Opções de ações — O guia para começar a operar

Opções de ações — O guia para começar a operar

Navegue por assunto


A foto mostra um grupo de cinco pessoas, duas mulheres e três homens, ao redor de uma mesa, em um ambiente de trabalho, olhando para um laptop sobre a mesa.

Se você já pesquisou sobre investimentos em renda variável, provavelmente deve ter ouvido falar sobre o mercado de opções.  

De forma resumida, opções de ações são direitos ligados a ações negociados em Bolsa, que conferem ao titular o direito de poder comprar ou vender determinada ação a um certo preço e até determinada data, ou seja, é uma ótima oportunidade para assegurar uma condição de preço em um investimento que será feito no futuro. 

As opções integram um formato grande de ativos financeiros do mercado, como bens, moedas e ações, que falaremos aqui. Elas costumam ter o seu valor definido e uma data de validade especificada para que, posteriormente, sejam negociados por meios contratuais. Sendo assim, ambas as partes envolvidas podem negociar o ativo pelo valor, cuja base de cálculo será realizada pelo preço que estiver valendo no momento em que o prazo do contrato vencer. 

Pareceu confuso? Então calma! 

Se você quer entender melhor o que é o mercado de opções, a gente te conta tudo, em detalhes, sobre o que são opções, como funciona esse mercado, quais os termos mais usados, as melhores estratégias para operar e quais os riscos e vantagens. 

Acompanhe! 👇 

O que são opções? 

Opções são produtos de negociação no mercado financeiro, representados por um contrato que proporciona, à pessoa titular, o direito de compra ou venda de um determinado ativo por um valor em uma data futura. 

Isso permite que as opções sejam usadas com finalidade de proteção (hedge) ou especulação. Além disso, sua modalidade é derivativa, visto que o valor de um título de opção “deriva” de acordo com o preço do ativo ao qual ela está atrelada. 

No Brasil, é possível encontrar uma grande variedade de opções para investir, mas os ativos negociados na B3 são os mais conhecidos, embora também existam alternativas de opções sobre contratos de juros, moedas, entre outras. 

Opções binárias x opções de ações 

Embora os termos sejam comumente confundidos, existem diferenças pontuais entre os conceitos de opções binárias e opções de ações. Olha só: 

O que são opções binárias? 

Opções binárias, basicamente, são investimentos não regulamentados no mercado financeiro nacional. Suas negociações não acontecem na Bolsa de Valores, mas sim de forma direta, por meio de uma corretora. 

As opções binárias, também conhecidas como opções de retorno fixo ou opções digitais, permitem que as pessoas apostem na queda ou na alta do valor de um determinado ativo — como uma moeda, commodity ou ação — no curtíssimo prazo.  

Para obter lucro, não é imprescindível acertar o preço, somente a direção (pra baixo ou pra cima). 

Se o ativo realmente seguir a trajetória prevista na opção binária, dentro do prazo de alguns minutos, quem investe obterá lucro. O retorno é determinado na forma de um percentual aplicado, em cada papel. Porém, se o valor do ativo rumar em direção oposta à prevista, perde-se tudo o que investiu. 

O que são opções de ações? 

Opções de ações são ativos negociados no mercado financeiro, costumeiramente representados por um contrato, que confere, a seu titular, o direito de compra ou venda por um valor pré-determinado em uma data futura específica. Como o valor das opções de ações varia de acordo com o ativo ao qual ela está atrelada, a opção é um tipo de derivativo

Como funciona o mercado de opções? 

No mercado de opções, é possível encontrar ativos negociados no “balcão” ou na Bolsa de Valores. Quando as opções são listadas em pregões, como o da B3, contam com data de vencimento estipulada pela Bolsa e características padronizadas. Tanto a cobertura ou margem, assim como as garantias de quem negocia, são estabelecidas pela B3. 

📘 Saiba tudo sobre como funciona o mercado de opções neste guia para iniciantes! 

Ainda há a alternativa de negociar contratos não-padronizados de opções no mercado de balcão. Nesse contexto, são vendedores e compradores que definem as características contratuais, como valores, prazo e, até mesmo, a necessidade de depósito de garantias. Após ter o registro dessas opções na B3, a mesma só deverá assegurar o cumprimento do que foi acordado entre as pessoas envolvidas. 

