Liberdade Financeira: 9 dicas para alcançar a sua

liberdade financeira

Como está o seu projeto de liberdade financeira?

A gente acredita que você tenha um, até porque todos precisamos de dinheiro, não é verdade?

O problema é que, para ganhar dinheiro, nem sempre o caminho é fácil.

Pode ser um trabalho sem paixão ou distante da sua área profissional, por exemplo.

Algo bem diferente acontece quando se tem liberdade financeira.

Aí, sim, é um cenário em que temos o dinheiro necessário para viver bem sem se sujeitar a qualquer situação que diminua o bem-estar mental e a qualidade de vida.

Se é esse objetivo que busca, mas não sabe bem como alcançar, continue a leitura.

Preparamos um guia que traz as principais etapas e dicas para chegar lá.

Liberdade financeira, o que é?

Liberdade financeira é a situação de uma pessoa que pode ter o estilo de vida que deseja, seja ele qual for, sem precisar se preocupar com dinheiro. Quem possui liberdade financeira pode fazer escolhas pensando somente na sua vontade e na busca pela felicidade, não em quanto vai custar.

O mais importante para entender essa definição não é pensar na origem do dinheiro, e sim no fato de que não há amarras: as escolhas podem ser feitas sem o medo de correr algum tipo de risco financeiro.

Temos que deixar claro que ter liberdade financeira não é o mesmo que parar de trabalhar.

Algumas pessoas que alcançaram essa condição continuam trabalhando – o ponto é que elas trabalham porque querem, não porque precisam.

Quando podemos dizer que atingimos a liberdade financeira?

Muita gente faz a pergunta “quanto precisa para viver de renda?”, achando que há uma simples resposta que permitirá calcular exatamente quando a liberdade financeira será alcançada.

No entanto, não há um cálculo exato. E a resposta demanda bastante autoconhecimento.

A liberdade financeira, como acabamos de falar, não está em um determinado valor acumulado na conta bancária e nos investimentos, e sim no estado de espírito.

Por exemplo, você pode dizer que atingiu esse estado quando não precisar mais comparar preços e optar por uma viagem barata em vez de visitar Fernando de Noronha, por exemplo.

Com a liberdade financeira, você só deixará de ir para a Fernando de Noronha se tiver outro destino que lhe dê mais vontade de visitar.

Ou seja, os valores que garantem essa liberdade não são os mesmos para todo mundo, afinal, estão relacionados com os desejos de cada um.

Liberdade financeira x independência financeira: Qual a diferença?

Você está perseguindo a independência financeira ou a liberdade financeira?

Os dois termos são usados para expressar conceitos bem parecidos, mas não são sinônimos.

Ter independência quer dizer não depender de nada nem de ninguém.

Quem é independente financeiramente, então, não precisa de um empregador, cliente ou familiar para sobreviver.

Ele consegue pagar suas contas sem uma relação de dependência, porque possui uma renda passiva (aquela que é gerada sem que o indivíduo precise dedicar tempo a determinada atividade) suficiente para bancar suas despesas.

Só que isso não quer dizer que essa pessoa não tenha algumas restrições na hora de fazer escolhas que envolvem o dinheiro.

Voltando ao exemplo anterior, seria uma pessoa que tem casa, lazer e mantimentos pagos sem precisar trabalhar, mas não pode viajar para a Fernando de Noronha quando quiser.

Ou seja, é independente do ponto de vista financeiro, pois consegue arcar com todos seus gastos apenas com uma renda passiva.

Porém, ainda não tem a liberdade de não se preocupar mais com dinheiro.

9 dicas de como construir uma liberdade financeira

dicas para construir a liberdade financeira

Agora que você já entendeu que liberdade financeira não é o mesmo que viver de renda ou que independência financeira, confira nossas dicas e veja qual caminho deve percorrer para ser livre.

1. Tenha conhecimento de todos os seus gastos

Pode ser uma dica muito básica, mas muitos precisam desse primeiro passo.

Se você está em um estágio mais avançado no caminho rumo à liberdade financeira, avance até os próximos itens da lista.

Acontece que não é possível ter liberdade financeira antes de ter independência financeira, assim como não é possível ter independência antes da segurança financeira.

Essa segurança passa por, em primeiro lugar, mapear qual o seu custo de vida atual.

A regra básica é: jamais gaste mais do que você ganhar.

Para isso, é preciso saber exatamente quanto você gasta.

Use algum aplicativo de controle financeiro ou planilha no Excel para registrar tudo o que sai do seu bolso. Crie categorias para contas da casa, despesas com alimentação, lazer e transporte, entre outras.

Você vai notar que só o fato de registrar essas informações rapidamente mudará a maneira como você gasta seu dinheiro.

2. Pague as dívidas acumuladas

Depois de entender para onde vai seu dinheiro, você conseguirá reverter a balança entre ganhos e gastos e começar a economizar.

Com o dinheiro que sobrar, a prioridade deve ser se livrar das dívidas, especialmente aquelas com as maiores taxas de juros, como débitos do cartão de crédito e cheque especial.

A partir daí, pague parcelado apenas quando os juros forem baixos ou inexistentes, deixando suas dívidas totalmente administráveis e dentro de seu planejamento financeiro.

3. Qualifique-se

Nesse tipo de lista, é comum que o foco seja excessivamente no corte de gastos e na educação financeira, que são dois aspectos de fato muito importantes.

Só que, às vezes, há oportunidades para aumentar a renda que poderiam acelerar todo o processo, mas acabam sendo desperdiçadas.

Enquanto você precisar trabalhar para acumular dinheiro, faça o que for possível para ampliar suas receitas.

Com a internet, há uma série de canais que permitem aprender gratuitamente ou a preço bem em conta, e que podem resultar em uma promoção, em um emprego melhor ou na prestação de serviços com maior valor agregado.

4. Diversifique as fontes de renda

Se você é um profissional especializado, com grande conhecimento em determinada área, pode criar cursos, livros e tutoriais e vendê-los online.

A grande vantagem desse formato é que você tem um esforço inicial para preparar o conteúdo e, depois, a renda é gerada continuamente, conforme os interessados surgem, sem exigir mais trabalho.

Outro formato de trabalho que pode gerar uma boa renda extra é a consultoria – neste caso, porém, ainda é uma renda ativa, não passiva.

5. Execute um planejamento

No item anterior falamos em trabalho, mas o seu objetivo com a liberdade financeira é só ter que trabalhar caso queira, não é?

Isso quer dizer que, no fim, tudo vai se resumir a ter acumulado muitos recursos – o suficiente para ter uma renda passiva que permite sustentar todos os seus sonhos.

Isso se faz com planejamento.

Quais os valores dessa renda? Quanto é preciso acumular para alcançar essa meta? Quanto você consegue economizar por mês?

Encontrando essas respostas, você terá um plano e, depois, conseguirá saber em quanto tempo e o que precisa fazer para alcançar a liberdade financeira.

6. Entenda qual o seu perfil de investidor

Não adianta apenas reduzir suas despesas por um tempo, trabalhar bastante e economizar dinheiro.

É preciso saber o que fazer com o que sobra e aplicar os valores com inteligência para que rendam bons frutos.

Só que exigem estratégias de investimento diferentes, e você precisa utilizar uma que esteja de acordo com seu perfil de investidor.

Os perfis são:

Conservador

É o investidor que não tem muita disposição a correr riscos e, por isso, tende a aplicar a maior parte de seu dinheiro em investimentos de renda fixa, como nos títulos públicos do Tesouro Direto, em especial o Tesouro Selic e outros com vencimento em até 3 anos.

Moderado

Tem uma disposição maior que o conservador para o risco, mas ainda valoriza a segurança.

O investidor moderado diversifica mais sua carteira, ainda com uma parte considerável em renda fixa, escolhendo títulos do Tesouro com variados prazos de vencimento.

Porém, também faça aportes iniciais em investimentos de renda variável, como fundos multimercado e fundos de ações.

Agressivo

Entre os três perfis, é o que tem maior disposição aos riscos e, por isso, aposta a maior parte de seu dinheiro na renda variável.

Ele pode sofrer com as instabilidades do mercado, mas, por outro lado, a rentabilidade potencial de suas aplicações é bem maior que a dos demais.

Por isso, escolhe produtos como ações, fundos imobiliários, operações estruturadas, derivativos e  contratos futuros.

7. Conheça os tipos de investimentos

Dentro das duas categorias que abordamos acima (renda fixa e renda variável), existem diversos tipos de investimentos, cada um com seu nível de risco, liquidez e rentabilidade.

Não existe uma fórmula secreta, nem respostas definitivas sobre quais investimentos vão tornar a jornada rumo à liberdade financeira mais rápida.

Mas existem escolhas boas e escolhas ruins dentro de cada estratégia financeira.

Para identificá-las, é preciso conhecer bem as particularidades de cada opção.

8. Procure uma ajuda especializada sobre investimentos

Por mais que você se empenhe em conhecer as particularidades do mercado financeiro, sempre haverá profissionais especializados com mais conhecimento para lhe ajudar.

Na Clear, você conta com analistas em salas ao vivo durante todo o pregão.

Além disso, há diversas plataformas que permitem ao investidor assumir um comportamento mais agressivo no mercado, maximizando a renda potencial.

Conheça as plataformas da Clear.

9. Acompanhe os resultados do seu investimento

O melhor investimento de hoje pode não ser a opção mais rentável de amanhã.

A liberdade financeira é, quase sempre, um objetivo de longo prazo.

Então, você pode traçar um plano de investimento, mas deve avaliar se vale a pena ir com ele até o fim.

Esse planejamento precisa ser revisitado, levando em conta as mudanças de cenário (mercado, indicadores macroeconômicos, oportunidades, riscos, etc.).

