Especulação financeira: tipos, livros e como especular

Especulação financeira: tipos, livros e como especular

Navegue por assunto


Por: Time Master Clear

06/04/2021 • Atualizado: 10/12/2021

14 minutos

Compartilhar:

A especulação financeira é uma estratégia comum a quem participa do mercado de investimentos e compreende, basicamente, a compra de ativos com o objetivo de venda futura e com lucro.

Especular faz parte de um mercado saudável.

É esse tipo de ação que gera a liquidez necessária ao seu bom funcionamento.

No entanto, se tornar um bom especulador não acontece da noite para o dia: leva tempo e exige bastante dedicação.

Neste conteúdo, a  gente vai mostrar a você quais são as principais características da especulação.

Veja este texto como um guia para entender os principais conceitos relacionados e, principalmente, quais caminhos adotar para obter bons ganhos ao investir.

Se é o que procura, continua na leitura!

Especulação financeira: O que é e como funciona?

A atividade de especular, naturalmente, faz parte do mercado financeiro.

São os especuladores os principais responsáveis por gerar liquidez ao mercado.

Por conta de sua atividade de compra e venda de ativos, alguns títulos possuem uma absorção de ordens muito grandes.

A especulação consiste, portanto, na compra e venda (ou venda e compra) de ativos em um curto período com o objetivo de obter lucros rápidos.

No entanto, é necessário observar que se trata de operações de considerável risco.

Significa dizer que não deve ser praticada sem que haja um conhecimento prévio do mercado no qual as transações estão sendo realizadas.

Mas nada impede que a experiência seja adquirida com o passar do tempo, é claro.

O mercado está (e sempre esteve) aberto para a entrada de qualquer pessoa que tenha interesse na atividade.

Os lucros desse tipo de operação podem ser acima da média, o que atrai a atenção dos interessados em juntar dinheiro rápido.

Alguns conseguem ter êxito nesse mercado, outros nem tanto.

Por isso, é essencial que o especulador tenha bom manejo de risco e, se possível, seja guiado por um plano financeiro.

Além disso, o mercado alvo da especulação precisa apresentar no mínimo duas características para que seja possível operar nele.

O primeiro fator é a grande liquidez.

Quer dizer que o mercado precisa oferecer um volume de transações bastante alto, de forma que vender o ativo comprado não seja um problema.

A segunda característica é a alta volatilidade dos preços.

Sem isso, a especulação fica comprometida.

Para que se obtenha ganhos rápidos, naturalmente, deve haver fortes variações de valor em pouco tempo.

Isso proporciona tanto a possibilidade de obter lucros rápidos como também de amargar prejuízos, caso o movimento do mercado ocorra em sentido contrário.

Crise de 1929 e a especulação financeira: panorama geral

Em um mercado onde se pode ganhar ou perder dinheiro em grande volume e em velocidade, a especulação pode gerar acontecimentos indesejáveis.

Tratam-se das bolhas especulativas.

A maior delas que se tem notícia ocorreu no ano de 1929 e atingiu uma das principais praças financeiras do mundo.

Naquele ano, um movimento especulativo muito forte com viés de baixa levou a bolsa de valores de Nova Iorque ao colapso financeiro.

O acontecimento gerou uma das maiores depressões econômicas já vistas em nossa história moderna.

Outras bolhas especulativas aconteceram desde então, mas nenhuma delas com tamanha força como a que ocorreu em 1929.

Ainda assim, existiram especuladores que conseguiram tirar vantagem do movimento de queda e obtiveram lucros.

Isso mostra como a atividade é versátil, permitindo que atuantes desse mercado venham a ter ganhos mesmo em momentos considerados desfavoráveis.

Quais as principais diferenças entre investidores e especuladores?

É relativamente fácil identificar a atuação de investimento e especulação.

Uma das diferenças diz respeito ao estudo sobre o ativo de interesse.

Enquanto um investidor tradicional concentra sua atenção nos fundamentos econômicos da empresa na qual aloca seu recurso, o especulador se interessa na variação de curto prazo.

Ao primeiro interessa colher frutos ao longo do tempo e, para o segundo, a volatilidade é o fator mais importante.

Além disso, quem investe tem horizonte de tempo de médio ou longo prazo.

Já o especulador é um tipo de investidor que observa o curto ou curtíssimo prazo, com interesse claro de obter lucros rápidos.

Dessa forma, a exposição do capital também obedece a padrões diferentes.

Por meio do investimento, existe o interesse contínuo de preservação de capital.

Já o processo especulativo está sempre sujeito a riscos maiores, compensados pela oportunidade de lucro acentuado.

Por fim, existe também uma clara diferença no volume de negociações.

A atividade especulativa pode envolver fazer várias negociações em um único dia.

Já por meio de investimentos, de forma geral, são feitas negociações pontuais, visando ao aumento da carteira por expansão do número de ativos adquiridos ao longo do tempo.