Na Clear você conta com corretagem e custódia zero para operar com a maior alavancagem do mercado no Day Trade. Abra sua conta, é online, rápido e 100% grátis! 

Mercado de opções: principais termos e conceitos 

A foto mostra um homem sentado encostado em uma janela, com um notebook fechado sobre o colo, prestes a abri-lo, em referência à anotação da informação sobre opções de ações.
Começa a anotar aí os principais termos e conceitos envolvidos no mercado de opções.

Agora que a gente passou por noções mais amplas sobre o que são opções de ações e como funciona esse mercado, chegou o momento de te contarmos quais são os termos e conceitos mais utilizados por quem investe nessa categoria. Olha só: 

Ativo-objeto 

ativo-objeto é a mercadoria, bem ou produto em questão que está sendo negociado, isto é, o ativo da opção. O ativo-objeto das opções de ações, por exemplo, são as ações propriamente ditas.  

Assim, é correto afirmar que o índice de ações é o ativo-objeto das opções do Ibovespa

Titular 

Como consta no próprio termo, titular é quem adquiriu a opção e, consequentemente, o direito de vender ou comprar o ativo-objeto. 

📘 Saiba também o que é Spread no mercado financeiro! 

Lançador 

Lançador é a pessoa que comercializa a posse de uma opção para uma pessoa titular, ou seja, seu direito de venda ou compra (ativo-objeto da opção) é cedido, mas, em compensação, essa pessoa assume a responsabilidade de também vender ou comprar o ativo-objeto. 

Prêmio 

Prêmio, no contexto do mercado de opções, é o termo usado para se referir ao valor pago por quem está adquirindo um ativo para o seu lançador, isto é, quem o está vendendo. Nessa negociação, quem é titular ou comprador passa a ter o direito de vender ou comercializar o ativo-objeto da opção. Ou seja, o prêmio é o preço para se obter esse direito. 

Strike (preço de exercício) 

Strike é o valor combinado para negociação do ativo-objeto do contrato de opção. 

Data de vencimento 

data de vencimento se refere ao dia em que o contrato é expirado e, com isso, perde o seu valor de mercado. No Mercado Bovespa, a data de vencimento dos contratos ocorre sempre na terceira sexta-feira do mês, enquanto no Mercado BM&F, o prazo de expiração é sempre na primeira quarta-feira após o décimo quinto dia do mês, para opções de Índice, por exemplo. 

O direito de acordo só pode ser exercido durante ou após a data de vencimento, por isso, esse indicador deve ser acompanhado de forma minuciosa. 

Estilos 

As opções podem ser americanas, onde podem ser exercidas a qualquer momento até o vencimento do contrato, ou europeias, cujo exercício só pode ser feito no dia do vencimento. 

Mas independentemente disto, ambas podem ser comercializadas livremente durante a validade do contrato, transferindo o direito para uma outra pessoa que irá investir. 

Classificação 

Em relação ao preço de exercício comparado com a cotação do ativo-objeto, as opções podem ser classificadas como: ITM (in the money) ou “dentro do dinheiro”, ATM (at the money) ou “no dinheiro”, e OTM (out of the Money) ou “fora do dinheiro”. 

Nas opções de compra (calls), as ITMs são aquelas que têm preço de exercício abaixo da cotação do ativo-objeto. As ATMs são as com preço igual ou próximo da cotação do ativo-objeto; e as OTMs, se referem a valores acima desta cotação. 

Já nas opções de venda (puts), acontece o contrário: ITMs estão acima da cotação do ativo-objeto; ATMs possuem preço igual ou próximo da cotação do ativo-objeto; e as OTMs, abaixo desta cotação. 

Opção de compra (call) 

Opções de compra são os ativos mais comumente negociados no mercado financeiro nacional, que têm uma liquidez maior em relação às opções de venda. De maneira resumida, ao adquirir uma opção de compra, quem investe se torna titular da ação e adquire o direito de compra sobre o ativo-objeto por determinado preço até determinada data (vencimento da opção). 

Para entender como funciona uma opção de compra na prática, imagine o seguinte cenário: João comprou um lote de ações, porém, posteriormente, concluiu que esse ativo sofrerá desvalorização nos próximos anos.  

