesse universo e, ainda, para entender os principais conceitos básicos que os investimentos exigem, é só acompanhar nosso portal de conteúdos: 

📘 Blog da Clea

Ah! E você também pode acompanhar a gente em nosso canal do Youtube, que está cheio de vídeos produzidos por nossa equipe de parceiros e parceiras, especialistas no assunto: 

📘 Youtube da Clear 

 
Dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira. Abra sua conta na Clear, é online, rápido e 100% grátis.