[xp_hellobar][/xp_hellobar]

Proventos: o que são e como lucrar com eles. Entenda!

Proventos: o que são e como lucrar com eles. Entenda!

Navegue por assunto


Remuneração recebida pelos acionistas é ótima opção de renda passiva

Quem pensa que investir em ações se resume a comprar na baixa e vender na alta, está muito enganado. Uma forma muito interessante de obter rendimentos nesse mercado são os chamados proventos. Se você já ouviu falar nesse termo, mas não sabe exatamente o que significa e muito menos como ele pode contribuir para a conquista dos seus objetivos, acompanhe este artigo até o final!

E não esqueça de abrir sua conta na Clear para investir em ações com taxa zero de corretagem!

O que são proventos?

Provento é uma palavra comumente utilizada no meio empresarial, aparecendo com frequência para designar pagamentos em holerites. Porém, no contexto de investimentos, proventos são benefícios entregues por empresas de capital aberto aos seus acionistas com o objetivo de recompensá-los por injetar capital na companhia.

Esse tipo de rendimento está diretamente relacionado aos lucros da instituição, que são divididos com seus investidores.

Os proventos podem ser pagos tanto em dinheiro como em novas ações emitidas pela empresa.  Previsto na legislação brasileira para empresas de capital aberto, esse tipo de pagamento estabelece uma relação ganha-ganha, já que as companhias que são boas pagadoras de proventos atraem mais investidores.

Tipos de proventos

Dividendos

Os dividendos representam a classe de proventos mais conhecida do mercado financeiro. Esta é a forma que as empresas têm para distribuir parte do lucro aos seus acionistas, o que é realizado após o pagamento do Imposto de Renda pela organização. Dessa forma, o rendimento é isento de IR para o investidor.

Cada empresa oferece uma periodicidade e um percentual de pagamento de dividendos próprios. Essas informações podem ser encontradas em seu estatuto, mas, geralmente, os pagamentos são anuais. Além das empresas de capital aberto, esse tipo de provento também é pago por fundos imobiliários, que costumam distribuí-los com maior frequência.

A Lei das SAs determina que toda empresa de capital aberto distribua ao menos 25% do lucro líquido aos seus acionistas. Entretanto, em alguns casos, a legislação autoriza a suspensão desse pagamento, principalmente em quadros de problemas financeiros.

O Dividend Yeld (DY) é o indicador responsável por sinalizar o retorno em dividendos que foi gerado por determinado ativo em um ano. Para calculá-lo, basta dividir os valores pagos pela companhia no período pelo preço atual da ação.

Juros sobre capital próprio

Assim como os dividendos, os juros sobre capital próprio (JSCP) também são provenientes da divisão do lucro das empresas com seus acionistas. Porém, neste caso, a distribuição ocorre antes do pagamento de impostos. Sendo assim, os investidores devem recolher o IR após o recebimento do provento, com a alíquota de 15%. Tanto os JSCP quanto os dividendos são pagos em dinheiro.

Bonificação

A bonificação também é um benefício direcionado aos acionistas, mas, ao invés de ser pago em dinheiro, é distribuído em forma de ações.  Isso acontece quando a empresa emite novos papéis para converter parte do lucro em reservas de capital social. Cada investidor recebe determinado número de ações proporcional à quantidade original.

Direito de subscrição

O direito de subscrição também está relacionado à distribuição de novas ações aos investidores. Contudo, nesta classe de proventos, o benefício é apenas a prioridade que o acionista recebe caso tenha interesse em adquirir novos papéis quando a empresa realizar uma emissão. Os acionistas podem realizar a compra na proporção das ações que já possuem, visando manter sua participação na empresa inalterada, caso desejem. A vantagem para o investidor fica por conta do preço das ações, que, geralmente, é menor que o de mercado.

Como funciona na prática?

Para entender como são feitos os pagamentos de proventos, é importante conhecer os seguintes termos:

  • Data da declaração: é o dia em que a empresa anuncia que distribuirá proventos. Nesse momento, a companhia informa prazos e valores.
  • Data de registro: é quando a empresa registra os acionistas que estão aptos a receber o pagamento.
  • Data com: última data em que um investidor pode comprar uma ação da empresa com direito a receber os proventos.
  • Data ex: após esse dia, não é possível alterar quem irá receber os proventos. Sendo assim, novos compradores de ações não recebem o benefício, que irá para o antigo dono dos papéis.
  • Data de pagamento: é o dia em que os proventos são efetivamente pagos.

As datas “ex” e “com” podem ser consultadas no site de Relacionamento com Investidor (RI) das empresas. Os investidores que tiverem os papéis até o último dia “com” recebem 100% dos proventos.

Viver de renda

Uma carteira com foco em proventos é uma excelente estratégia para quem pretende viver de renda passiva, ou seja, receber rendimentos que não venham do trabalho direto.

Para isso, é preciso estar atento a empresas quem sejam boas pagadoras de dividendos. A análise fundamentalista é a mais indicada para a tarefa de encontrar boas empresas para investir no longo prazo.

Negócios sólidos tendem a gerar mais lucro e, consequentemente, compartilhar com seus sócios. Alguns investidores optam por reinvestir os proventos recebidos visando potencializar o resultado da carteira e aumentar ainda mais o patrimônio acumulado. Quanto antes você começar, mais perto estará de conquistar a tão sonhada independência financeira. Bons investimentos!