Exemplos de especulação financeira

Da teoria à prática, vamos ver agora alguns exemplos de especulação financeira.

Você vai entender que há situações do dia a dia no mercado de investimentos nas quais é possível atuar de forma especulativa.

Na Clear você conta com corretagem zero nos melhores produtos do mercado. Abra sua conta, é online, rápido e 100% grátis.

Especulação com IPOs

É possível lucrar especulando no dia em que uma empresa faz sua estreia no mercado de ações.

Este momento é conhecido como IPO e vem do inglês Initial Public Offer, ou Oferta Pública Inicial.

É quando uma companhia faz o lançamento inicial de suas ações para que o público em geral possa adquiri-las.

Interessante observar que existem estratégias de especulação que mapeiam esse acontecimento.

Quem faz a reserva de compra inicial pode lucrar com a valorização no mesmo dia de lançamento.

Obviamente, é necessário conhecimento do mercado e da empresa em questão, pois, no mundo da especulação, nada é garantido.

Especulação com robôs traders

Com o avanço da tecnologia, surgiram estratégias de especulação com funcionamento automatizado.

Trata-se dos robôs de investimentos.

São programas computacionais que funcionam de forma ininterrupta a partir da nuvem.

Operar por meio de uma estratégia desse tipo exige do especulador conhecimento prévio em programação.

Em contrapartida, existe a vantagem de realizar as negociações de forma automática, ganhando tempo e afastando qualquer erro de origem emocional.

A estratégia pode se mostrar muito eficaz e a prova disso são os fundos quânticos.

Esses veículos de investimentos têm suas estratégias 100% executadas por meio de robôs.

Day trade e Swing trade

Estas duas estratégias tem princípios muito parecidos e se diferem no período em que o especulador mantém os ativos em carteira.

De modo mais amplo, o day trade é a estratégia mais praticada por quem busca a especulação.

É uma operação que inicia e termina no mesmo dia.

O trader compra e vende (ou vende e compra) no mesmo pregão, sem estender por mais de um dia o tempo que fica posicionado no ativo.

Já operadores de swing trade precisam carregar sua posição por pelo menos um dia para serem assim classificados.

Normalmente, o trader não fica muito tempo com o ativo, permanecendo apenas alguns dias na posição.

Mas há também quem prefira especular com o ativo objeto durante mais tempo, podendo chegar a algumas semanas.

Independente do tempo de carregamento, todos seguem a mesma filosofia de realizar o lucro assim que a meta é atingida.

Método scalper

A estratégia scalper tem seu nome originado na expressão coloquial ‘scalping’, que significa cambista. Sua estratégia tem objetivo de lucrar um único centavo em cada operação.

Mas de onde viria o ganho com uma margem tão apertada?

A resposta reside no fato de que o scalper trader realiza várias operações em um único pregão.

Além disso, o volume operado precisa ser grande para que os centavos ganhos possam ser convertidos em bons lucros.

Como requisito para a estratégia, é necessário operar em um mercado com altíssima liquidez.

Somente um mercado muito líquido comporta operações de alta frequência e em grande volume.

Especulação financeira no Brasil

Em épocas passadas, a prática de atividades de especulação em ativos brasileiros não era muito comum.

O motivo para isso estava na baixa adoção de tecnologia junto à bolsa de valores.

O pregão acontecia por meio de negociações presenciais.

Além disso, a entrada de pessoas físicas possuía uma série de limitações que impediam o público em geral de acessar este mercado.

A necessidade de altos valores para iniciar era uma dessas imposições.

Hoje, a situação é bem mais favorável.

O pregão presencial nem sequer existe mais, dando lugar às negociações eletrônicas.

Desde que o home broker se popularizou, o acesso de CPFs à bolsa passou a ser massivo.

Somado a tudo isso, não existe mais a exigência de um capital mínimo, o que facilitou que qualquer interessado ingresse na atividade.

O que é especulação na bolsa de valores?

Este tipo de especulação se refere à negociação de todo e qualquer ativo que se encontra listado na B3, a bolsa brasileira.

Incluem-se nessa lista as ações, opções e derivativos de todos os tipos, além das negociações de balcão.

Alguém que esteja interessado em especular determinado instrumento em bolsa precisa simplesmente fazer seu cadastro em uma corretora e já pode começar.

Nesta hora, a Clear é a melhor opção para um investimento seguro e com a maior rentabilidade, já que é a primeira corretora com taxa zero em produtos de renda variável.

Vale destacar, ainda, que a acessibilidade proporcionada hoje favorece o desenvolvimento da atividade de especulação.

A bolsa brasileira possui ótimos ativos, com grande volume de negociação diária e excelente liquidez.

É o cenário perfeito para a realização das negociações especulativas.

Qual a diferença entre hedge e especulador?

Estas duas operações são diferentes em seus objetivos.

Fazer hedge é buscar a proteção de um ativo já detido previamente.

Podemos citar como exemplo um produtor agrícola de alguma commodity, como a soja por exemplo.

Como forma de proteger (fazer hedge) do preço de sua safra, ele pode recorrer ao mercado futuro e realizar a venda da produção em determinado valor.

Quando for chegado o dia de liquidação desse contrato, basta que entregue a mercadoria ou liquide o ativo, zerando sua posição.

Em geral, é necessária uma margem por volta de 5% do valor total da produção para realizar um hedge.

Isso acontece pelo alto grau de alavancagem proporcionado pelos derivativos presentes no mercado futuro.

Já a especulação teria por objetivo especular com esse instrumento financeiro.

Ou seja, recorre-se à compra ou venda do ativo sem sequer ter a sua posse.

O objetivo principal é de alavancar os ganhos, pois é possível negociar R$ 100 mil com apenas R$ 5 mil em carteira.

No entanto, o gerenciamento de risco precisa ser mais ajustado ainda, pois qualquer movimento brusco na direção contrária pode colocar de fora o trader.

Os riscos da especulação financeira

Conforme já adiantamos, especuladores precisam ter um manejo de risco muito apurado.

Cuidado redobrado é exigido se a operação for realizada de modo alavancado, pois o trader trabalhará com mais dinheiro do que realmente possui.

No entanto, é fato que quanto mais risco, maior a chance de retorno.

Para a sobrevivência a longo prazo, deve-se ter um planejamento financeiro muito bem estruturado.

A própria reserva de emergência deve ser prevista, para amenizar os riscos ocorridos em períodos de pouco ganho.

Livros sobre especulação financeira

Complementando o seu aprendizado sobre especulação financeira, vale dar uma olhada nos dois títulos que separamos para você.

Aprenda a operar no mercado de ações (Alexander Elder)

Este livro formou uma legião de operadores e é um clássico da literatura de especulação.

Nele, o autor (que é médico) ensina sobre seu método conhecido como 3M’s.

Refere-se às iniciais das palavras em inglês Mind (mente), Money (dinheiro) e Method (método).

Seu sistema é bastante popular e este livro é um ótimo ponto de partida para quem quer iniciar no mundo especulativo.

Os axiomas de Zurique (Max Gunter)

Este livro é uma compilação dos principais axiomas seguidos pelos especuladores suíços.

Conforme é dito em seu prefácio, “…a Suíça está fora de guerra há 300 anos por um único motivo: ninguém a quer. E, mesmo assim, seus cidadãos estão entre os mais ricos do planeta.”

Trata-se de uma coleção de ótimas recomendações de especulação que tem o referencial de ter formado um dos povos mais ricos do mundo.

Especular x investir: qual a melhor opção?

A resposta a essa pergunta dependerá do objetivo de cada um.

Caso a escolha seja por formar patrimônio visando uma renda de dividendos, investir pode ser a melhor opção.

Já para que se tenha ganhos consideráveis (em caso de sucesso da estratégia) no curto prazo, a especulação é um bom caminho.

Vale a pena ressaltar que não raro encontra-se quem faça os dois ao mesmo tempo.

Ganhando dinheiro rápido no curto prazo e montando o “pé de meia” para uma aposentadoria tranquila no futuro.

Grande liquidez

É comum que as ações de maior volume sejam as mais negociadas também.

No entanto, nem sempre isso é a regra.

Portanto, fique de olho em ações que despontarem como sendo muito negociadas em um único dia.

Isso pode indicar o início de formação de um novo mercado.

Nunca é demais lembrar que há vários riscos que devem ser considerados na sua estratégia.

Assim, independente de quais sejam as melhores ações para você especular, é fundamental se cercar das melhores ferramentas.

É nesse sentido que apresentamos a você a plataforma da Clear.

Plataforma Clear

A Clear oferece aos seus clientes plenas condições de realizar operações de especulação.

Isso se deve à praticidade oferecida por sua plataforma.

Rápida execução de ordens, escolha intuitiva de ativos e visualização do book de ofertas são apenas algumas das funcionalidades existentes.

É um desempenho máximo com zero de corretagem.

Além disso, ela permite montar estudos e realizar análises gráficas para auxiliar o trader na sua estratégia de especulação e em qualquer outro investimento na bolsa.

Conclusão

A especulação é uma forma de atuar na bolsa de valores que pode proporcionar ótimos ganhos.

Para isso, vale observar a necessidade de um gerenciamento de risco contínuo e, se possível, um bom planejamento financeiro.

Sempre que um mercado apresentar grande volatilidade e alta liquidez, significa que um ótimo candidato surgiu.

Estude bem suas características e parta para o investimento, se essa for a sua intenção.

Use as dicas que conferiu neste texto para tomar as melhores decisões ao especular.

Comece abrindo sua conta na Clear.

É de graça e você ainda conta com taxa zero na corretagem em todos produtos de renda variável.