Maria, que também é uma investidora assídua no mercado financeiro, analisou tecnicamente e decidiu manter a convicção de que esse ativo terá uma valorização de mais de 500% nos anos posteriores. 

Dado o contexto, João é quem lançará a possibilidade de venda do ativo (lançador), enquanto Maria é quem poderá exercer o direito de comprá-lo (titular), já a ação propriamente dita é o objeto-alvo. Para que Maria possa ter o direito de adquirir os ativos de João, terá que pagar um pequeno valor, conhecido como prêmio. 

O prêmio que Maria pagará é uma espécie de sinal dado para que ela obtenha o direito de aquisição do lote.  

Digamos que ela desembolse R$0,50 por opção (lote padrão 100 e sem mercado fracionário), por um preço de exercício de R$18 para daqui a um ano. 

Se nos próximos 12 meses, as ações ultrapassarem o patamar que Maria imaginou, de fato, chegando na casa dos R$25, por exemplo, ela poderá adquirir os ativos de João, pelo preço pré-combinado de R$18 e, com isso, lucrará 39%. Caso isso ocorra, João terá de vender os ativos pelo valor “congelado”. 

Contudo, se a expectativa de Maria não se confirmar e, daqui a 12 meses, o preço das ações de João cair para R$13, ela poderá abdicar desse direito, já que ficará mais em conta adquiri-las no mercado.  

Ou seja, no mercado de opções de compra, quem é titular pode exercer ou não o direito da compra. Já quem é lançador, por sua vez, é obrigado a realizar a venda, se a pessoa compradora decidir usufruir o seu direito. 

Opção de venda (put) 

Nas opções de venda, a pessoa titular adquire o direito de poder vender um lote de ações  a um preço e data pré-determinados. E novamente é necessário pagar um “prêmio” para ter o direito assegurado. 

Isso ocorre devido ao fato de que as pessoas compram determinados ativos, porém podem querer colocar uma proteção caso caiam de preço. Ao firmar um valor, é assegurado ao titular da opção a possibilidade de vender o seu ativo àquele preço, caso se desvalorize. 

Por exemplo, digamos que você tenha um apartamento que, hoje, vale R$1 milhão, mas, com diversas construções modernas sendo levantadas na região, você teme que ele perca o valor.  

Para proteger seu investimento, então, você firma um contrato de opção de venda (put) e paga um valor (prêmio) que estabeleça que o imóvel possa ser vendido por R$1 milhão, ainda que ele desvalorize e passe a valer R$500 mil. 

Quer começar a operar no mercado de opções? No vídeo abaixo, você descobre tudo o que precisa saber: 

Opções de ações – Códigos e exemplos usados na Bovespa 

A foto mostra um homem escrevendo em uma lousa à sua frente, em referência aos códigos do mercado de opções de ações.
O mercado de opções de ações envolve uma série de códigos. Confira alguns deles.

O Mercado Bovespa utiliza uma estrutura de codificação composta por sete caracteres, sendo cinco letras e dois números: as quatro primeiras para indicar o ativo-objeto, a quinta se é call ou put e o mês de vencimento (mas não o ano), e um número final que poderá coincidir ou não com o preço de exercício do ativo-objeto.  

A tabela abaixo serve para entender como os caracteres são usados para identificar uma opção de compra e uma opção de venda mediante o mês de vencimento. O preço pelo qual a ação será negociada em caso de exercício é determinado pelos dois números do código, que não necessariamente coincidem com o preço. Por isso, é sempre bom confirmar o strike da opção. 

Mês de vencimento Série da opção de compra (call) Série da opção de venda (put) 
Janeiro 
Fevereiro 
Março 
Abril 
Maio 
Junho 
Julho 
Agosto 
Setembro 
Outubro 
Novembro 
Dezembro 
Dado coletado em outubro/2021

Isso significa, por exemplo, que uma opção de compra que possui o “G” como quinta letra vencerá em julho. 

Dado o contexto, se você se deparar com a opção VALEX75, por exemplo, significa que essa é uma opção de venda da Vale, cujo preço de exercício é de R$60,47 (pra mostrar que não necessariamente o número coincide com o strike), e o mês de vencimento é dezembro.  

Outro exemplo poderia ser a opção PETRI35, que consiste no direito de compra de uma ação da Petrobrás pelo preço de R$35,10, em caso de exercício, e vencimento em setembro. 

Vale destacar, ainda, que no Mercado Bovespa, o dia do vencimento das opções sempre ocorre na 3ª sexta-feira de cada mês. 

Além disso, os códigos não mudam em função de ajustes eventuais no preço de exercício (no caso de juros, grupamentos, subscrições, reorganizações, fracionamentos, dividendos e demais proventos em dinheiro sobre o emissor e sua ação-objeto). 

Dessa forma, é importante lembrar que o número apresentado no código pode representar tanto o valor aproximado do preço real de exercício (strike) da opção quanto um valor completamente diferente. 

Riscos e vantagens de investir em opções de ações 

A foto mostra uma mulher idosa com um fone de ouvido segurando um celular, em referência às vantagens e riscos de operações envolvendo opções de ações
Como todo tipo de investimento, as opções de ações oferecem riscos e vantagens.

Atuar com investimentos em opções de ações, assim como em outras modalidades do mercado financeiro, pode envolver ganhos e perdas. Por isso, é importante ter muita cautela, visibilidade e análise crítica.  

Bateu a curiosidade pra saber quais são os principais riscos e vantagens de investir em opções de ações? Então acompanhe:  

Risco de perda 

Como você viu lá em cima, quando falamos sobre o que são opções de ações, estamos tratando de ativos com alto índice de volatilidade. O que quer dizer que um mesmo contrato pode proporcionar 500% de lucro ou 100% de perda. Isso se deve ao fato de que as opções, por si só, trabalham com expectativa de preço, que podem ou não se confirmar. 

O que irá determinar a valorização ou desvalorização da opção depende exclusivamente da forma como o ativo-objeto ao qual seu valor está atrelado se comporta, podendo seguir ou não na direção em que a pessoa investidora previu quando as adquiriu. 

Portanto, vale ressaltar que o mercado de opções costuma exigir um nível de conhecimento um pouco mais avançado, visto que a maioria das pessoas investidoras que atuam nesse segmento são mais familiarizadas com a Bolsa, e tendem a ter um perfil de risco agressivo. 

Contexto atual 

Você já deve saber que o mercado financeiro é diretamente impactado pelos acontecimentos políticos e socioeconômicos que acontecem não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Isso significa que o contexto atual em que um país vive pode impactar as opções de ações, já que um cenário de incertezas também é derivativo de uma ação. 

Diversidade de opções 

Pessoas investidoras que gostam de diversificar suas opções e investimentos e que, portanto, não costumam operar em um único mercado, podem usufruir da vantagem de que o mercado de opções sempre atua com uma grande variedade de contratos futuros. Com isso, é possível aproveitar todas as novas oportunidades que aparecem. 

Flexibilidade dos ativos 

Nem sempre a atuação com contratos futuros quer dizer que o ativo sofrerá queda e desvalorização. A realidade é que, com o mercado de opções, mesmo que ocorra uma baixa no valor de mercado, é possível obter lucro ao negociar seus contratos. 

Maior liquidez 

Atuar no mercado de opções pode ser rápido e simples, da mesma maneira como entrar e sair, pois essa vertente do mercado financeiro costuma operar com volumes de capital muito altos todos os dias. 

Isso significa que, caso você esteja considerando se retirar desse formato de investimento (zerando sua posição), muito provavelmente não terá dificuldades para vender seus ativos, já que as propostas de compra surgem rapidamente. 

Diversidade de estratégias 

Uma das grandes vantagens do mercado de opções é que ele conta com uma diversidade de estratégias, permitindo que a pessoa que investe combine diferentes táticas em um único plano, seja para opções de compra ou opções de venda. Assim, é possível reduzir as perdas e aumentar os lucros. 

Dado o contexto, o mercado de opções é muito interessante para pessoas investidoras que estão sempre à procura de novos negócios cuja taxa de retorno seja alta.  

É importante, também, dar uma atenção especial às possibilidades de riscos futuros apresentadas pelo mercado, pois quanto maior a capacidade de retorno, igualmente maior será a capacidade de perda. 

Como investir em opções 

A foto mostra uma mulher, em um estabelecimento, sentada à uma mesa de madeira, mexendo em um notebook à sua frente, em referência ao ato de investir em opções.
É possível começar a investir em opções seguindo três passos simples. Confira!

Quer saber mais sobre como investir no mercado de opções? Bem, o primeiro passo é ter consciência dos riscos envolvidos, que te apresentamos acima. Depois, é importante ter uma carteira de investimentos diversificada

Agora, você pode seguir o passo a passo que descrevemos abaixo para começar seus investimentos em opções de ações e outros produtos do mercado de opções: 

1. Escolha uma corretora para operar 

Para iniciar sua jornada de investimentos em opções, é necessário abrir conta em uma corretora de valores. A instituição financeira deve ser capaz e devidamente habilitada para intermediar as operações no pregão da B3. 

É sempre interessante considerar as taxas cobradas pela corretora, visto que as operações com opções tendem a ocorrer com uma frequência alta.  

A gente já te contou que a Clear foi a primeira corretora a zerar a taxa de corretagem aqui no Brasil? E além disso não tem taxa de custódia. 

Não perca mais tempo! Abra sua conta na Clear, e dê o primeiro passo para conquistar sua liberdade financeira.  

Ainda é importante considerar os sistemas de negociação e análise disponibilizados pela corretora no Home Broker, assim como a facilidade da interface na hora de comprar ações.  

Na Clear, por exemplo, você pode operar no mercado de ações através do nosso app de investimentos e do nosso home broker, o Clear PRO, que oferece recursos simples e intuitivos pra você realizar análises de todo o tipo no mercado. 

Nesse vídeo, o Matheus Nassar, supervisor de mesa de operações, mostra as novas funcionalidades do nosso home broker —se eu fosse você, não deixaria de assistir: 

2. Defina as opções e as estratégias que vai utilizar 

Como já mencionamos, uma das vantagens do mercado de opções é que ele oferece uma vasta gama de alternativas envolvendo formas e estratégias para negociar os contratos, o que é ainda mais atrativo para quem gosta de proteger a carteira de ativos por meio da diversificação.  

Também é possível trabalhar com alavancagem dos investimentos ou especulação, embora o formato seja diferente.  

Seja qual for o seu tipo de atuação, é importante definir um formato estratégico para gerir seus investimentos. Para isso, procure identificar suas necessidades e comece a escolher como deseja se posicionar, antes de iniciar no mercado de opções. Um bom caminho é entender qual é o seu viés cognitivo para investir. 

3. Mantenha-se informado e estude 

Assim como ocorre em qualquer vertente do mercado financeiro, os acontecimentos internos e externos impactam diretamente nos valores dos ativos, especialmente aqueles que são derivativos, como as opções de ações. 

Dito isso, é muito importante que você se mantenha por dentro das notícias sobre economia, política e questões sociais que possam impactar o mercado.  

É interessante, ainda, buscar por análises feitas por corretoras de valores e profissionais do setor, que costumam divulgar relatórios apontando as operações de opções mais vantajosas de cada período. 

Nós, da Clear, por exemplo, contamos com uma série diária de vídeos nos quais o nosso analista financeiro, Rafael Ribeiro, explica e comenta, de maneira descomplicada, sobre o fechamento de mercado: 

Estratégias para operar com opções 

Falando de modo geral, existem três razões que levam uma pessoa investidora a começar a operar no mercado de opções:  

  1. Para proteger a carteira de investimentos (hedge)
  2. Para realizar especulação financeira
  3. Para alavancagem

Veja, com mais detalhes, algumas das principais estratégias utilizadas para operar com as opções de ações de acordo com os seus objetivos: 

1. Estratégia de hedge 

Assim como em outras modalidades de derivativos, as opções permitem que quem investe aposte em estratégias cuja finalidade é proteger o valor de mercado de uma carteira ou ativo das oscilações. 

Como a pessoa titular pode “prever” o strike, as opções oferecem a possibilidade de “fixar” o preço do ativo-objeto, o que contribui para que os impactos de uma mudança nas cotações seja mais suave. 

Uma estratégia de Hedge funciona da seguinte forma: digamos que uma pessoa investidora tenha ativos de uma determinada organização e deseja mantê-los na carteira por um determinado período.  

Se ela teme que os papéis sofram uma desvalorização nesse tempo, poderá usar as opções como forma de se proteger, por exemplo, comprando opções de venda. 

Imagine que essa pessoa titular possuía ações cotadas a R$50, e adquiriu opções de put com strike de R$49. Se, no momento em que ela for vendê-las, o preço de exercício estiver em R$45, essa pessoa ainda poderá negociá-las por R$49.  

Ou seja, se for realmente necessário se desfazer das ações, sua perda será de apenas 2%. Diferente de como seria na venda pelos preços de ações do mercado, onde seu prejuízo seria de 10%, por exemplo. 

📘 Saiba mais sobre como funciona o Price Action: a análise do comportamento de preços! 

2. Estratégia de especulação financeira 

Diferente da pessoa investidora que se baseia em contratos futuros (mercado de opções e outras alternativas de derivativos, como commodities, câmbio etc) para minimizar seus riscos provenientes da oscilação de preços, quem tem um perfil agressivo tende a buscar esses contratos para elevar exponencialmente as possibilidades de retorno com a aplicação, por meio da especulação. 

Lembra do exemplo que usamos com a Maria? Pois bem, ela se enquadra no perfil de especuladora, pois utiliza as incertezas socioeconômicas, políticas e financeiras do mercado como gatilho de lucro.  

Não quer dizer, porém, que as apostas da Maria são feitas sem alguma análise. Muito pelo contrário: é possível usar diversas ferramentas de análise para estudar e interpretar o contexto macroeconômico. 

O maior risco de atuar com a especulação é que, além da “aposta” nas oscilações futuras, as pessoas investidoras utilizam também a estratégia de alavancagem (sobre a qual vamos falar adiante) para investir um capital superior ao que ela realmente tem. 

Basicamente, a alavancagem é uma forma de “empréstimo”, no qual a corretora concede o crédito para multiplicar seu potencial de retorno. O problema é que, nesse caso, se ocorrerem perdas, o prejuízo ultrapassará o valor que a pessoa investidora dispõe. 

3. Estratégia de alavancagem 

Trata-se do momento em que a pessoa investidora adquire um contrato de opções e tem o direito de negociar o ativo pelo preço de exercício (strike), por uma data que foi definida ou por um intervalo de tempo. 

Assim, quem é titular tem a vantagem de operar alavancando, o que lhe dará a possibilidade de obter ganhos maiores em relação a uma ação. Contudo, essa pessoa também correrá o risco de perder parte ou, até mesmo, todo o dinheiro que investiu. 

Investindo no mercado de opções 

Bom, até aqui a gente te contou o que são opções de ações e como funciona o mercado de opções, mostrando como esse tipo de ativo se diferencia, ainda, do conceito de opções binárias. 

Apresentamos também como funcionam os códigos usados pelo Mercado Bovespa na hora de determinar as opções disponíveis e, por fim, você viu quais são os principais riscos e vantagens de investir no mercado de opções, além de algumas estratégias e dicas para começar a atuar nessa categoria. 

Então, se bateu aquele interesse em começar a operar opções de ações, te convidamos a conhecer nossas plataformas de investimento. Através do link abaixo, você tem a possibilidade de responder a um quiz rápido e descobrir qual é a plataforma que melhor atende às suas necessidades: 

👉 Plataformas da Clear 

Vale mencionar que, ao escolher investir pela Clear, você conta com uma interface intuitiva e suporte, no caso de dúvidas. Para usufruir dessas vantagens, é só baixar o nosso app, que está disponível tanto para Android quanto para iOS. É possível baixá-lo através dos links abaixo: 

👉 Android – App da Clear 

👉 iOS – App da Clear 

Ah! E não poderíamos deixar de lembrar do nosso canal no Youtube, que está sempre cheio de novidades sobre o mercado financeiro, tanto pra quem já investe quanto pra quem ainda tá começando.  

Nossas redes sociais também são atualizadas constantemente, e sempre levamos alguém da nossa equipe pra responder às principais dúvidas de quem nos acompanha. É só procurar pela gente utilizando o nome Clear Corretora.  

Bons investimentos pra você! 

Invista com corretagem zero na especialista em bolsa: Abra sua conta na Clear!