O que são as figuras gráficas na análise técnica?

As figuras gráficas e padrões gráficos possuem um papel essencial dentro do mercado financeiro.

São elas que ajudam investidores e traders profissionais a orientar suas análises e tomadas de decisão na Bolsa de Valores. Especialmente, na análise técnica, onde essas figuras e padrões são peças-chaves para o operador.

Então vamos aprender tudo sobre as figuras gráficas e seu uso na análise técnica? 🤔 Boa leitura!

O que são figuras gráficas?

As figuras gráficas são formas geométricas que aparecem dentro do gráfico de um ativo de renda variável. Elas também são conhecidas como padrões gráficos e se manifestam em qualquer um dos tipos de gráficos da bolsa.

Quais são os tipos de gráficos da bolsa?

Ao abrir qualquer plataforma trader ou app para operar no mercado de renda variável, traders e investidores podem se deparar com os três tipos de gráficos da bolsa. São eles:

  1. Gráfico de Linhas;
  2. Gráfico de Velas (Candlestick);
  3. Gráfico de Barras.

Entenda os detalhes de cada um deles a seguir! 👇

Gráfico de linhas

Este gráfico é formado pela união dos valores de fechamento de um ativo de renda variável ao longo do tempo.

Ele é o que menos fornece informações relevantes para análise técnica, especialmente para traders. Isso porque os gráficos de linhas, por informarem apenas os valores de fechamento, não revelam as flutuações que ocorreram nos preços dos ativos.

A principal finalidade deste gráfico é facilitar a visualização de sinais de topo e de fundo através do vértice proeminente.

Captura de imagem da representação de um gráfico de linhas.
Imagem de exemplo do gráfico de linhas.

👉 Saiba mais sobre volatilidade e como ela impacta suas operações!

Gráfico de barras

O gráfico de barras registra o comportamento das ações de todos os participantes do mercado ao longo de um determinado período.

Ele mostra a evolução dos preços no decorrer do tempo, dentro de um plano cartesiano. No eixo horizontal é representado o tempo, e no eixo vertical são representados os preços do ativo.

A diferença entre as extremidades de cada barra diz respeito à volatilidade do ativo negociado. Além disso, uma linha à esquerda de cada barra é conhecida como “tique” e marca a abertura do ativo. O fechamento é marcado por uma linha à direita.

Captura de imagem da representação de um gráfico de barras.
Imagem de exemplo do gráfico de barras.

Gráfico de velas (candlestick)

O gráfico de velas, também conhecido como candlestick, é muito semelhante ao gráfico de barras tradicional.

Esse gráfico é de origem japonesa, criado primeiramente por Yadoya Keian, e complementado posteriormente por Munehisa Homma.

Cada candle, ou “vela”, deste tipo de gráfico apresenta quatro informações:

  • Valor de abertura do ativo;
  • Valor de fechamento do ativo;
  • Preço máximo do ativo;
  • Preço mínimo do ativo.

Sua principal diferença em relação ao gráfico de barras tradicional, para fins de análise técnica, é que toda ênfase é dada aos preços de abertura e fechamento. A amplitude entre esses valores forma o tamanho da vela, ou seja, o seu corpo.

Um candle verde aponta para uma tendência de alta no preço em relação a sua abertura. Um candle vermelho aponta para uma tendência de queda no preço em relação a sua abertura.

Captura de imagem da representação de um gráfico de velas (candlestick).
Imagem de exemplo do gráfico de candlestick.

Entenda a escala das figuras gráficas

A escala das figuras gráficas serve para calibrar os eixos de preços de um ativo dentro da análise técnica. Existem duas escalas, a logarítmica e a aritmética.

  • Escala Aritmética: mostra a diferença dos valores de preço em uma distância nominal. Por exemplo, a distância escalar de 4 a 5 é a mesma de 90 para 91;
  • Escala Logarítmica: aqui, a distância computada entre as diferenças de preços é dada em valores percentuais. Por exemplo, a distância de 1 para 2 é igual a 20 para 40, pois a variação das duas escalas é de 100%.

Sabendo disso, entender as escalas dos gráficos é muito importante na compreensão geral do gráfico dentro de uma análise técnica ou gráfica.

Conheça as figuras gráficas de continuidade

A imagem mostra um notebook, um monitor de computador ao lado e uma mão sinalizando um ponto da tela que mostra figuras gráficas nas quais o trader realiza a análise técnica.

Essas figuras indicam a continuidade de um movimento no gráfico. Seja esse movimento uma tendência de alta ou de baixa para os preços de um ativo.

Em casos de tendência de alta, o registro dos exemplos a seguir indicam que as probabilidades de que a alta continue são maiores que as de uma reversão de preços para baixo.

Retângulo

O Retângulo é uma figura gráfica que aponta uma faixa de preços consolidados para um ativo. Essa figura é formada por fundos e topos irregulares nos preços.

E essas faixas irregulares, por sua vez, delimitam uma zona de resistência e outra de suporte para o ativo.

Os retângulos são muito fáceis de identificar, e indicam quando há um equilíbrio das forças opostas do mercado, a compradora e a vendedora.

Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de retângulo.
Imagem de exemplo da figura gráfica do retângulo.

Bandeira

A Bandeira indica um movimento de curta pausa dentro da tendência dos preços. Sua formação acontece a partir de uma “pernada” no gráfico, seja uma queda ou uma alta brusca no preço do ativo.