Como simular os investimentos

simulando investimentos

Agora que você já entendeu o conceito de liberdade financeira, vamos explicar como fazer as contas para programar a sua vida na direção deste objetivo.

Primeiro, você precisa compreender que a meta não é consumir o dinheiro guardado com a vida que sempre desejou, e sim que o dinheiro guardado gere uma renda que possibilite o estilo de vida que você quer.

A partir daí, siga estes passos:

1. Quantifique a renda desejada

Determine a quantia que você precisa para as despesas básicas (casa, comida, saúde, compras no supermercado e até mesmo alguns pequenos prazeres (como cinema e passeios de fim de semana).

Depois, considere seus hobbies, produtos e experiências que gostaria de adquirir e converta isso tudo em dinheiro. Quanto custaria?

Como a ideia da liberdade financeira é que você nunca precise se preocupar com dinheiro, pode dobrar esse valor.

Some o resultado com a quantia das despesas básicas e você terá a renda passiva que será sua meta.

2. Defina os aportes mensais

Quanto dinheiro você pretende investir mensalmente nos ativos de seu planejamento financeiro?

Sabendo este número e a rentabilidade desejada, você já pode usar uma calculadora de juros compostos para simular o caminho rumo à liberdade financeira.

3. Estabeleça um prazo

Agora você já tem as variáveis para saber quando conseguirá a liberdade tão desejada.

Se você seguir economizando de forma organizada, chegará um momento em que o total de dinheiro investido vai gerar, mensalmente, o equivalente à renda calculada no item 1 desta lista.

É claro que, neste caso, você começaria a pagar suas contas e caprichos com os lucros obtidos a partir dos investimentos. Para isso, são necessários ativos com maior liquidez, o que pode impactar na rentabilidade.

Fez o cálculo e achou que é tempo demais? Considere alternativas para aumentar sua renda atual ou investimentos com maior risco e, consequentemente, maior rentabilidade potencial.

Se o seu perfil é moderado a agressivo, você pode se interessar por produtos de renda variável, como o day trade.

Com conhecimento avançado, você opera no curtíssimo prazo na bolsa de valores, comprando e vendendo ações no mesmo dia.

Essa é uma forma de se sujeitar não apenas a riscos mais acentuados, mas também a rentabilidades maiores.

Você pode simular seu investimento com a Clear a partir de duas plataformas day trade gratuitas: Tradezone e MetaTrader.

Melhores investimentos para conquistar sua liberdade financeira

Quando a taxa básica de juros estava alta, era fácil escolher os melhores ativos para investir com segurança no longo prazo.

Agora que a situação é outra, é preciso esquecer o Tesouro Direto e considerar outras opções mais rentáveis.

Elas estão na renda variável.

Veja exemplos:

Leia também: Onde investir com a taxa de juros baixa?

3 dicas de livros sobre liberdade financeira

Ficou motivado e quer fazer de tudo para conseguir a liberdade financeira?

Recomendamos a leitura de alguns livros que vão aumentar ainda mais a sua vontade de viver de renda com conforto e sem preocupações.

Confira a lista!

O investidor inteligente – Benjamin Graham (2016)

O título é bem parecido com o anterior, mas este livro foi escrito por um autor americano e apresenta o conceito de “valor de investimento”, ensinando o leitor a desenvolver estratégias de longo prazo.

Segundo o megainvestidor Warren Buffett, é o melhor livro sobre investimentos já escrito.

Pai Rico, Pai Pobre – Robert T. Kiyosaki (1997)

Este livro já tem uma certa idade, mas é um clássico absoluto e indispensável para quem quer desenvolver a mentalidade necessária para chegar na liberdade financeira.

Quanto Custa Ficar Rico? O Guia Definitivo Para a Tão Sonhada Liberdade – Paulo Portinho (2010)

Este livro traz dicas práticas e apresenta ferramentas para quem quer lidar melhor com seu próprio dinheiro até chegar ao ponto de ter a tão sonhada liberdade financeira.

Conclusão

É verdade que você não precisa ser rico para ser feliz. É possível encontrar a felicidade nas pequenas coisas, que não custam dinheiro.

Mas sejamos sinceros: todo mundo gostaria de ter mais, de viver uma vida em que o dinheiro não é problema, mas sim solução.

É disso que se trata a liberdade financeira.

Não é ter tal quantia na conta, mas sim poder tomar as decisões sem se preocupar se elas são compatíveis com o saldo bancário.

Por isso que esse é um passo posterior à independência financeira – situação em que você não depende de um empregador, cliente ou familiar, mas ainda tem que controlar seus gastos.

Ser livre financeiramente exige fazer escolhas inteligentes, poupar e investir com foco em maiores rentabilidades.

Nessa jornada, conte com a Clear.

Abra sua conta agora e aproveite a taxa de corretagem zerada para investir.

Siga a leitura pelo blog para conferir mais dicas de investimentos que vão aumentar seus resultados financeiros e melhorar sua qualidade de vida.