Após essa pernada, acontece um movimento de correção pequena dos preços. A partir disso, se formam pequenos retângulos, ou paralelogramos no gráfico. 🏴

Independentemente da figura que se formar, a mesma aponta para a mesma direção da tendência inicial dos preços. O rompimento da bandeira é um indicativo de que a tendência inicial da cotação do ativo terá continuidade.

Veja os exemplos a seguir:

Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de bandeira.
Imagem de exemplo da figura gráfica da bandeira.
Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de bandeira mais aproximado.
Segunda imagem de exemplo da figura gráfica da bandeira.

Flâmula

As Flâmulas são praticamente bandeiras quando analisamos os gráficos. No entanto, ambas as figuras se diferenciam um pouco pelo formato. Elas se assemelham a um triângulo pequeno quando se manifestam, como: 🚩

Antes da flâmula aparecer, existe um forte movimento direcional que forma um “mastro”. Esse movimento pode ser tanto de alta quanto de baixa nos preços do ativo.

Triângulos

Por fim, os triângulos são um tipo especial de figuras gráficas. Isso porque ele é formado ao traçar duas retas no gráfico dentro de uma determinada faixa de preços — uma reta tocando os topos, outra tocando os fundos. Dessa forma, a figura do triângulo deverá ser claramente visível.

Existem três variações do triângulo: Triângulo Simétrico, Triângulo de Alta e Triângulo de Baixa. Entenda:

  • O Triângulo Simétrico é formado por duas linhas simétricas e indica, para o operador, que a entrada deve acontecer após o rompimento da figura;
Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de triangulo simétrico.
Imagem de exemplo da figura gráfica do triângulo simétrico.
  • O Triângulo de Alta, também chamado de Ascendente, indica uma tendência de alta nos preços do ativo. Uma de suas características principais é a formação de um triângulo retângulo;
Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de triangulo de baixa.
Imagem de exemplo da figura gráfica do triângulo de alta.
  • Já o Triângulo de Baixa, também conhecido como Descendente, é praticamente o oposto do triângulo de alta e indica uma tendência de baixa nos ativos.
Alt-text: Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de triangulo de baixa.
Imagem de exemplo da figura gráfica do triângulo de baixa.

Conheça as figuras gráficas de reversão

Além das figuras gráficas de continuidade, também temos as figuras gráficas de reversão.

Essas figuras sugerem uma clara tendência de reversão do movimento anterior dos preços do ativo. Ou seja, se o movimento anterior aponta para alta, então as figuras a seguir indicam uma maior probabilidade de reversão do movimento.

Topo Duplo

O Topo Duplo se manifesta quando após uma sequência alta nos preços, com alto volume de negociações, o ativo inicia trajetória de correção. Há uma leve queda com menor volume de negociações.

E então o ativo volta a subir, só para logo em seguida voltar a cair pois a pressão da força compradora é incapaz de romper a resistência. A tendência a seguir é que a resistência seja rompida para baixo, a figura então se parecerá com um “M”.

Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de topo duplo.
Gráfico do topo duplo.

👉  Leia também: Análise gráfica: o que é, como fazer e principais cuidados

Fundo Duplo

O Fundo Duplo funciona da mesma forma que a figura do Topo Duplo, o conceito é exatamente o mesmo.

No entanto, após uma sequência de quedas nos preços do ativo, com baixo volume de negociações, se inicia uma trajetória de correção para cima. O preço esbarra em sua resistência e então tem uma nova queda para voltar a subir.

Então, ele rompe a resistência apontando para uma tendência alta, a figura formada no gráfico é um “W”.

Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de fundo duplo.
Gráfico do fundo duplo.

OCO (Ombro-Cabeça-Ombro)

O OCO (Ombro-Cabeça-Ombro) é o padrão gráfico de reversão mais comum e também o mais confiável. A sua formação indica que pode reverter para uma tendência de baixa nos preços do ativo.

Ele consiste em três movimentos. No primeiro, o preço sobe e testa o topo do ativo, caindo logo em seguida para o valor original. Em seguida, o preço rompe o topo anterior e cai de volta para o ponto de partida.

Por fim, o preço sobe novamente e tenta romper o topo anterior, não consegue, e volta mais uma vez ao ponto de partida.

Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato ombro cabeça ombro (OCO).
Gráfico OCO.

OCOI (Ombro-Cabeça-Ombro invertido)

O OCOI (Ombro-Cabeça-Ombro-Invertido)é o padrão gráfico oposto ao OCO. Também é muito comum e indica que existe uma tendência de alta nos preços do ativo.

Ele também consiste em três movimentos, a diferença é que o preço testa o fundo do ativo.

Captura de imagem da representação de uma figura gráfica com continuidade em formato de oco invertido.
Gráfico OCO invertido.

Considerações finais

Entender o que são as figuras gráficas e sua importância são peças fundamentais na análise técnica. Desse modo, o trader é capaz de desenvolver uma maior capacidade de identificação de tendência para potencializar suas operações.

Para isso, lembre-se sempre de buscar aplicar seu conhecimento, estudar e ter disciplina ao operar como day trader. Além disso, você também pode contar com o suporte de ferramentas como a Assistente de Inteligência Artificial (AIA) para traders, que ajuda você na tomada de decisões, envia dicas durante o pregão da bolsa e avalia os comportamentos nocivos que podem prejudicar seu desempenho.

Decidiu investir? Vem pra Clear! 🚀

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *